Hail to the King

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa03.jpg Este artigo trata de um álbum

E com certeza tem uma cópia pirata no camelô da esquina.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Emblem-sound.svg.png Hail to the King
Avenged Sevenfold
Hail-to-the-king-capa.jpg
Capa
Lançamento 2013
Produtora Warner Bros. Records
Tipo Emocore,Plágiocore,Heavy metal
Featuring -
Duração 66:06 +++
Album Anterior: Nightmare
Album Seguinte: Só Odin sabe


Cquote1.png É tudo culpa daquele fantoche illuminati filho da puta do Obama Cquote2.png
Dave Mustaine sobre plagio Heretic
Hail Hitler to The King é o sexto álbum da boy band de Emo Metal Avenged Sevenfold. É o primeiro álbum sem o baterista O Revo que partiu pro andar de cima(ou o de baixo). O baterista que gravou nesse álbum é o Arin Ilejay e não o Severino das Baterias como muitos posers pensam

Esse álbum foi produzido pelo Mike Elizondo que também produziu o Nightmare, porém há polêmica de que o álbum na verdade tenha sido produzido pelo Latino


Desenvolvimento[editar]

Em 2009 o baterista The Rev partiu dessa pra melhor e no ano seguinte foi lançado o Nightmare em 2010 como um tributo ao baterista que contém o single do mesmo nome dessa forma agariando uma legião de fãs para a banda. Depois disso houve rumores de que a banda iria acabar, mas para tristeza dos tr00, a banda não acabou.

Em 2012 depois dessa viadagem de que sa banda continuava ou não, surgiram rumores que o Viado Sete Vezes estava pra gravar um novo álbum, fato que se confirmou no início de 2013 quando a banda entrou no estúdio para gravar um novo álbum.

Algumas canções desse álbum são easter-eggs do jogo Call of Duty, como forma de atrair fãs nerds e dessa fabricando mais ainda posers.

Depois de tanta frescura em 24 27 de agosto é apresentado ao mundo o Hail to The King vendendo nada mais de 0,00159 cópias em sua primeira semana, é com certeza um sucesso para entrar para o Anal da Fama do Rock and Roll. O álbum ainda liderou paradas em todo o mundo, inclusive no Brasil, o que prova que o álbum é um tremendo sucesso entre funkeiros, pagodeiros e fãs de Sertanejo Universitário

Controvérsias[editar]

Latino supostamente produzindo o novo álbum do Avenged Sevenfold

O guitarrista e vocalista Roube o Flynn, líder da Cabeça de Máquina acusou o A7x de estar copiando as músicas de outras bandas como Merdallica e Gays n' Posers, isso sustentou rumores de que na realidade foi o Latino que produziu o Hail to The King

Tracklist[editar]

1. "Enter Sandman" "Shepherd of Fire": a única diferença dessa bosta pra outra bosta é que nessa bosta eles bostejam sobre bostas satânicas ao invés de bostas de terror.

2. "Thunderstruck" "Hail to the King": música demente onde eles ficam se comendo e gritando "HAIL!" a cada enfiada.

3. "It's So Easy" "Doing Time": outra música demente, desta vez centrada em cachaça, drogas e putaria.

4. "Sad But True" "This Means War": puta que pariu esse álbum só tem música demente.

5. "Requiem": novamente deram uma de satanistas, so que dessa vez enfiando corais, orações e a porra toda no meio.

6. "Don't Cry" "Crimson Day": a música mais gay da banda, escrita por Mateus das Sombras enquanto chorava após descobrir que seu filho saiu do armário.

7. "Symphony Of Destruction" "Heretic": aqui o Mateus fica gritando que está sendo perseguido por ser gay.

8. "Coming Home": deram uma de Airon Meiden aqui, já revelando no título que é a jornada épica de comer homem.

9. "Planets": aqui parece que o álbum deixa de ser gay pra tornar-se semigay, pq essa porra de colisão de planeta é outra viadagem.

10. "Acid Rain": o álbum volta a ser gay aqui, onde termina com 1 minuto de chuvas de lágrimas após Mateus ser rejeitado pelo Sinistro.

Bônus

11. "Hail to the King (Vídeo clipe Bônus)"

12. "St. James (Faixa Bônus)"

Ver Também[editar]