Gralha Azul (lenda)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
A Gralha azul também dedica-se a atividade esportiva algumas vezes.

Originária da região Sul do país, a Lenda da Gralha Azul é uma lenda tipicamente viadinha, bem como a maioria dos seus habitantes que tem pinto. Pela falta de criatividade e por não ter mais o que fazer além de observar pássaros espalhando semente por onde passam, essa lenda não é tão conhecida, nem mesmo pelos maiores inventores de lendas do Brasil: os índios.

Lenda[editar]

Dizem que a Gralha Azul é um pássaro agrônomo e muito chapado já que ele nunca lembra onde plantou as sementes que roubou de outros passarinhos. Dizem que ela é tipo a formiga, só que um pouco distorcida, já que a formiga armazena mantimentos para o inverno com toda a agilidade e perfeição, já a gralha é uma louca que não sabe onde plantou e depois faz confusão com os vizinhos dizendo que foi roubada e que vai chamar a polícia.

Para terem uma razão pra devastar e cortar fora todos os pinheiros da região, os lenhadores dizem que a Gralha sempre planta novos pinheiros, e toda vez que um pinheiro é cortado, outros três estão sendo plantados por esse pássaro. Só não se sabe ao certo aonde ela planta, mas que ela planta ela planta, e ponto final.

Por esse motivo, é proibido matar esse pássaro, já que ele é quem cuida dos pinheiros da região Sul. Diz a lenda que a Gralha azul apareceu pra um caçador de moscas, enquanto este devastava a floresta com sua máquina de matar árvores. Ao avistar um bando de gralhas azuis, ele não hesitou, e antes de pegar sua arma, pegou um cachimbo com muita erva e acendeu, visto que este era o seu ritual antes de caçar. Ao disparar, ele sem querer desequilibrou-se, e caiu de cara no chão, desacordado. Um pouco antes de despertar, ele afirma ter sido visitada pela gralha azul que foi atingida pelo tiro de sua arma. Após uma conversa, uns goles de café e alguns biscoitos, ele disse que a gralha se ensinou muita coisa, inclusive como ser um bom homem e proteger a mata, antes que o curupira soubesse.

Mas ninguém acreditou nesse papo furado, e a lenda foi esquecida por todos, até mesmo pelo homem que diz ter conversado com a gralha, visto que seis meses após o ocorrido, ele estava lá caçando novamente.

Ver também[editar]