Fokker 100

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Boieng da Trans Brasil indo pro brejo.jpg Olha o(a) Fokker 100 vindo!
Olha o(a) Fokker 100 indo!

Este artigo fala sobre coisas que avuam pro alto.
Clique aqui pra ver quem mais vai pelos ares. Literalmente.
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Fokker 100.
Esse Fokker 100 fez um dos melhores pousos da TAM

O Fokker 100 é uma aeronave de porte médio que era fabricada pela Fokker especialmente para a Classe Média e que tinha como grande meta matar os passageiros em um volume beeeem acima da média.

Segundo alguns, se trataria de um dos aviões mais embarangados que existem, uma vez que ninguém quer comer neles, a ponto de a sua fabricante fechar as portas e começar a vender o seu produto para os otários em larga escala.

Alguns desses otários seriam os pilotos da TAM, que nunca perceberam que a caranga era movida por um motor de Rolls Royce Ruth Romcy nada confiável de tão velho que apesar de serem menos barulhentos que os Pratt & Whitney do Boeing 727, bebiam mais que o o Jeremias em dia de porre.

História[editar]

É assim que os americanos enxergam os Fokkers: um verdadeiro "Fucker" ("Fodedor")

Em 1914, um holandês fudido chamado Manuel da Silva Fokker queria sair do fundo do poço e pagar as contas e usando papelão, vidro, borracha e um ventilador, criou o Focker 24 Vingaytor.

Piloto do Fokker 100: Cquote1.png Senhores passageiros, comunicamos que fizemos mais um pouso bem sucedido no meio da Amazônia e agradecemos a preferência... Cquote2.png

Manuel tentou então vendê-lo para os americanos, mas pelo nome, "Fucker" (que significa "fudedor" em inglês), Manuel continuou fudido até que apareceram os nazistas e compraram seus aviões, só porque alemão não fala inglês mesmo e começaram a I Guerra Mundial contra os Estados Unidos.

Em 1917 o Barão Vermelho ganhou o Focker 11 SuperMané que tinha três asas não duas como todos os outros aviões e foi pintado de vermelho que obviamente era a cor do cliente, no entanto, isso não agradou pelo fato de o vermelho ter se tornado a cor oficial da bandeira comunista, o que ocasionou durante vários anos a manutenção da empresa à margem do mercado formal.

Em 1918 a Alemanha perdeu a Guerra porque os Fuckers Fokkers de Manuel viviam caindo matando os pilotos rapidamente, para não ser linchado pela população nazista ele fabricou motores para dirigíveis, mas no começo da II Guerra Mundial, a Fokker voltou a fabricar aviões.

Dois modernos Fokker 100 MK 28 da frota da OceanAir, que milagrosamente ainda voam

O lançamento na época era o Fokker 42 Motherfucker. Eles aguentavam mais e abateram o impressionante número de 1.000.000.000.000.000 aviões da própria Aeronáutica, por isso perderam a Guerra de novo.

Essas bombas não se adaptam aos fingers modernos aeroportos de qualquer lugar do mundo por serem muito baixos, fazendo você tomar chuva e fritar sob o sol

Em 1957, antes da crise do petróleo, no início da abertura Soviética e de anos com a patente abandonada, Manuel resolve cobrar as ideias da empresa e passa a fabricar os aviões Fuckers Fokkers 69 e Fuckers 171 para 69 e 171 passageiros, que matavam poucas pessoas mas vendiam seus aviões e cujo custo que compensaria somente se eles fossem vendidos a países ordinários como Cuba, Haiti e República das Bananas, passando a exportar o produto para o Brasil no ano seguinte.

Cheio de manias e de TOCs, numa manhã de inspiração brilhante, Manuel resolve: Cquote1.png Oras pois! Se toda vez têm que contar os mortos, porque não arredondar para 100 passageiros e daí já sabermos quantos morreram no momento da queda? Cquote2.png

Foi assim que Manuel criou seu avião mais bem sucedido, o Fuckers Fokker 100. Só não contava Manuel que a própria tripulação iria deixar o número quebrado novamente.

Fokker 100, de acordo com a TAM o piloto estava bêbado e bateu no poste

Em 1990, a TAM compra o primeiro Fucker Fokker 100 deles, aeronave que caía demais.

Depois com o sucesso do primeiro avião eles compraram mais 100 aeronaves que faziam o maior sucesso no público por suas maravilhosas manobras antiquedas, de que não adiantavam.

Em 1996 num teste do Fucker Fokker 250, o avião atingiu a fábrica e a fez fechar as portas, por isso, o Fucker Fokker 250 foi considerado Cquote1.png O maior sucesso da fábrica Cquote2.png.

Recentemente a companhia brasileira OceanAir adquiriu uns 42 Fuckers Fokkers 100 num leilão da American Airlines no Mercado Livre, mas como ninguém queria voar nessas bombas, alterou o nome para Dick Dikker MK-28, já que o nome de oficial de registro do avião é Fokker Mortal Kombat Merdiën Kakïen 28 km/h, mostrando ser uma ótima estratégia de marketing.

Ver também[editar]