Etnocentrismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

O etnocentrismo é uma visão de mundo em que você julga os outros a partir da sua cultura e de seu jeito de vida, colocando eles em uma postura inferior (ou não). O dominador se põe no centro do topo da pirâmide e vê os outros como meros plebeus e seres subpares a ele, uma visão bastante equivocada a não ser que você seja o presidente dos Estados Unidos é claro. Grande parte dos casos de etnocentrismo são feitos por europeus, já que eles só por estarem neste planeta de merda há mais tempo se acham o último biscoito do pacote, e se esquecem que nada que é velho é bom exceto as MILFs. O etnocentrismo é porta de entrada pra um monte de merda como xenofobia, preconceito, terrorismo, violência e outras atrocidades.

Etimologia[editar]

  • Etno, radical grego que denota povo, multidão, uma caralhada de gente junta
  • centrismo vem de centro, que é algo que tá ali no meio, num vai nem pra esquerda nem pra direita, fica ali, na meiota

Etno + centro = grupo no centro. Sacou?

Aplicação Básica[editar]

Para ajudar você, nobilíssimo leitor, a entender melhor o conceito, usaremos uma ilustração: Imagine um caso onde há um individuo que foi criado comendo cocô de bode por acreditar que esse seria nutritivo e lhe traria forças e inteligência. Eis que esse mesmo individuo ao perambular pelo mundo em certo momento encontra-se com outro individuo que come cocô de búfalo. Por este outrem não compartilhar do mesmo gosto (se é que merda tem gosto, eu que nunca provei pra saber) e tradição cultural, é considerado inferior em relação a ele, e passa a ser estigmatizado e olhado com o olhar virado numa inclinação de 36°.

História[editar]

O etnocentrismo sempre existiu desde que a gente se conhece como gente. Aqui em nosso país por exemplo, os portugueses eram um povo que tinha como tradição não tomar banho graças ao frio europeu, conservando caspas e piolhos nos cabelos, pelos pubianos e "suvacais" a lá Cláudia Ohana, barba de mendigo e roupas suadas que lhes conferiam um respeitável odor de queijo gorgonzola vencido em 3 semanas. Ao chegarem no Brasil, eles se deparam com os índios que eram limpinhos e cheirosos porque tomavam banho de rio e mar todos os dias. Como não tinham o vigoroso cheiro de inhaca que é padrão nas mais altas sociedades europeias eles logo foram taxados de inferiores pelos portugas, que trataram de espalhar o bicho, o chato, a micose e outras cem mil doenças de pele provindas da falta de higiene pessoal entre os silvícolas.

No nazismo, Adolfinho acreditava que a raça ariana era a mais pura de todas, e que todas as outras raças (lembrando que esse conceito de raça está desatualizado, hoje em dia a gente fala "etnia" pra soar mais pomposo ficar mais respeitoso) deveriam se curvar e lamber os pés dos branquelos alemoes (lembrando que na época a Alemanha ainda não tinha sido invadida por turcos e outros muçulmanos) com a crença de com o gosto de seu chulé se sentiriam um pouco mais importantes.

Hoje em dia muita gente lá do Hemisfério Norte pratica esse "esporte", mas muitos tem medo de admitir pois estamos na geração mi-mi-mi e com o advento da Internê é muito fácil receber aquele "processinho" por debaixo da sua porta. Os únicos que tem coragem de assumir isso são os skinheads que saem dando porrada em todo mundo que não for branco, careca ou tem jeito de presidiário. Além deles tem os terroristas que toda vez que ouvem alguém em falar em inglês perto deles já preparam o carro-bomba porque mais um atentado está a caminho...

Relativismo Cultural[editar]

É o contrário do etnocentrismo, ele prega a paz e amor, bicho. Todo mundo respeita todo mundo, é amigo, ri junto, fuma maconha ninguém julga ninguém, enfim, uma chatice só.

Teste de Etnocentrismo[editar]

Você se acha um etnocentrista? Não? Pois bem, vamos fazer o teste:

1 -Você se depara com um índio andando de tanga na rua. O que você pensa?

  • A) "Puxa vida, nunca tinha visto um índio assim. Que interessante!"
  • B) "Nossa, esse povo é defasado mesmo. Ainda não tem costureira lá nas aldeias não?"

2- Você entra num restaurante ching-ling sem saber e dá de cara com uns orientais degustando uma sopa de Pastor Alemão. O que você faz?

  • A) Se senta educadamente, mesmo que não vá experimentar a iguaria. Afinal, o bom da vida é ter novas experiências não é mesmo?
  • B) Faz uma cara de desprezo e dá o fora correndo. A única cachorra que você come é aquela que fica até tarde na rua

3- Você é paulista e seu novo colega de trabalho é cearense. Qual sua reação?"

  • A) Cumprimenta ele como qualquer outra pessoa
  • B) Evita contato como faz com toda pessoa cuja cabeça de mais de 1 metro e meio de comprimento, pois elas são a escória do país

4- Seu tablet quebra e você leva ele na loja de conserto. Ao chegar lá, percebe que o técnico é paraguaio. E aí?

  • A)Nada demais ué, nacionalidade não quer dizer nada
  • B)Esse arrombado vai quebrar o tablet assim como quebrou o país dele. Melhor dar o fora daqui

5- Vai passar na TV um documentário sobre um tribo exótica africana. Você...

  • A)...assiste porque seria interessante aprender algo novo
  • B)...nem perde tempo com esses pretos sub-humanos e muda de canal ou vai fazer algo mais interessante

Bom, se você respondeu letra B) em todas ou na maioria das perguntas, tenho más notícias para você...

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Etnocentrismo no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg