Fable

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Fable é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Arthur passeia no cemitério só de cueca.

Skyrim leproso Fábula
Fable Fail.png
Logotipo da série
Gênero Tentativa de Skyrim da Microsoft
Desenvolvedor Lionhead Studios
Publicador Microsoft Game Studios
Plataforma de origem Xbox
Primeiro lançamento Fable I (2004)
Último lançamento Fable Fortune (2017)

Fable é a mais famosa série de jogos de RPG que ninguém conhece, aquele jogo que você só ouviu falar, mas nunca jogou, exceto o seletíssimo nicho de pessoas que deram o azar de ganhar um Xbox de natal ao invés de algum console com jogos exclusivos realmente divertidos, como um Nintendo ou PlayStation.

Os jogos dessa série são aclamados pelos fãs e destacam-se por seus enredos muito bem desenvolvidos, estórias que permitem o jogador explorar profundamente todos os mistérios da psique e dos valores humanos de modo a criar uma ampla janela de variadas implicações conforme exerce suas escolhas. Estes jogos seriam excelentes exercícios mentais se a maioria dos jogadores não concentrassem seu tempo no que realmente fazem quando começam a jogar um Fable: Transar com todo mundo, matar a população de vilarejos inteiros enquanto dormem para depois alugar as casas vazias de suas vítimas.

Desenvolvimento[editar]

Tudo começou numa tentativa desesperada de chamar atenção dos gamers para o Xbox, o então novo console da Microsoft. Sem nenhum RPG exclusivo, Bill Gates determinou a criação de um RPG inovador que fosse completamente diferente de Final Fantasy ou Chrono Trigger, ou seja, que houvesse a opção de transar. Obviamente o jogo foi um sucesso na América, onde as pessoas naturalmente não gostam de otakices e só pensam em putaria o dia inteiro, sendo natural que a franquia continuasse, embora ainda estejam esperando um Fable exclusivo para Xbox One até hoje.

Mundo de Fable[editar]

Os jogos de Fable se passam num continente fictício, porém inspirado na cidade do Rio de Janeiro, de nome "Albichon", um vasto continente repleto de facções criminosas, raças de aleijados, bandidos, malas, trombadinhas, flanelinhas e paradas gays. Ninguém sabe conviver nesse mundo, todos se odeiam, mas você é livre para matá-los livremente.

O mundo de Fable é único, sempre elogiado por sua incrível riqueza de detalhes em termos de personagens, sempre repleta e dilemas morais bem profundos para lidar com os habitantes desse continente. Os homens, quase sempre seminus e musculosos, são sempre estressados e vão partir para a agressão física após a menor das provocações. Já as mulheres, em contraste, são mais pacíficas e passivas, sempre donas de volumosos seios e sempre dispostas a transar com você sem oferecer resistência, embora adicionalmente todas essas mulheres na verdade sejam travestis, o que explica ser impossível engravidá-las mesmo que transe com todas por meses sem parar.

Albichion é um mundo vívido, que evolui conforme novos títulos de Fable surgem.O primeiro jogo, por exemplo, acontece na Idade Média, enquanto o segundo jogo já se passa na época do Iluminismo, e o terceiro jogo ocorre na Revolução Industrial.

Jogabilidade[editar]

Inimigos traiçoeiros a espreita, nem sempre apelam só para violência física.

Fable é um RPG que mudou os paradigmas desse gênero de jogos, antes exclusivamente produzidos por japoneses, agora tinha seu estilo mais ocidental, com homens bombados e mulheres fáceis, além de substituir combate por turnos por pancadaria em tempo real.

Mas além das aventuras, a parte mais notável desses jogos e onde mais o jogador usa seu tempo é nas interações sociais com os NPCs, discutindo, conversando e transando com os mesmos.

A partir de Fable II foi introduzido um modo cooperativo local, mas que nunca pode ser avaliado porque o público dessa série não tem amigos para poder jogar junto.

Jogos[editar]

  • Fable I - O primeiro jogo da série e aquele com a maior quantidade de clichês. Você já viu esse roteiro umas 500 vezes na sua vida, onde você é só um pacato fazendeiro que depois se torna o maior herói predestinado de todos os tempos, tudo porque a sua irmã raptada por uns pervertidos, e agora você deve sair pelo mundo em busca dela, embora em menos de 30 minutos já se esqueça dela, indo solucionar as 30 side-quests que acabam surgindo no caminho. Chamou atenção porque você pode transar escolher entre ser bom ou malvado, embora isso não afete porra nenhuma na história final.
  • Fable II - Passando 500 anos após o primeiro jogo, nos deparamos com o continente sendo intoxicado por ideias iluministas e positivistas na qual a ciência era melhor que magia. Devemos então nos decidir entre ser ateu ou religioso, e ajudar a exterminar o outro lado.
  • Fable III - O mais político dos jogos, passando-se 50 anos após o segundo jogo, neste aqui devemos criar e organizar uma revolução do proletariado para depor um czar bondoso. Por ser muito similar aos jogos anteriores, mas com pioras, é o menos lembrado da franquia.

Caça-níqueis[editar]

  • Fable II Pub Games - Lixo encontrado na Xbox Live, coletânea de mini-games especialmente feitos para crianças que não tem amigos ou pais atenciosos, porque são todos joguinhos que podiam ser facilmente jogados na vida real, como baralhos e empilhamento de pedregulhos.
  • Fable Heroes - Um jogo vergonhoso claramente feito nas coxas no qual controlamos uns bonecos cabeçudos e mal renderizados para espancar uns aos outros numa tela que pode até te causar epilepsia.
  • Fable: The Journey - Um jogo tão ruim que tiveram até vergonha de chamar "Fable IV", lançaram sem numeração para que ninguém notasse sua existência.
  • Fable Fortune - Na onda de Heartstone e Gwent, a série Fable decidiu entrar na modinha e lançar seu próprio card game eletrônico. Nada muito especial.
v d e h
Fable logo.png