Haifa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Israel.svg.png
Oy vey! Este Artigo é Israelita!

E gosta de assistir os filmes da Natalie Portman e cineastas judeus...
E não gostou do filme "Munique" do Steven Spielberg

ForçasEspeciaisIsraelComPalestino.JPG
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Já comi Cquote2.png
Egípcios, árabes, romanos e mais uma centena de povos sobre Haifa
Cquote1.png A cidade fica dentro do porto Cquote2.png
Alguém sobre Haifa

Haifa é uma das maiores cidades de Israel, incluindo terroristas árabes, judeus, agentes da Mossad e pessoas que estão de passagem. No questio população, só perde para Tel-Aviv, lugar que serve para espremer pessoas, e Jerusalém, apesar desse local não pertencer a Israel, pois está em fase de conquista. Essa cidade tem um porto, por isso é um dos poucos lugares aonde se vê água no Oriente Médio, mesmo salgada e cheia de vazamento dos navios. Está construída atrás de uma montanha para se proteger de possíveis ataques do Hesbolá Hezbollá algo assim.

Em Haifa, pode-se falar com segurança que a cidade fica no porto, e o porto não fica na cidade. Ela foi dominada por tanta gente que falar os nomes de todos os povos que dominaram essa cidade demoraria muito tempo. Essa variedade de dominadores obriga as escolas a não falarem em que país fica Haifa, pois logo essa informação ficará desatualizada. No momento ela pertence a Israel. Por causa do desconhecimento das fronteiras nessa região, tanto judeus como árabes vivem lá, causando um risco de guerra iminente.

História[editar]

Um barco do porto de Haifa depois da tempestade de areia. Ele estava navegando no momento da tempestade.

A pronúncia correta do nome Haifa até hoje não foi definida. Por isso qualquer coisa que sair da sua boca serve para se referir a Haifa. Esse nome vem do latim, do árabe, do aramaico, do inglês, do francês e de metade das línguas universais. Há um consenso mundial que Haifa significa porto. Isso não é por acaso. Desde que pessoas chegaram na região sem domínio definido Haifa era um porto. Algo perfeitamente explicável no Oriente Médio devido a presença única de areia e petróleo.

No Oriente Médio, só existe areia, Sol e morte. Se guiar num lugar desses é impossível, imagina sobreviver. Quando começou a chegar pessoas lá, não havia comida enlatada, GPS, jatinhos ou qualquer coisa que pudesse ajudar a se orientar. Só sobrou perto do mar como lugar aonde havia chance de sobrevivência. Então fundaram um porto para pescar, comer os peixes e na próxima oportunidade fugir do deserto para um lugar melhor. Não havia materiais disponíveis para a construção de um barco capaz de viajar longas distâncias e nadar seria igual à morte, então ficaram por lá mesmo.

Com a intensificação do aquecimento global, ocorreu mais tempestades de areia. As dunas, de saco cheio dessas tempestades, mudaram-se para Haifa, trazendo muita...areia. E muita confusão. Antes que suas roupas de baixo ficassem lotadas de grãos amarelos, e com a ajuda de um novo equipamento importado que serve como guindaste de potência acima do normal, transportaram os prédios para outro local. Seu porto ficou pela primeira vez conhecido numa história infantil parecida com Procurando Nemo, aonde um peixe foi pescado, levado ao porto de Haifa (tinha que ter esse porto no meio) e consequentemente comido, para a tristeza das gurias retardadas.

Troca de chefia[editar]

Mesmo com todos esses anos, Haifa continua um lugar muito bem preservado.

Durante milhares de anos, Haifa parece que nunca se acostumou cm um governante. Toda hora troca o país que controla a região. Como o porto era uma porcaria, provavelmente o interesse nessa cidade era porque a antiga Haifa ficava (na parte terrestre) em cima de um cemitério. Um grande cemitério, perfeito para os filmes de terror. As nações pretendiam usar o cemitério para fazer filmes de horror e lucrar. Também havia o interesse de criar zumbis ultrafortes capazes de formar um exército quase invencível, podendo dominar 3 territórios a seu interesse.

Primeiro foram os romanos, bizantinos ou sei lá o que. No governo deles, a cidade ficou na mesmice e porcaria nenhuma aconteceu de diferente. Até que os árabes chegaram. Usando um manual de como investir, perceberam que aquele maldito monte de areia inútil ao redor podia ter uma utilidade. Então compraram máquinas escavadeiras e escavaram todo o redor da zona urbana, e o redor virou uma depressão. Com toneladas de areia, a exportaram pelo porto para ser usada na construção de praias artificiais por outros países, uma atividade lucrativa.

Mas chegaram os cristãos. Na época a Igreja era mais burocrática que o Brasil, e proibia um monte de negócios financeiros, tirando coisas relacionadas ao cristianismo. Como não podiam fazer porcaria nenhuma que desse dinheiro, simplesmente resolveram ir embora. Para a ida até lá tivesse algum sentido, fizeram um dia aonde estava tudo liberado, incluindo saques e vandalismos para se divertirem. No dia seguinte a cidade estava totalmente fodida arrasada. Isso desapontou a fúria nos árabes, que revidaram nesse dia as besteiras que os caras fizeram.

Demografia e geografia[editar]

A cidade de Haifa e seus contêineres prédios.

Hoje, Haifa tem 263.502,5465364828 habitante, contando turistas, pessoas sem alguma parte do corpo (por isso o número com vírgula), etc. A maior parte desses são israelense (uau!!). Uma menor parte é de árabes, alguns são agentes infiltrados preparando o terreno para um ataque revanche contra os judeus. Devido à grande quantidade de alisos com alta qualidade no atendimento, muitos idosos habitam Haifa. Os mais jovens, fugindo da escola e do trabalho, foram em direção ao deserto participar de festivais com peiote.

Haifa fica perto da principal estrada no mundo, dando o direito de possuir parte das ações do pedágio dessa estrada, junto mais um monte de países, e um dos motivos das guerras lá é a tentativa de posse das ações dos outros "sócios". O clima é seco, mais máquinas que soltam jatos para o alto da água oceânica periodicamente amenizam o problema.

Os Locais Sagrados de Bahá’i[editar]

O sagrado Templo do Bob Esponja.

Os locais sagrados da fé Bahá’i são vários prédios que a UNESCO proibiu de explodirem por serem sagrados a uma religião que ninguém conhece, apesar dos seus inúmeros adeptos:

  • Santuário de Báb - Sabe aquele hit que diz que o califa não gosta de rock na casbah? Ele surgiu quando o guro sexual Báb inventou a Bahá’i, que entre várias coisas legais e divertidas, pregava que guerras não é uma coisa legal, sendo esta uma doutrina inétida e única em todo Oriente Médio. Depois que esse tio morreu, seu filho mandou construir esse santuário para enterrá-lo, mas o santuário foi terminado apenas por seu neto, já que ele foi construído por pedreiros baianos. Atualmente é o segundo local mais sagrado da fé Bahá'i, atrás apenas dos respectivos banheiros de cada um dos seguidores dessa fé.
  • Santuário de `Abdu'l-Bahá - Santuário que `Abdu'l-Bahá (o filho de Bahá'u'lláh) mandou construir para que fosse ele enterrado ali após morto, por algum motivo `Abdu'l-Bahá achou que o pai estava copiando os faraós egípcios, mas no lugar de pirâmides estava construindo prédios brancos maneiros.
  • Arco - Um complexo labiríntico que abriga os principais prédios da Fé Bahá'i. Entre eles a Casa Universal de Justiça onde é feita a justiça divina com os pecadores que foram flagrados se masturbando; o Edifício do Centro Internacional de Ensino onde os novatos da crença aprendem a como detectar e driblar minas terrestres e local onde são formados os futuros escoteiros bahá'i; o Edifício do Arquivo Internacional, onde é guardado um gigante acervo de livros de todas religiões da existência, desde satanismo e macumba à mitologia queniana e haruísmo; e o Centro de Estudos de Textos Sagrados onde Robert Langdon estuda.
  • Jardins dos Monumentos - Várias estátuas que ninguém sabe do que é espalhadas pelos jardins da cidade.
  • Patamares - Uns terraços bem conservados onde são alocados os atiradores snipper para cuidarem da cidade.
  • Centro de Visitações - Local onde o povo aprende Krav Maga.
  • Casa de `Abdu'l-Bahá - Espécie de Casa da Mãe Joana que todo mundo em Haifa visita e conhece.
  • Casas dos Peregrinos - Um conjunto de hotéis e moteis de 3 a 5 estrelas, Casa Original dos Peregrinos do Ocidente com vista para o mar, a Segunda Casa dos Peregrinos do Ocidente no centro da cidade, a Casa dos Peregrinos do Oriente com vista para o deserto e o Centro de Recepção dos Peregrinos com vista para um ringue de lutas femininas na lama.
  • Túmulo de Amatu'l-Bahá Rúhíyyih Khanum - Uma pedra pela cidade lá é o túmulo desse cara. Diz a lenda que aquele que conseguir soletrar e pronunciar "Amatu'l-Bahá Rúhíyyih Khanum" enquanto come um prato de farofa pulando numa perna só na frente de seu túmulo ganhará 7 virgens adicionais no paraíso.