Fusoya

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Velhadaslu.jpg Fusoya é uma velharia!

Este artigo é sobre algo da época em que os Beatles estavam na moda e sua avó era gostosa. Se vandalizar este artigo, você será forçado a ouvir discos de vinil num gramofone!

Primeiro-celular-do-mundo2.JPG
FUS RO DAH!


Pai Mei.jpg
Nome Completo BoYoLa
Classe Sábio
Terra Natal Lua
Parceiros Ninguém, o velho é antissocial
Parentes Cecil Harvey (sobrinho pentelho)
Golbez (sobrinho revoltado)
Inimigos Zemus (cara que traiu o movimento dos lunarianos, véio)
Equipamento Preferido Cajados e Varinhas de Condão
Habilidades Invocar meteoros
Invocar bolas de fogo
Invocar tempestades glaciais
Invocar a tua mãe, aquela puta intergalática

FuSoYa (フースーヤ no Japão), ou apenas Fusoya para as pessoas normais que não ficam abusando do caps lock, é um dos magos doentes, pervertidos e vagabundos que moram no fantástico mundo da lua, no universo de Final Fantasy IV. Ele é mais um dos felizardos em que cai no colo a ingrata tarefa de livrar o planeta das forças do mal, apesar dele nem ser terráqueo.

Assim como os outros lunáticos de sua espécie, Fusoya passa a maior parte de seus dias apenas dormindo em uma banheira de formol e acordando esporadicamente para bater punheta olhando para o Planeta Terra, vendo as moças bonitas, moças formosas, moças bem feitas de biquíni desfilando pelas praias e pelos hoteis de Acapulco.

Vida e obra[editar]

Esse não é o Fusoya, é o Ramuh, mas como os dois são antiguidades, fazem o cabelo e a barba na mesma barbearia e ficam conjurando raios e trovões nos inimigos, vai uma foto dele mesmo.

Em uma época muito, muito distante, quando os dinossauros ainda caminhavam sobre a terra e o Paulo Baier ainda estava nas categorias de base, nascia em uma cabana na superfície lunar um bebê chamado pelo horrível nome de Fusoya, cuja função já estava definida desde o momento em que saiu da buceta de tua mãe, assim que completasse seus 18 ânus, ele iria começar a trabalhar eternamente como um vigia do sono do povo lunático, famoso por dormir por anos em uma banheira de formol e acordar apenas quando precisa dar uma para reproduzir antes de morrer.

Em seus primeiros anos, Fusoya não preocupava-se em estudar, nem aprender a escrever o próprio nome ele fazia questão, pois sabia que não teria futuro mesmo. Então, ele passava seus dias apenas brincando de tacar rochas lunares em seus amiguinhos e em seu irmão mais novo, Kluya, este que estava livre para fazer o que quisesse com a própria vida.

Em sua adolescência, que para os lunáticos dura dos 200 aos 890 anos, Fusoya era muito tímido, e não conseguia chegar nas minas na balada, diferente de seu irmão caçula Kluya, que passava o rodo nas novinhas nos bailes. Assim sendo, mesmo não podendo escapar de seu destino certo como vigia, Fusoya passou a estudar antigos tomos mágicos, para aprender magias de destruição e assim, ver se conseguia fazer sucesso com as piranhas de shortinho socado no rabo. Enquanto isso, Kluya, já com um longo histórico de bucetas fodidas, estava sossegando, casando-se com uma terráquea chamada Cecilia, pois a mesma estava esperando um filho dele.

Após nove meses, nasce o primeiro sobrinho de Fusoya, chamado de Theodor, que mais tarde viria a ser conhecido como Golbez. Não passou muito tempo desde este nascimento, e após o estouro de uma camisinha, a mina de Kluya já estava grávida novamente, desta vez daquele que viria a ser conhecido como Cecil Harvey.

Alguns minutos após o nascimento de Cecil, Cecilia morreu, por não guentar a passagem do cabeção de seu filho pela sua buceta, que não era larga como a da tua mãe, aquela vagabunda. A macumba pra cima da família de Kluya era grande, e poucos dias após a morte de Cecilia, ele também acabou morrendo, ao ser atingido por um balaço com "b" minúsculo disparado por uma AK-47, o fuzil perfeito para o combate.

O movimento natural seria que Fusoya, o parente mais próximo, assumisse a responsabilidade pelas crianças, que ainda eram pirralhos catarrentos sem condições de se virar sozinhos, mas não querendo criar o filho dos outros como um corno manso, Fusoya deixou que eles se fudessem, deixando o futuro deles a cargo do destino, e apenas continuou exercendo a sua função como vigia do sono do povo lunático.

Velhice[editar]

Fusoya abençoando os seus inimigos com uma tempestade de neve que vai congelar geral e matar de hipotermia.

Agora já um ancião, Fusoya continuou exercendo a sua função solitária de vigia do sono de seus conterrâneos vagabundos, entre os quais estava Zemus, que com o seu Ataque Big-Bang, pretendia invadir a Terra e escravizar os terráqueos, os quais acreditava que eram apenas vermes insolentes, transformando a todos em marionetes que exercem as suas vontades malignas. Assim como todos os seus outros companheiros, Fusoya achava que essa era mó ideia errada, pois preferia manter a Terra intacta, já que apenas assim as gostosas continuariam desfilando de shortinho e inspirando as suas punhetas na calada da noite.

Estando puto com o seu povo broxa e sem ambição, Zemus revolta-se, se isola em um bunker abandonado levando consigo apenas as roupas do corpo e alguns pacotes de miojo e passa a controlar a mente de Theodor, o sobrinho de Fusoya que fora abandonado na Terra e tinha virado um cavaleiro para não morrer de fome, fazendo com que o mesmo atacasse sem piedade todos os povos de boa vontade, assim semeando o caos e a desordem na terra do nunca. O único ponto que poderia atrapalhar os planos de Zemus era Cecil, já que com o seu sangue lunariano e de protagonista, ele conseguia vencer qualquer força do mal que ameaçasse seus amigos.

Para conter a provável ameaça ceciliana, Zemus passou a controlar a mente do melhor amigo e crush do mesmo, Kain, que passou a agir como um esquizofrênico com dupla personalidade que ouve vozes do além. Por razões óbvias, Cecil não conseguiu matar o seu grande amor, e Kain teve várias oportunidades de matar o lunariano, mas como este é o protagonista imortal, nada pode matá-lo.

Após vários corres do bonde de Cecil, eis que ele finalmente consegue voltar para a sua terra natal, a Lua, onde reencontra seu tio engraçadão, Fusoya, que logo que o vê, vai mandando a piada do pavê e perguntando das namoradinhas. Depois que as apresentações são feitas, Fusoya, percebendo que seu conterrâneo Zemus ameaçava a existência da humanidade, passa a integrar a panelinha dos herois, ajudando a galera com as suas macumbas de magia negra aprendidas em seus mais de 1000 anos de vida.

Depois que derrotou Zemus conjurando um meteoro combinado com o seu sobrinho emo Golbez, que agora estava sóbrio, Fusoya pensou que finalmente poderia voltar para a sua vida de procrastinação, porém ainda precisava derrotar Zeromus, a alma cheia de ódio de Zemus que despertou assim que o seu corpo físico morreu. Para derrotar essa porra não foi fácil, pois ele apela mais do que quando tava vivo, porém, o bicho não foi páreo para o poder da família de lunarianos, que ao unir seus corações em apenas um golpe mais forte, conseguiu derrotar Zeromus para todo o sempre, amém.

Jogabilidade[editar]

Fusoya fica apenas um curto período no grupo dos mocinhos, e apenas porque era obrigado a isso, já que era sua responsabilidade colocar seus conterrâneos na linha quando eles fizessem merda, especialmente uma merda que iria colocar em risco a humanidade.

Apesar de ser um velho de pau mole, além de frágil com seus ossos pobres em cálcio, Fusoya é um dos magos negros mais poderosos do jogo, em seus mais de 1000 anos de vida, ele aprendeu as mais diversas magias de destruição em massa, e seu poder mágico é maior que o da maga negra mais forte que integrava o grupo dos protagonistas até então, Rydia da Névoa. Além disso, ele é capaz de fazer o papel de sacerdote, pois também conhece os segredos das artes das curas e dos suportes, porém neste quesito Rosa continua sendo mais eficaz, pois balança os peitões ao conjurar suas magias, aumentando a moral da equipe.

Assim sendo, e considerando que os ataques físicos e a defesa dele são pífias, é necessário colocar essa antiguidade na linha de trás do grupo, e deixá-lo conjurando suas artes das trevas em paz, enquanto que algum outro personagem mais tank, como o seu próprio sobrinho Cecil, lhe dê cobertura e garanta que ele não morra após levar uma única esporrada de um monstro qualquer aleatório.