Golbez

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Godinez, o Homem de Preto


Golbez 4.jpg
Nome Completo Theodoro
Classe Mestre dos Magos
Terra Natal Puta que Pariu, Minas Gerais
Parceiros Cagnazzo
Scarmiglione
Rubicante
Barbariccia
Parentes Cecil Harvey (irmão afeminado)
FuSoYa (tio que comanda a churrasqueira nas confraternizações familiares)
Inimigos Cecil Harvey
Humanidade
Equipamento Preferido Armadura de ébano, e apenas isso
Habilidades Risada diabólica
Conjurar um monte de merda nos inimigos

Golbez (ゴルベーザ no Japão), nome de guerra de Theodoro, o parceiro de Sampaio, é o principal vilão de Final Fantasy IV, pelo menos até os 45 do segundo tempo, quando é revelado que fomos ludibriados o jogo inteiro, e que o verdadeiro vilão fdp por trás das desgraças todas pelas quais passam os protagonistas é Zemus, um lunático, que tava controlando a mente de Golbez através das técnicas aprendidas na escolinha do Fabio Puentes.

No fim, apesar de ter matado metade dos bonecos do jogo, causando um déficit populacional global, por ser apenas uma marionete nas mãos de uma força superior, Golbez é perdoado, e passa a viver alegre e serelepe pelos campos do reino de Baron, cantarolando músicas alegres com o seu irmão perdido, Cecil. Bom, não, na verdade, ele é um bosta que passa a maior parte do tempo em reclusão, e fica se auto-flagelando em seu quarto escuro para ver se consegue esquecer de seu passado sombrio. Seu único objetivo na vida é redimir-se de seus pecados, o que procura fazer em Final Fantasy IV: The After Years.

Vida[editar]

Na companhia de seus parceiros demônios elementais, sendo consolado após perder uma partida de truco valido o toba pro Rambo.

Apesar de não parecer, Theodoro nasceu neste planeta mesmo, alguns anos antes de seu irmão mimado, Cecil. Filho de um cara que veio da Lua com uma terráquea gostosa de peitos grandes, sendo um mestiço, logo em seus primeiros ânus de vida, o pequeno Theodor já demonstrava um controle sobre as magias elementais acima da média, podendo lançar bolas de fogo e explodir os amiguinhos que não emprestavam os caminhõezinhos para ele brincar.

Assim que Theodor completou seus 9 anos, seus pais esqueceram-se de pegar camisinhas da "vista-se" no posto de saúde mais próximo, e Cecilia engravidou novamente, parindo, nove meses depois, seu segundo filho, Cecil. Não guentando a passagem da cabeça oblongamente grande da criança pelo canal de sua boceta, Cecilia morreu de morte morrida. Para piorar a situação, o pai de Theodor e Cecil foi encontrado morto chupando o próprio pau, deixando assim os dois órfãos.

Agora com a responsabilidade pelo seu irmão, Theodor tomou a atitude mais sensata, não querendo criar o filho dos outros, ele abandonou seu irmão na frente de um castelo luxuoso, esperando que o bebê conseguisse sobreviver ao ser adotado por alguém de lá e futuramente ganhasse a vida sendo um escravo sexual de seu rei. Não possuindo mais responsabilidade sobre ninguém, Theodor passou a viver como um andarilho, pedindo esmolas nas cidades mais movimentadas do reino e comemorando quando ganhava um pacote de bolachas dormidas de alguma velha piedosa.

Passados alguns anos nesta miséria, Theodor uniu-se a um grupo de mercenários, e passou a ganhar a vida cometendo pequenos delitos, matando pessoas, chupando paus, enfim, qualquer coisa que os contratantes o mandassem fazer. Estando no meio de alguns grandes guerreiros, Theodor passou a trocar boquetes por treinamentos com os melhores, conseguindo assim, em poucos meses, aprender muito sobre a arte da guerra, como os conceitos de estratégia, visão a longo prazo, aprendeu a manejar devidamente lanças, espadas, escudos, vibradores, etc. Só que o mais importante é que, após treinar por alguns dias com um mago pederasta, Theodor aprendeu a canalizar os poderes elementais com precisão, e descobriu o seu verdadeiro potencial. Após isso, ele matou seu instrutor, assim como todos os seus ex-companheiros mercenários, pois ninguém deveria saber de seu passado obscuro na teta da viadagem.

Alegrando-se com a escuridão presente no jovem, um habitante da Lua, denominado Zemus, acreditou no potencial do garoto para usar a risada diabólica, e passou a controlar a mente dele, para que assim ele executasse os seus planos malignos e afundasse o mundo em trevas e caos, o fetiche de qualquer vilão que se preze. O primeiro passo seria amassar, torturar, esfolar e estuprar, não necessariamente nesta ordem, Cecil, pois como ele também possui sangue de lunariano correndo em suas veias, ele poderia vir a ser uma ameaça, se aprendesse a usar devidamente seus poderes purpurinados fashions do Clube das Winx que fazem o mal evaporar.

Mas antes de começar a tocar o terror, Theodor precisava de um nome de guerra, pois "Theodor" não é um nome forte, de impacto para um vilão que deveria destruir a humanidade. Então, após pensar por alguns instantes, e consultar aqueles livrinhos fuleiros com nomes de bebês, Zemus decidiu batizar sua mais nova marionete com o nome de "Golbez", que é quase tão bosta quanto Theodoro, digassi di passagi.

Agora com um nome bom, na verdade bem mais ou menos, Golbez passou a percorrer o mundo em busca de aliados, o que era difícil, visto que ninguém queria sujar a própria imagem ao unir forças com este idiota. Os únicos que aceitaram o salário oferecido por Golbez foram os quatro demônios elementais, Cagnazzo, Barbariccia, Rubicante e Scarmiglione, na verdade eles nem aceitaram a porra do emprego de lacaios do mal pelo salário, o que eles queriam mesmo era queimar o planeta e comer os humanos com batatas no jantar.

Assinados os contratos com os seus lacaios demônios, o último passo para finalizar os preparativos para a dominação mundial era arrumar um esconderijo, pois qualquer vilão decente possui um bom esconderijo. Após muitas pesquisas e intimidações, Golbez finalmente encontra a Torre de Babel, um lugar bem mofado, escuro e frio, cujo aluguel era bem barato, e por isso era perfeito para servir como sua base de operações. Após botar os seus móveis pretos por lá, pois vilão bom só usa preto, Golbez finalmente põe o seu primeiro plano em prática, que consiste em assumir o controle do reino de Baron, o mesmo no qual ele abandonou seu irmão cabeçudo anos atrás, fazendo isso assassinando o velho rei e fazendo com que Cagnazzo se disfarce de sua majestade, como se ninguém percebesse que um velho reumático agora era uma tartaruga azul com sete metros de altura. Pior que deu certo mesmo, e assim, agora Baron estava sob o controle de Golbez, e ele podia passar para a próxima etapa do seu plano maligno.

Ascensão e Queda[editar]

Golbez canalizando todo o seu poder mágico para enfrentar uma bunda.

Agora como um governante de um império inteiro, mexendo o pauzinho por detrás das cortinas, Golbez passou a pensar em várias falcatruas para reunir os cristais elementais, pois, de acordo com uma antiga profecia chinesa furada, aquele que os reunisse conseguiria o poder para desestabilizar o mundo e destruí-lo por completo, não precisando da ajuda de um meteoro. Botando todas as canoas voadoras e soldados para varrer o mundo em busca desses cristais, não hesitando em ordenar que seus machos até botassem fogo na Babilônia, para garantir que os macumbeiros invocadores que lá viviam não iriam atrapalhar os seus planos diabólicos.

Entre uma busca e outra, Golbez levou uma prensa de Tellah, um velho satanista que estava querendo vingar a sua filha, que morreu quando o protagonista deste artigo enviou suas canoas voadoras para bombardear o reino de Mysidia e afanar o cristal que lá estava. Golbez até tentou explicar para o vovô que aquilo foi um acidente de trabalho, e que o sacrifício dela foi necessário para que o seu senhor conseguisse a destruição mundial, mas Tellah não quis nem saber de conversa, e foi logo conjurando vários meteoros, que ao se chocarem com Golbez, lhe renderam uma bela dor de cabeça, além de tripas inflamadas. Mas quem levou a pior mesmo foi o velho, que morreu por ter conjurado uma magia que custa 99 de mana tendo apenas 90 a disposição. Bom, um verme insolente a menos.

Percebendo que os seus soldados são incompetentes, e estavam demorando demais para roubar todos os cristais do planeta, Golbez decidiu apelar, e passou a controlar a mente de Kain Highwind, mandando-o para confrontar os protagonistas várias vezes, pois sabia que Cecil não poderia matar o seu melhor amigo e amor secreto. Apesar de não ser grande coisa, Kain, com suas maquinações, deu uma puta ajuda para Golbez, que unindo isso com suas costumeiras manipulações, intimidações e assassinatos, conseguiu, enfim, juntar todos os cristais, e com o poder adquirido, invocar o Gigante de Babel, um puta grandalhão feio de aço e energia arcana, uma versão beta do Megazord, que estava programado para destruir qualquer coisa que aparecesse em sua frente.

Golbez sem seu capacete, pronto pra usar o controle de mentes em vermes insolentes como você.

Apesar de estar no comando do flagelo da humanidade, pior do que o próprio Átila, Golbez pecou pela sua própria incompetência, como não protegeu devidamente sua criatura, nem matou os seus opositores, ele foi obrigado a ver o Megazord pifar e parar de funcionar, após a explosão de seu núcleo causada pelos ataques persistentes dos herois secundários sem importância. Para piorar, as drogas que ele usou pela manhã começaram a fazer efeito, e ele viu um velho descer do céu envolto em uma luz branca e dizer que o que ele estava fazendo era mó ideia errada. Não querendo contradizer Jesus, que atendia no momento pelo nome de FuSoYa, Golbez parou de pilotar o Gigante de Babel, e acompanhou o barbudo até os céus, onde deveria cumprir sua missão de redenção, matando o verdadeiro vilão da porra toda, um lunático chamado Zemus.

Ao chegar na superfície lunar, Golbez finalmente encontrou o cara que tava usando ele como uma marionete de carne, e para vingar-se, conjurou várias magias básicas em seu oponente, mas nenhuma delas fez muito estrago, na verdade, elas nem arranharam o vilão. Percebendo que seu sobrinho estava levando a pior, pois era um macumbeiro inexperiente, FuSoYa começou a fazer vários truques de mágica também, e a mistura dos seus poderes com os de seu sobrinho, por incrível que pareça, funcionou, e Zemus foi derrotado para sempre, ou não.

A partir do corpo morto, podre e com cheiro de bacalhau de Zemus, emergiu uma nova criatura, um espírito alimentado pelo ódio dele, conhecida apenas como Zeromus. Apesar das tentativas, Golbez e seu tio engraçadão não conseguiram nem arranhar seu oponente, e tomaram no cu bem bonito, levando um Ataque Big-Bang a queima roupa, morrendo na hora, ou não. No fim, a tarefa de parar os planos malignos do vilão acabou ficando para os protagonistas da porra toda mesmo, Cecil e seu bonde do mal, que obtiveram êxito em sua missão, já que são os protagonistas, e falhar não é uma opção pra eles.

Retorno[editar]

Após apanhar mais que mulher de traficante pra Zeromus, Golbez voltou para o reino de Baron, onde suas feridas foram curadas por fadinhas da bondade e do amor, lideradas pela maga branca Rosa, sua cunhada gostosa. Para não precisar pagar pelos crimes cometidos, especialmente pelo assassinato de mais da metade dos bonecos do planeta, Golbez alegou doença mental no tribunal, e passou a viver trancado em seu quarto no castelo de Baron, cortando os pulsos e imitando o Cristóvão Colombo quando alguém aparecia.

Para não ficar em inatividade completa, após alguns meses de reclusão completa, recebendo comida por debaixo da porta, Golbez finalmente saiu de seu quarto, e passou a ocupar o seu tempo investigando algumas lendas urbanas estranhas contadas pelo reino, em especial a de uma menina misteriosa que vagava por aí e conseguia controlar o coração dos homens. Por entender de manipulação de mentes e de corações, Golbez pesquisou estes boatos a fundo, até que finalmente encontrou uma coisa, algo que na verdade nem queria ter encontrado, que é mais uma pessoa que consegue mesmo dominar as mentes dos humanos e corrompê-los com o poder das trevas, pra variar.