Ilha de Gorée

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Ilha de Gorée é um resort turístico na costa do Senegal. A ilha é símbolo do terror que a Europa promoveu no continente africano. Por isso, aquele local amaldiçoado foi considerado patrimônio mundial pela UNESCO.

História[editar]

A Ilha Infernal do Não Retorno.

A Ilha de Gorée é um aterro de 900 metros formado artificialmente pelas potências europeias na costa do Senegal para servir como porto do terror (de escravos). Esse tipo de porto sempre era muito difícil de se instalar no continente, por que frequêntemente eles eram invadidos por canibais.

A Ilha de Gorée então durante anos a fio desenvolveu seu papel muito bem de garantir passagem grátis de viajem de negros para a América. Essas pessoas que eram sorteadas eram denominadas de escravos. A ilha durante os séculos XV e XIX foi muito movimentada, muito tiro, muito canhão, sempre estava acontecendo alguma batalha.

Como todo raro lugar que é bom na África, a Ilha de Gorée foi região de disputa entre as potências da Europa. Todo mundo queria aquela força de trabalho fácil em detrimento da humanidade e ainda tinham a coragem de fazer mais barbárie guerreando no local.

A Ilha de Gorée é diretamente ligada a história do Haiti, a colonização da ilha do carribe foi feita com toda a população da Ilha de Gorée, mas esse malote de escravos tinha o primo do Zumbi dos Palmares entre eles. Ao chegarem no Haiti, todos os escravos se rebelaram e conquistaram a ilha para si. Hoje o Haiti tem guerra declarada a Gorée por vingança.

Com o fim da escravidão, a ilha foi abandonada para governo de Senegal. Hoje só há os sombrios calabouços e mansões luxuosas fazendo história e alguns hotéis com turistas mórbidos.

The Door of No Return[editar]

A ilha era chamada de The Door of No Return, como é chamado o portão do Inferno na umbanda para você ter uma ideia como a ilha era temida.

Economia[editar]

Atualmente Gorée ganha dinheiro explorando o turismo de pessoas mórbidas que querem ver como os escravos eram torturados antigamente. A principal fonte de renda porém, ainda é a exportação de escravos, principalmente para o Brasil, o maior comprador desse tipo de gente para ir cortar cana.