Guru

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png O burro vem antes. Cquote2.png
Mestre Linguiça passando sabedoria de que o Chaves deve sempre ir na frente.

Muitos gurus chamam a cobra, mas apenas alguns se entendem com ela depois.

Guru era pra se uma espécie de mestre, a qual não falaria para seus discípulos fazerem nenhuma bobagem, como por exemplo um Buda, ou alguém que segue isso há muito tempo, como um monge. O guru apesar de muita sabedoria acumulada e evitar a todo custo abrir a boca para falar bobagens, pode muitas vezes dar uma diretriz para seus aprendizes, que podem ter nele confiança, mas sempre ser estimulados a ter suas próprias convicções e usar esse côco verde para aprender com a própria experiência e observações... Até aí tudo certo, mas para saber de onde se desenvolvem certas bostas(não é de algum cu), continue a leitura enriquecedora.

Qualquer coisa[editar]

Guru à instantes da ascensão.

A grande merda, principalmente e sobretudo no ocidente é que, uma característica de guru, com a qual os gurus verdadeiros têm a maior cautela, que é os discípulos levarem a ferro e fogo tudo o que eles dizem, qualquer um que tenha algum conhecimento(10% já serve) sobre algo e fale com convicção(por mais que fale merda), pode ter. Algumas vezes é culpa dele, outras vezes é culpa mais das amebas que seguem tudo que ele diz.

O guru de amebas se torna guru, para eles no sentido de que tudo que ele disser é a verdade total e absoluta e não querem mais saber se alguém diz o contrário, ou nem isso, se alguém apenas quer acrescentar mais informação ao que foi dito pelo mestre deles. Isso só poderia acontecer mesmo no Ocidente, ou então no Oriente médio, onde o Q.I. é menor. A testosterona e muitas vezes o bigolinho também é menor, mas eles jamais admitem isso e mesmo quando o bigolinho não é tão pequeno, eles não tem testosterona suficiente para usar bem, menos ainda sabem como usar direito, mas é claro: Se acham muito mais foda que qualquer nipônico.

Guru após guiar seus aprendizes ao caminho da alumiação.

Uma ameba que se acha inteligente, jamais o será, ou vai demorar cem anos para ter um pouco de sabedoria, mas nesses caso, poucos têm tanta longevidade. O guru, pior ainda quando se trata de um líder religioso, esses são os piores deles, pois eles mesmos acham que são a voz de deus na Terra, assim nem é preciso que haja muitas amebas entre seus fiéis, eles mesmos se acham a voz da revelação e acham que tudo que dizem é inspiração divina.

Outros não têm tanta culpa, adquiriram um certo grau de conhecimento e podem até ter cero grau de jactância, mas não são ignorantes o suficiente para continuar insistindo em um erro que já tenham percebido, quando muito tentam justificar(estou falando dele mesmo. Nesse caso, por algumas de suas ideias serem muito apreciadas, são alguns dos seus discípulos que são amebas humanas(mais amebas do que humanos), costumam querer defender até mesmo quando o próprio guru já deixou claro que não quis dizer aquilo, percebendo que esgurmitou ao invés de falar.

Gurus verdadeiros dando à luz[editar]

Um discípulo após finalmente conseguir hipnotizar a cobra.

A maioria deles são homens, talvez não por machismo, mas por questão da maternidade das muié mesmo, embora nenhum dos gurus homens tenham dado à luz nenhuma criança ao modo uterino, mas eles conseguem dar alguma sabedoria á pessoas de qualquer idade.

Eles, em geral falam bem menos do que os mestres ocidentais e do Oriente médio. Eles, bem por isso, costumam ao falar ter mesmo mais sabedoria, sabem mais o que falam, mas assim mesmo sempre se preocupam em deixar claro que os discípulos observem por si mesmo, não tendo eles como deuses e verdade absoluta, já que eles mesmos, ainda que tenham cem anos de vida, sendo noventa à caminho da sabedoria, se dizem ainda à caminho da iluminação.

Cada um escolhe os lugares que quiser para seu retiro espiritual.

Um guru verdadeiro deve sempre mostrar humildade e, ainda passar aos discípulos confiança em si mesmos mais do que no que ele mesmo diz, embora sejam palavras que possam ajudar seus aprendizes, ou seja, se eles decidirem comer bosta, o mestre pode dizer e explicar tudo de ruim que poderia acontecer, mas sempre deixando claro que a decisão é do discípulo ao menos aprenda com a experiência saborosa.

Ver também, se quiser[editar]