Haze

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Haze é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, o seu Sim faz xixi nas calças.


Haze(PS3)
Haze cover.png

O jogo de tiro mais bugado que a Ubisoft

Informações
Desenvolvedor Free Radical Designer(O nome mais cagado pra uma empresa que produz jogos de tiro)
Publicador Ubisoft(Outra merda produzida)
Ano 2008
Gênero Jogo de tiro em primeira pessoa
Plataformas Playstation 3
Avaliação Uma merda
Idade para jogar +18(um monte de marmanjo bebendo até encher a cara, talvez seja por isso o +18)

Cquote1.png Isso era pra ser um jogo de tiro? Mas que merda... Cquote2.png
MrManPacster, youtuber da gringa sobre Haze
Cquote1.png MrManPacster, eu sei que te decepcionei com a produção desse jogo, pela jogabilidade e tal, mas... VAI JOGAR OUTRA COISA PORRA! Cquote2.png
Desenvolvedor de Haze, respondendo MrManPacster
Cquote1.png Vou ser sincero... esse jogo é uma bosta Cquote2.png
TechTudo sobre Haze

Haze é um tipo de CS GO Bugado, como um Superman 64 só que em versão de jogo de tiro e não de simulador de voar entre argolas, apenas mais outra porcaria da Ubisoft que serve apenas para causar ataque epilético, criado pela Free Radical Design (empresa de nome fodido que a Ubisoft decidiu aprovar pra fazer um jogo de tiro extremamente CAGADO).

Desenvolvimento[editar]

Você conhece a Ubisoft? Foram eles que já fizeram tudo que é de merda com outros jogos populares e muito bons por sinal, e não fariam diferente com Haze. Uma cagada que eles cometeram pra caralho foi de produzir o Assassin's Creed Unity, o Assassin's Creed mais cagado de todos, mas não iremos falar dele aqui, iremos falar de Haze.

Haze era, teoricamente, o jogo que prometia ir competir com Halo, em jogabilidade, enredo e estilo gráfico, só que acabou que essa merda não chegou nem perto da magnífica jogabilidade e crescimento de Halo.

Enfim, por falta de coisa o que fazer dentro do jogo, para encher linguiça foi introduzida incríveis cutscenes de caras bebendo cervejas num avião de guerra, no começo, no meio e no fim do jogo. A compatibilidade e jogabilidade do jogo é tão tosca que é boa. Tudo nesse jogo é uma porcaria menos os gráficos, o jogo impressiona de ter gráficos daquele estilo? Sim, mas impressiona também o fato desse jogo ser uma cagada suprema que a Ubisoft produziu, sério, a Ubisoft tem várias franquias de qualidade como Rayman, só que aí eles decidem fazer um jogo de primeira pessoa com mais de 30 minutos de caras bebendo no avião.

Enredo[editar]

Haze se concentra em torno dos soldados da Mantel Industies, uma organização militar tão genérica que deixa até os fãs de COD desconcertados, e sua batalha é "libertar" um país sul-americano não identificado das forças guerrilheiras da Promise Hand, liderada por Gabriel "Skincoat" Merino. Para enfrentar os narcotraficantes, a Mantel decide dopar seus soldados com uma droga ainda mais potente que os subprodutos de coca e maconha, para melhorar o desempenho de seus soldados, um componente denominado "Nectar".

É claro, logo se torna aparente que as tropas de Mantel são apenas um bando de homens imaturos movidos a testosterona, para quem a guerra é apenas um grande videogame, e a própria Mantel se demonstra uma corporação maligna cujas supostas razões humanitárias para intervir no país são apenas propaganda para encobrir seus motivos reais, que é meramente o de invadir e matar os povos indígenas locais exclusivamente apenas por serem malvados. O líder dsa facção adversária, Merino, revela-se um velho líder da seita do Santo Daime que, ao contrário da propaganda da Mantel, na verdade não come as pessoas e nem usa as suas peles. O personagem do jogador, o soldado genérico Shane Carpenter, acaba por desertar da Mantel e unir-se às FARC, trocando sua Power Armor aprimorada pelo Nectar para táticas guerrilheiras, como se fingir de morto, desarmar inimigos com ataques corpo a corpo e usar facas de Nectar e granadas de Nectar para causar overdose em soldados inimigos e deixá-los frenéticos com vontade de dar o cu a todo custo.

O enredo até que é bom, tirando a parte do enredo final, o que acontece no meio e o que acontece no começo. Apesar de não ter nenhum conflito difícil no game, aliás você mata geral com um tiro. Tem uma parte que é difícil e frustrante pra cacete. No chefe final, você passa horas e horas batalhando, certo? Após completar a luta finalmente, o jogador é morto na porra de uma armadilha de urso! Sim, você passou dias jogando essa merda para descobrir que você morre no final! E não só isso! O vilão que você matou ressuscita e mata todo o seu exército com uma granada atômica! E você perde todo o progresso que você fez do jogo do início até o fim! Nessa hora eu parei de foder o jogo com zoações e comecei a ficar muito puto.

A história do jogo é basicamente essa: você foi recrutado para um exército numa Terceira Guerra Mundial, você defende os Estados Unidos, você derrota todos os inimigos de cada país, ou seja, você é um homicida completo. Até que chega na parte final, você morre, fica puto e é isso. Até que analisando o enredo desse jeito ele parece uma bosta.

Jogabilidade[editar]

A jogabilidade, ou a falta de qualidade dele, é o que mais marca o jogo, porque a jogabilidade é realmente um dos pontos mais hilariantes desse jogo. Mecânica bugada onde você demora mais de 1 minuto pra carregar um tiro de munição e as armas são copiadas de um jogo muito melhor chamado Resident Evil 4, já jogou? Eles copiaram tudo que é arma de Resident Evil. E sabe quantas armas o seu personagem pode carregar, ele pode carregar apenas 2 armas! E o radar também é meio bosta, que te deixa muito baralhado e não tem nada a ver com o mapa.

O movimento truncado do personagem e os bugs são essenciais para você morrer nesse jogo. O seu personagem pode cair de superfícies com tranquilidade, e os bugs podem te fazer tanto quanto voar quanto descer para o submundo infinito. Isso mesmo, ou você morre porque atravessa o céu, ou você simplesmente cai da face da Terra e morre. As mecânicas também não ajudam muito, cada mecânica é mais bugada que a outra, jogar esse jogo é realmente uma tarefa impossível.

Há uma parte na gameplay, porém, que até que é bem divertida: os bugs. Tem horas que você controla uma pessoa normal com aparência simples, armadura, e aí alguns momentos depois você está controlando um careca sem capacete, que legal...

E para quem não entendeu como jogar, o Haze tem um tutorial... ESCONDIDO! E esse tutorial escondido é mais difícil que várias fases importantes do jogo! No tutorial seus inimigos não morrem com um tiro, e eles tem o power up aumentado pra 40%!

A presença de alguns bugs automáticos em fases específicas e outro fator peculiar e único do jogo! Pois é, você não ouviu errado, os produtores do jogo incluíram bugs permanentes em fases específicas!

A tela do jogo também se mostra bem criativa, com uma screenshot do SEU personagem tirando o capacete com um grito um tanto quanto estranho e peculiar, já que ele não está sangrando.

DLC[editar]

Sim, por incrível que pareça, existe DLC disso. Antes você só podia controlar uma skin que tinha a maior parte do capacete amarela, agora o capacete é todo preto, e é só isso a porra da DLC, e você paga mais de 15 reais por um capacete preto! Nem a Capcom é tão cretina assim.

Personagens[editar]

Os personagens são definitivamente cada um mais tosco que o outro. Nenhum faz sentido. Vai desde um negão até um careca feio pra caralho:

  • Morgan Duvall: O sargento negão que é o responsável por toda a merda que acontece no jogo.
  • Shane Carpenter: O protagonista que tem o poder do protagonismo, e só isso.
  • Gabriel Skin Coat Merino: Um brasileiro do grupo rebelde que é um véio que aparece em câmeras.
  • Francis Peshy: É um cara baixinho, com uma arma.
  • Bobby: O personagem mais tosco do jogo, careca de barba bizarra pra caralho. É um cara normal, e só.

Recepção[editar]

O jogo até faria sucesso se não fosse pelo fato de ele ser muito ruim, outro fator muito específico que deixa o jogo ser uma porcaria são os inimigos, você atira em qualquer parte do corpo, até no saco, e eles simplesmente instantaneamente morrem, se você atirar no braço dele ele morre também, simples assim, não tem graça.

É claro que os fãs de Halo acharam o jogo uma merda, de todos os sites de avaliação só um tinha uma avaliação positiva do jogo (até porque o jogo é uma porcaria), ninguém gostou dessa porra. O TechTudo tem um apreço mais especial e menciona esse jogo milhões de vezes como um dos piores jogos de tiro já criados na história. Não tem como essa merda ser avaliada direito, então eu concordo de recepcionarem esse jogo com tanto desgosto. A qualidade dos tiros e glitches acontecendo foram muito criticados e em vários sites a maioria dos comentários de recepção negativa sobre o jogo. E o pior de tudo, a Ubisoft ainda planeja fazer uma continuação do fracasso que foi esse jogo. E os fãs provavelmente não vão querer uma continuação dessa caralha.