Diabonês

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Mandarin? Cquote2.svg
Google sobre Diabonês
Cquote1.svg Agente sofremu muntcho precunceitcho Cquote2.svg
Falante de Diabonês sobre Falar Diabonês

Grão mestre da ABD - Associação Brasileira do Diabonês

Diabonês é a versão infernal da língua Portuguesa. Todos os seguidores de Satanás são obrigados a falar fluentemente essa língua.

História[editar]

Ela foi introduzida no Brasil logo no seu descobrimento. Seguidores de Lúcifer, escondidos nos navios portugueses, começaram por utilizar o Diabonês como meio de comunicação com os índios que a principio não compreendiam nada, mas acabaram por assimilar o idioma com muita facilidade.

Com a chegada dos africanos ao Brasil, o Diabonês sofreu forte influencia dos exus, os demônios africanos. O Diabonês é a língua mais falada no Brasil, somente uma pequena parcela da população brasileira sabe falar a língua Portuguesa. O Diabonês por sua vez serviu de base para a formação de muitos dialetos presentes no Brasil como: o Gauchês, Carioquês, Bahianês, Paulistanês entre outros. Esses dialetos são as versões regionalizadas da língua maior o Diabonês

Falante do Diabonês

Fonética[editar]

O Diabonês é uma língua muito complexa nesta área. Os sons do Diabonês difere de região para região.

Lh transforma-se em I ex: Fio, Filho. Em Bahianês pode significar garoto, menino.

Nh transforma-se numa forte nasalização ex: Venn'á, Venha.

L quando precedido de consoante é pronunciado como R ex: Craro qui eu vô, Claro que eu vou. Em algums casos quando está entre vogais.

R é pronunciado como L na palavra Amarelo (Amalero) não me recordo de nenhuma outra.

Obs: O Diabonês não usa nenhum acentuação, os acentos aqui presentes são para ajudar na compreensão das pronuncias.

Principal servo de Satanás a ensinar Diabonês

Gramática[editar]

Uma característica do Diabonês é que este não possui "regras" gramaticais, você é livre para criar seu jeito de falar e o mais interessante é que todos os outros falantes do Diabonês são capazes de compreender o que você diz. Mas você pode está pensando que esta seja uma língua de fácil aprendizagem, mas você se engana caro leitor. A fluencia no Diabonês se dá através de Dom, você tem que ter nascido com a predisposição para o aprendizado das línguas infernais, ou ter o azar(ou sorte) de ser alfabetizado por Satanás. A gramática Diabonêsa confunde-se com a gramática Portuguesa, pois assim como seu criador o Diabonês tem a capacidade de enganar seus ouvintes. O Diabonês é formalmente conhecido como Português Vulgar por isso você só precisa não-usar certas regras gramaticais portuguesas para falar Diabonês com certa facilidade.

Esqueça a concordância nominal e verbal! Ex: Us minino ta la na rua brincannu/Os meninos estão lá na rua brincando

Esqueça o D do gerúndio e nasalize bastante! Ex: Agente tamu cumennu/Estamos Comendo

Crie sua maneira de falar o Diabonês! Ex: Nusvapaingrejaojii/Vamos para a igreja hoje? Frase com tendências Mineirês

Use Agente no lugar de Nós! Ex: Agente somus felizes

Representante da ABD na Bahia, atual prefeito de Itabuna

Texto[editar]

"Agente somos excruidos da sociedade pruque ninguem gosta d'agente. Elis disprezam nois pruque nois num fala comu elis, mais agente temos que luta pruque so assim agente podemos vence elis. Vamu da um futuro meio para nossos fios mia gente" Tradução: "Nós somos excluidos da sociedade porque ninguém gosta de nós. Eles nos desprezam porque nós não falamos da mesma maneira que eles, mas nós temos que lutar porque só assim poderemos vence-los. Vamos dar um futuro melhor para nossos filhos minha gente"

Vocabulário[editar]

Note que este vocabulário é somente para passar uma noção sobre algumas palavras do Diabonês, qualquer palavra dos dialetos oriundos do Diabonês podem ser usados para falar a língua maior.

  • Acaranjé: Acarajé.
  • Amalero: Amarelo.
  • Amoto: Moto.
  • Alficina: Oficina.
  • Antchis: Antes.
  • Androdi: Andróide.
  • Anuviar: Ficar nublado, cheio de nuvens.
  • Bicicreta: Bicicleta.
  • Bainn'o: Banho.
  • Bestaiado: Abestalhado.
  • Bia: Pia, local de se lavar louças.
  • Cachão: Caixão.
  • Combi: Bahianês para Vâ, em Paulistanês Perua(Pirua).
  • Corquer: Qualquer.
  • Cuma?: Como é?, Ver também cume qui e?
  • Cume: Comer.
  • Cume qui e?: Como é que é?.
  • Dispois: Depois.
  • Dotô: Doutor.
  • Diacho: Diabo.
  • Drumi: Dormir.
  • Deitchar: Bahianês para deitar.
  • Enfeitcha: Enfeitar.
  • Famiia: Família.
  • Guli: Engolir. "Mia fia ce guliu u que?/Minha filha você engoliu o que?".
  • Galinn'a: Galinha. " Pega a galinn'a ai minino/Pega a galinha aí menino"
  • Galfu: Garfo.
  • Ingreja: Igreja.
  • Ilheusus: Versão infernal Bahianesa de Ilheus (cidade do sul da bahia)
  • Iscola: Escola.
  • Iscoie: Escolher.
  • Iscunde: Esconder. "Vamu brinca de s'iscunde?/Vamos brincar de se esconder?"
  • Mida: Dei-me, "Me dá", Ver também Minda.
  • Minda: Você pode me dar....?.
  • Tarralá: Estáva lá.
  • Tarraqui: Estáva aqui.