Gujarate (estado)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Gujarate é um território separatista do Paquistão da Índia sendo considerado tipo o Acre da Índia, mas com 50 milhões de habitantes.

História[editar]

Gujarate, lar das melhores praias da Índia, acredite!

Os primórdios deste magnífico território datam da época da florescente Civilização do Vale do Indo, os fundadores do Paquistão, logo Gujarate é inicialmente e originalmente um estado paquistanês.

Mas o povo local foi perdendo a macheza típica de um bom muçulmano barbudo, assumindo mais a forma de dançarinas de ula-ula com um alvo colado na testa (onde os homens devem acertar suas gozadas), esses novos indianos eram chamados de chalukyas, cuja história é tão medíocre que dá até vergonha alheia de narrar.

No século XII os muçulmanos voltam, mas dessa vez com bombas nucleares, mas infelizmente só uma meia-dúzia delas, então tiveram que decidir qual território tornar litigioso, os portos decadentes com cheiro de peixe podre de Gujarate ou os campos semi-elíseos floridos da Caxemira? Ficaram com a segunda opção, para azar da Índia.

Passaram por Gujarate portugueses e britânicos, os britânicos mais espertos apenas pegaram uma pimentinha, um sal grosso, um tempero sazom e foram embora sem nem pagar, enquanto os portugueses torraram a maior grana construindo fortalezas, portos de última geração e restaurantes de bacalhau.

Geografia[editar]

Monções, chuva todo dia, alagamentos, essas coisas.

Economia[editar]

O estado de Gujarate tem sua economia centrada no seu poder portuário de muambar para o resto do mundo todo tipo de indigência encontrada na Índia. O estado é também o segundo mais industrializado do país, sendo o lar das maiores fábricas de cadarços de toda Ásia.

Também destaca-se na exportação de AK-47 contrabandeadas para o Paquistão.

Língua[editar]

Em Gujarate, o seu povo fala a língua gujarate, uma espécie de hindi misturado com árabe urdu, para que os habitantes locais não sejam odiados nem por paquistaneses nem pelos outros indianos.