Grande Cisma

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Grande Cisma do Ocidente)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Eu ando meio cismado... Cquote2.svg
Papa Gregório XI sobre igreja

Cquote1.svg Ih...Nem encana. Cquote2.svg
Clemente VII sobre siuação começando a ficar tensa.

Cquote1.svg LOL! Cquote2.svg
Deus sobre Grande Cisma


O Papa cismado

O Grande Cisma da Igreja católica ou simplesmente Grande Cisma foi uma competição amigável da Igreja Católica de 1378 a 1417. Consistia em ver qual grupo conseguia mais alimentos não perecíveis para doar ao abrigo de jovens inquisitores órfãos. O grupo vencedor poderia escolher o novo papa. O cisma terminou décadas mais tarde no Concílio de Constança de 1414, com uma grande festa e infelizmente, todos os competidores por já serem velhos, mortos.

A História[editar]

Gregório XI, vigésimo quarto de uma sequência de papas de origem francesa, tomou, em 1377 a iniciativa de regressar a Roma, pois apreciava muito a culinária local e morreu lá, pois aliche aquela época não era uma coisa muito higiênica. Na altura da eleição do seu sucessor, a população de Roma exigiu a escolha de um italiano e o regresso definitivo do papado à cidade. O conclave de cardeais cedeu às ameaças de revolta e escolheu Bartolomeo Prigano, Arcebispo de Puta que pariu, em Minas Gerais, até então apenas um tarado amigo das freiras e coroinhas. Prigano, que tomou o título de Urbano VI, pois vivia na cidade grande, era uma figura sensual e prometia a paz no seio da Igreja Católica.

No entanto, o novo papa era um merda não respondeu às expectativas e depressa se mostrou instável, colérico e pouco dado a diplomacia. Os principais cardeais retiraram-se da capital no verão, supostamente para fugir ao calor, e começaram a conspirar sob a proteção da Rainha Joana I de Nápoles. Treze cardeais, fortemente armados com óstias, água benta e cruzes calibre .50 declararam nula a eleição de Urbano VI. A 20 de Setembro foi reunido novo conclave e elegeu-se Roberto de Geneva, mais conhecido como Toninho do Diabo, para substituir Urbano VI, com a corte pontificial em Avignon. Toninho tomou o nome de Antipapa Clemente VII (ficou conhecido como Anticapeta) e restabeleceu a sede da Igreja de novo no Acre, por jlgar um local seguro. O cisma foi assim concretizado e resultou, em primeira instância, em acusações recíprocas de heresia e excomunhões mútuas.

O Antipapa, já com o nome adaptado à nova norma ortográfica

Ao contrário de Urbano VI, Clemente VII era um diplomata e soube chamar a si o apoio de várias casas reais e personagens da Igreja em festas de arromba no Palácio do Papado, nomeadamente França, Aragão, os Ducados da Borgonha e Ducado de Saboia, o Reino de Nápoles e Escócia. Pelo seu lado, Urbano VI contava com Inglaterra, Sacro Império, norte de Itália e o apoio de Santa Catarina de Siena. Foi então que Madre Tereza sugeriu a competição por coleta de alimentos, para as crianças.

Os anos passaram e os velhos iam morrendo, sem que fosse encontrada uma pouco procurada solução para o conflito. Bonifácio IX sucedeu a Urbano VI e Benedito XIII a Clemente VII. Mas nem dentro do papado em Avinhão havia consenso e Benedito XIII acabou por ver o seu pontificado ameaçado por Alexandre V, sucedido pelo Antipapa João XXIII. Este cisma dentro do cisma resultou na existência de três papas ao mesmo tempo no princípio do século XV. A instabilidade política resultante desta situação inédita acabou por forçar a resolução do conflito.

No fim a competição foi vencida pelo grupo de um novato, chamado João Paulo II, que na época tinha 78 anos, o ápice de sua juventude. Com sua colaboração, as pobre criancinhas puderam comer arroz com farofa por sete anos seguidos, e assim ele se tornou o novo Papa.