Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Estádio Mané Garrincha)
Ir para: navegação, pesquisa


Projeto inicial para o Mané Garrincha em 2014 ...
...projeto final para o Mané Garrincha em 2014, agora já com o nome de Estádio Nacional de Brasília ...
... o estadio, hoje. Note a diferença entre os dois projetos acima e esse esboço de projeto que acabou saindo. Note também a cor-de-barro que toma conta da rampa de acesso já anunciando o que te espera no interior do mesmo.

O Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha é o único principal estádio decente do Distrito Federal. Cabe 45200 pessoas sentadas (Ou não). Lota geralmente quando algum time de fora vem jogar em Brasília ou quando um time da cidade joga alguma partida da Série A, o que acontece de milênio em milênio por conta da massa alienada do Distrito Federal que foram terrivelmente manipuladas pela mídia e só torcem por times do Rio de Janeiro ou São Paulo.

História[editar]

É uma homenagem injusta ao Garrincha, injusta pois Brasília não merece ter nome de um de seus principais símbolos com um cachaceiro de primeira. Já basta os políticos honestos que em em Brasília.

O Legião e sua torcida modinha até tentaram salvar o histórico deserto do Mané Garrincha, com camarote VIP, pipoca, cerveja, camisa de gari do Legião e telão, como se estivesse assistindo a um jogo de Voleyball, tudo para ofuscar o péssimo futebol apresentado pelos time dos garis do Plano Piloto, com isso o esforço foi em vão e o time acabou rebaixado em 2009.

O recorde de público do Mané Garrincha ainda continua sendo a de um jogo do time da roça do Distrito Federal (Gama) há trezentos anos atrás, botando mais de 50 mil pessoas, um no colo do outro, sendo que a maioria ali era repórter da Rede Globo de Alienação, recorde que pelo visto, e dada a atuais circunstâncias do estádio, nunca mais será batido.

Copa de 2014[editar]

O estádio foi escolhido para a Copa de 2014, quando teve uma evolução de um arcaico elefante branco que sofria de fome, para um mega elefante branco, em que nos clássicos do Plano, com Brazsat, Legião e diversos lixos irá ter uma lotação máxima no estádio... de cadeiras vazias. As antigas cadeiras do acabado estádio da capital foram para o chiqueirão do time de Luiz Estevão, vulgo Serejão, que fica pelas bandas de Taguatinga.

Eventos não-esportivos[editar]

Bandas musicais já estiveram no deserto como o RBD em uma turnê, levando cerca de 25 mil otários e emos que não sabem apreciar uma boa música.

Atualmente, uma vez ou outra, algum artista decadente que quer vir extorquir brasileiros com shows feitos às coxas resolvem passar pelo Estádio. Esses shows, apesar de serem quase sempre reservados, costumam deixar o campo todo cagado, prejudicando os jogos de times globais que acontecem uma semana antes da passagem do cometa Halley.

Atualmente[editar]

Hoje o estadio é o único do pais que faz jus aquele ditado pré-copa que diz que "quando estiver sem dinheiro, recorra aos estádios".

Numa forma um pouco irônica de justificar o tal legado dos estados profetizado pelo Travecômeno, o Governo do Detrito que Fede repassou boa parte dos cabides de emprego comissionados, para o interior daquele imenso elefante que sofre com albinismo.

Já a área externa do estadio (estacionamento), hoje não passa de uma imensa garagem de ônibus e pista de aula usado pelos Centros de Formação de Barbeiros cujo os formados estarão aptos a baterem seus veículos pelas ruas principais vias da cidade em horários de pico.