Images and Words

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lego-beatles-abbey-road.jpg Este artigo trata de um álbum

E provavelmente tem só duas músicas que prestam.

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Imagina um Mundo
Imagesandwords.jpeg
O álbum. Note que há um coração flutuante e uma menininha indefesa sozinha no quarto. Apologia à pedofilia e magia negra.
Lançado em 1992
Gênero doideira
Gravadora Atco Records


Cquote1.png Você quis dizer: Photoshop Cquote2.png
Google sobre Images and Words
Cquote1.png Experimente também: Microsoft Word Cquote2.png
Sugestão do Google para Images and Words
Cquote1.png Pull me under, pull me under! Cquote2.png
James LaBrie sobre o único hit da banda do álbum
Cquote1.png Não falo uma palavla sequer nos shows e nas entlevistas, mas esclevi sozinho uma música que fala soble encontlar a si mesmo e aceitação pessoal Cquote2.png
John Myung sobre Learning to Live
Cquote1.png blublublublublublu uóóuauáááuáu blublublu Cquote2.png
Guitarra do John Petrucci
Cquote1.png Como grita essa safada! Cquote2.png
Kid Bengala sobre James LaBrie
Cquote1.png Era melhor com o Charlie Dominici! Cquote2.png
Imbecil sobre o Images and Words
Cquote1.png Pop e comercial Cquote2.png
Slayer sobre Images and Words
Cquote1.png Ué, a música acabou do nada? Cquote2.png
Você sobre Pull me Under


Images and Words é o segundo lixo álbum de estúdio da banda americana de fritação Dream Theater, lançado em 1992. Foi o primeiro com o novo vocalista, James LaBrie, capaz de alcançar notas que o anterior não conseguia. Humano nenhum consegue, pra falar a verdade, mas alguns dão um jeitinho. Tanto que James foi escolhido entre trocentos outros vocalistas (rumores que André Matos estava entre eles), numa audição praticamente interminável de berros e gritinhos agudos que faziam os vizinhos pensarem que a banda estava gravando um vídeo pornô.

Faixas[editar]

  • Pull me Under (puxe-me para baixo): música que abre o álbum. É sobre um maluco cheirador de gatinhos que exagerou na cocaína e no LSD e agora vê o mundo girando ao seu redor sem parar. Por um motivo desconhecido, a música termina do nada, deixando todo mundo frustrado. É também o único hit de sucesso da banda até hoje (mesmo com mais de dez álbuns!)
  • Another Day (outro dia): música hippie. No clipe, todos estão vestidos com roupinhas coloridas e alegres. É também a música em que James LaBrie mostra seu alcance vocal, com uma nota tão aguda que pode fazer seus ouvidos sangrarem.
James LaBrie estourando seus tímpanos

.

  • Take The Time (tome o tempo): música que define bem o Dream Theater. Tomar seu tempo. Também fala sobre espiritualidade, paz interior, e outros blablablabla de hippie, mas isso aí é balela.
  • Surrounded (envolvido): ninguém conseguiu, até hoje, descobrir o significado dessa música, ou descobrir se ela tem um. Fontes confiáveis dizem que é sobre um cara que exagerou tanto nas drogas que está falando com espíritos.

Cquote1.png Essa música fala sobre amores perdidos, e o álbum Metropolis pt.2 também. É tão cheio de música de corno que quem ouve ganha um chifre na hora. Só não posso falar mais porque senão é spoiler Cquote2.png
John Petrucci sobre Metropolis pt.1 e 2

  • Under a Glass Moon (sob uma lua de vidro): música sem sentido algum, típico.
  • Wait for Sleep (espere para dormir): música que acende os desejos pedófilos de John Petrucci, ao dizer que quer esperar a menina (da capa do CD) dormir para então abusar dela.
  • Learning to Live (é preciso saber viver aprendendo a viver): igual a Take The Time, é uma música que fala sobre espiritualidade, paz interior entre outras besteiras hippies. Foi escrita inteiramente por John Myung, o chinezinho que não fala nada.

Cquote1.png Ele fala através dos dedos. Cquote2.png
Oscar Wilde sobre John Myung

Duração total do álbum: 57 minutos, 3 segundos e 20 centésimos, mas parece uma eternidade.

Integrantes[editar]

James LaBrie - berros agudinhos e pandeiro.
John Petrucci - guitarra de 6 cordas, guitarra de 8 cordas, bandolim, viola caipira e backing vocals.
John Myung - pasteleiro, baixo de 6 cordas, shampoo e condicionador Seda.
Mike Portinhola - batedor de panela, bumbo triplo e bongô.
Kevin Moore - carinha que ninguém conhece ou dá a mínima.

Ver também[editar]