Hopsin

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tentando entender por que é tão odiado

Cquote1.png Você quis dizer: Zumbi? Cquote2.png
Google sobre Hopsin
Cquote1.png Porque esse cara tem olhos brancos? Cquote2.png
Qualquer um quando o vê pela primeira vez.

Marcus Jamal Hopson (nascido em 18 de julho de 1985), mais conhecido como Hopsin, é mais um cantor que traz em suas letras a falácia dos guetos, porém muito criticado e sendo acusado de trair a raça por usar lentes brancas. Ele afirma ser descendente do clã Hyuga, mesmo assim, os preto da oposição afirmam que esse tipo de atitude é um ato de traição. Em seus shows é comum encontrar negros da oposição com cartazes dizendo Cquote1.png Desonra da raça, joguem tomates nele Cquote2.png. Por esse motivo ele não consegue nenhum contrato decente com uma gravadora, sendo obrigado abrir a própria para poder lançar seu único CD.

História[editar]

Na sua vida de boemia.

Nascido na folha oculta da maconha, sendo descendente do clã Hyuuga (Aquele dos olhos branco), teve uma infância muito difícil, sendo mais odiado que a Dilma. Por não ter desenvolvido seus poderes, foi rejeitado pelo seu clã, sendo rebaixado pior que um personagem secundário. Por esse motivo, não é possível vê-lo em nem um capitulo de Naruto, nem mesmo nos filler.

Com seus sentimentos ferido ele saiu da vila em busca de uma solução para seus problemas, para assim aumentar seus poderes e poder ser reconhecido pelo seu clã. Ele chegou a conclusão que só com o Orochimaru seria capaz de encontrar seu verdadeiro poder, porém Orochimaru o rejeitou, pois já estava apaixonado por outro garotinho, sua revolta interna aumentou mais ainda.

Se achando a pior pessoa do mundo saiu nos cenário inóspito de Naruto, tentando encontrar um sentido para a vida, como ele e burro não encontrou nem um, se perdendo na boemia da vida, fraquentando casas de jogos noturno e bebendo.Por conta de suas apostas desenfreada ele ficou preso em uma das casa de jogos para poder pagar suas dividas, sendo obrigado a trabalha como severino, ou seja um faz tudo.

Em um de seus serviços, ele tinha que substituir a cantora, que era uma prostituta, pois ela tinha que fazer um extra para poder pagar as contas. Ele não era ruim cantando, mas todos preferiam a mulher de calcinha por motivos óbvios. Em uma de suas apresentações substituindo a prostituta, um dos clientes da casa falou que ele tinha talento pra musica, mas não para o pop, e ele ficou com aquilo na cabeça.

Depois de anos servindo como escravo na casa conseguiu saldar sua divida e juntar alguns míseros trocados. Agora ele tinha um objetivo trilhar o caminho da musica, e provar para seu clã que ele não era um fracassado. Com o pouco dinheiro que tinha comprou uma caixa de som, microfone e um chapéu (Para poder juntas as esmolas). Cantando nas ruas fez ser notado por alguns críticos de musica, sendo chamado para abrir shows de artistas mais renomados como Killer Bee.

Com Killerzinho, como ele o chamava, ele aprendeu a essência do Rap, ou seja o ódio e a revolta com algum sentimento dentro de si que o incomodasse. Com esses ideais ele foi ficando cada vez melhor e assim consegui lançar alguns singles. Como Olho de vidro, fazendo alusão ao seu clã. E Pra lá eu não volto, criticando sua vila por ter deixado ele ir embora sem dizer nada.

Depois desse enorme sucesso, ele conseguiu o tão sonhado respeito, porem seu clã o continuou rejeitando, pois ele tinha que ser guerreiro, não um viadinho pop (Independente do gênero cantado era assim que eles o chamavam). Depois disso ele desistiu de tentar querer o agrado deles e seguiu sua vida no mundo da musica. fazendo ou não sucesso.

curiosidade[editar]

  • Você sabia que ele tem olhos branco mais ele não tem poder nem um.
  • Você sabia que ele usa olhos branco para protestar contra seu clã.
  • você sabia que um dia ele salvou uma donzela, de assaltantes, pois temeram seus olhos braco.
  • Ele fez uma musica para Killer Bee durante a quarta guerra ninja. Sem guerra não a paz

Sucessos[editar]

  1. Olho de vidro.
  2. Pra lá eu não volto.
  3. Sem guerra não há paz.