Fire Emblem Awakening

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Fire Emblem Awakening é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Banjo pega mais uma peça do quebra-cabeça.


Fire Emblem Shipping
Fire Emblem Awakening.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Unintelligent Systems
Publicador NãoIntendo
Ano 2012
Gênero RPG/shipping
Plataformas Nintendo 3DS
Avaliação 40%
Idade para jogar 18 anos (reprodução sexuada de personagens)

Fire Emblem Awakening é um jogo de simulação de shippagem cujo objetivo é engravidar o máximo de personagens femininas possíveis usando os personagens masculinos, lembrando que o jogo é de classificação livre e pode ser tranquilamente jogado por crianças de modo que as cenas de sexo são todas apenas subentendidas e devem ser posteriormente pesquisadas no seu site de hentai favorito.

Em 2012, no auge de grandes animes como One Piece, Bleach e Naruto, a moda entre a criançada otaku era shippar, ou seja, torcer para que um determinado casal de personagens se pegassem, embora nos animes isso nunca aconteça. A empresa produtora de Fire Emblem, a Unintelligent Systems, percebendo essa mania, criou o seu próprio jogo de simulação de shippagem, onde de fato os personagens se pegariam e até transariam para produzir filhos. Infelizmente, como o joguinho foi lançado apenas para o Nintendo 3DS, apenas um seleto grupo de pessoas teve a possibilidade de jogar este Fire Emblem.

Enredo[editar]

Para um jogo teoricamente feito no Japão onde há uma cultura de preciosismo por um bom enredo, este Fire Emblem parece que foi roteirizado por um punheteiro amante de hentais, porque absolutamente nada faz sentido no jogo e tudo serve apenas como plano de fundo para uma grande orgia de personagens fazendo filhos uns nos outros. O jogo conta a trajetória de Chrom, o príncipe de uma cidade desprovida de habitantes, cujo enorme exército que é formado por três membros ativos (sua irmã caçula, um cavaleiro e uma amante de unicórnios, enquanto todos os outros soldados devem estar na taberna sem fazer nada). Este príncipe, que obviamente deve morrer de tédio num país podre desses, comumente caminha por aí, quando encontrou afundando em esterco de vaca o protagonista, uma pessoa que não se lembra de seu nome real, nem seu sexo ou a cor de sua pele e cabelos, mas que vai usar imediatamente à perfeição qualquer habilidade com espadas e magia, bem como ter a capacidade de não ser capaz de usar mais de um objeto em mão de cada vez. Obviamente que Chrom, em sua alta capacidade intelectual, passa a confiar cegamente nesse estranho (que é um travesti e pode ser editado como o jogador desejar).

Depois disso, aí começa delírio total. O jogador enfrenta bandidos, bárbaros, zumbis, dragões lendários, demônios, Testemunhas de Jeová, cães vadios, cães do exército, ninjas e fantasmas, todos com o objetivo de matar Ylisse, a deusa-rainha de um reino, e adquirir a Fire Emblem que trará o Apocalipse a todos. Na metade do jogo descobre-se que todos aqueles problemas ocorrem devido ao despertar de um dragão de dez quilômetros, algo alertado por pessoas vindas do futuro que se dizem o fruto da orgia praticada pelos personagens tarados do presente. Então o jogador deve recrutar novos espadachins, matar mais chefes, até chegar no estágio final na parte de trás da besta, e matar o irmão (ou irmã) gêmeo(a) da protagonista.

Jogabilidade[editar]

Os diálogos do jogo são sempre bem diretos.

Fire Emblem Awakening segue o mesmo modelo dos jogos de Fire Emblem anteriores, onde o jogador deve mover personagens num tabuleiro, deixando lado a lado os seus casais favoritos afim de shippa-los. Uma vez shippados, determinado casal faz sexo e tem um filho, e este filho virá do futuro, com a mesma idade dos pais, para ser mais um personagem shippável, criando assim um infinito ciclo vicioso de shippagem retroalimentando o jogo sem parar. A coisa mais excitante de tudo isso sem dúvidas é que aquele filho (ou filha) terá as habilidades de combate, aparência, cor dos olhos, as medidas de mama (independentemente do sexo do personagem) idênticos aos da mãe, enquanto apenas a cor de cabelo será igual ao seu pai, numa clara demonstração que quem criou este jogo tem altos conhecimentos de reprodução sexuada e a correlação entre genes dominantes e genes recessivos.

Uma das maiores inovações deste jogo, é que a qualquer momento ele pode variar entre um simples jogo de estratégia por turnos para um complexo simulador de compromissos, onde os personagens podem se encontrar, fazer amizades e, em seguida, transarem loucamente até fazerem filhos. O jogo, claro, traz uma clara mensagem homofóbica, proibindo que quaisquer de seus personagens tenham relações homoafetivas com alguém, algo considerado uma anormalidade pelo enredo do jogo, uma vez que caso isso ocorresse, o futuro da população mundial estaria condenada, e isso não pode acontecer.

Há também no jogo alguns elementos de RPG e táticas por turnos, mas essa parte é meramente opcional e mesmo que jogada no hard a sensação é de estar jogando no easy de tão burra que é a inteligência artificial do game. Esta parte da estratégia conta com elementos bem lógicos, como o fato da lança ter fraqueza a machados, ou que ao estar nas imediações de uma árvore determinado personagem vai abrandar a velocidade do movimento e do ataque, e que magos sabem andar em desertos. Lembrando que para atravessar o continente de cidade em cidade, como mostrado no menu principal, leva-se cerca de 2-3 segundos.

Gráficos[editar]

O 3D é a coisa mais inútil desse mundo, faz é a pessoa ficar com tontura e vontade de vomitar. Por ser um jogo de tabuleiro e de desenho animado, não há qualquer necessidade de profundidade e 3D.

Personagens jogáveis[editar]

  • Protagonista - A partir do momento em que franquia Fire Emblem começou a tornar-se nojenta o suficiente, mais especificamente após o sucesso de Fire Emblem: The Sacred Stones, os produtores então se perguntaram "Por que torná-lo ainda pior? Por que não?!", E então criaram este protagonista sem nome, sem sexo e sem rosto, como um personagem totalmente editável, desde o sexo e cor dos cabelos até o número de orgasmos que ele pode alcançar quando acasalar com seu parceiro. Convenientemente possui amnésia e tem um irmão (ou irmã) gêmeo(a) que é o(a) grande antagonista do jogo. Curiosidade: se o jogador não quiser dar um nome à criatura, ele(a) se chamará Robin, apesar de não haver um Batman no jogo.
  • Chrom - O protagonista real (mas infelizmente não exclusivo) do jogo. Sua principal característica é ter o cabelo de um impraticável tom de azul, a voz de um ator pornô e a capacidade de pular aleatoriamente com sua capa ao ar, mesmo que seja dentro de casa. Ele também é considerado o personagem com as piores reações à morte de um aliado, pois na melhor das hipóteses vai fazer uma careta.
  • Lissa - Paciente favorita de dezenas de psicanalistas, ela é a irmã caçula de Chrom. Lissa tem o grande poder de não ter um pingo de personalidade, comumente alternando-se entre uma clássica menina doce tipicamente japonesa até uma adolescente patricinha americana pé-no-saco. As possibilidades que acontecem multiplicam-se quando há um outro personagem principal na área circundante.
  • Marth / Lucina - Quando avistada pela primeira vez, esta doce menina diz ser o lendário Herói-Rei Marth, e afirma ser um rapaz, e obviamente todo mundo acredita, apesar do fato de que Marth tem cabelos longos, um sutiã, quadris largos e uma voz de lolicon. Apenas na metade do jogo Marth irá revelar-se ser na verdade, uma menina chamada Lucina (o seu sexo dúbio é uma metáfora ao jogo em si), e irá fazê-lo mostrando o rosto para o pai e os seios para a mãe. É provavelmente o personagem mais apelão do time e pode limpar fases inteiras sozinha. Sua habilidade na espada só não é maior que a sua habilidade na cozinha e na cama.
  • Frederick - Embora no início do jogo seja plenamente capaz de matar chefes e inimigos com apenas um golpe (com a dose certa de sorte, é claro), no final do jogo apenas um par de guerreiros básicas inimigos é capaz de derrubá-lo.
  • Paine - A personagem da cota de personagens furries que tem que ter em todo jogo japonês, especialmente Fire Emblem, é uma mulher-coelho que diz ter asco dos humanos, embora seja possível shippá-la até com Gregor, para convencer Paine a fazer sexo furry com qualquer homem do jogo.
  • Nowi - A menina-dragão do jogo, que serve para ser a menina dos sonhos de qualquer otaku-pedófilo fã de lolicons. A sua aparência e comportamento são de uma criança de 10 anos de idade, mas o jogo dá a desculpa que ela na verdade tem mais de 500 anos de idade, para assim os pedófilos poderem shippá-la também sem sentir peso na consciência. Apesar de todo mundo dizer que as pedras de Manakete, que são usadas pelos dragões para darem seus golpes, são objetos raríssimos e preciosos, a loja em Port Ferox tem depósitos cheios desse item a baixos preços, então não se preocupe.
  • Tharja - Uma das personagens mais queridas pelos fãs do jogo, por se trajar feito uma prostituta e gostar de amaldiçoar os outros.
  • Libra - O personagem da cota de fetiches trap do jogo, porque é um homem (ou melhor, um transexual) que todo mundo acha que é uma mulher.
  • Lon'qu - Personagem clichê que as fãs adoram, mas é só um inútil com medo de assumir sua homossexualidade, já que não gosta de ficar perto de mulher.
  • Olivia - Uma stripper que por algum motivo está num campo de batalha.
  • Henry - Psicopata sorridente, basicamente é isso e uma historinha tristinha, de resto não se entende o amor dos fãs por ele.
v d e h
FireEmblemlogo.jpg