Indie:

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

7px-Bullet red.jpgAlo vosê 7px-Bullet red.jpgamic comofas/ 7px-Bullet red.jpgTutoriau basioc oks/ (tiop nemli) 7px-Bullet red.jpgPagian de teste -qq 7px-Bullet red.jpgTutoriau qtau/ 7px-Bullet red.jpgmidia rsrssr 7px-Bullet red.jpgtiop n00b leia iso1! -n 7px-Bullet red.jpgPortal comunitario qiso/ 7px-Bullet red.jpgenbaishada -q

a wikipedia livr ede comteudos e que quauqer un 1111 pod edita e
Wbar blue.jpg
Capa da versão exclusiva para PS4

Persona 5 é só mais um daqueles jogos de otaku fedido produzido e publicado pela Atlus, um spin-off de Shin Megami Tensei (que vende mais que a linha principal, malditos otakos). O jogo é um simulador de autismo com leves elementos de RPG, dating sim e apologia à pedofilia. O jogo foi amplamente elogiado porque embora o autismo seja uma doença psicológica muito severa e cruel, o jogo tem a bondade de ser inclusivo e permite que o protagonista autista não apenas torne-se o líder de uma gangue de badernistas como também o permite a possibilidade de namorar até 10 mulheres saudáveis. Pelo menos as cenas de romance são todas fidedignas e geram enorme embaraço e vergonha alheia em quem assiste aquilo, cenas nas quais o protagonista não consegue tomar uma atitude de homem e não tira as malditas mãos dos bolsos sem demonstrar qualquer afeto ou empatia pela parceira enquanto tem uma mulher declarando o seu amor. Nesses momentos os jogadores não-autistas precisam fazer muito esforço para simpatizarem com as cenas de romance.

O jogo possui dois momentos de jogabilidade bem distintos, sendo uma jogabilidade quando você está no mundo real e outra quando você está no metaverso (universo criado através do consumo exagerado de metanfetamina). Quando estamos no mundo real controlamos nosso protagonista autista e podemos perambular pela cidade de Tokyo, onde mesmo com uma população de 13 milhões de habitantes e centenas de ruas, só podemos visitar os mesmos dois lugares de sempre e falar apenas com as mesmas pessoas de sempre, quando não estamos na escola. Essa parte do jogo serve para agradar garotinhas e amantes de visual novel, é só falatório, embora a maioria dessas gurias sintam-se insatisfeitas com a ausência de opções yaoi, já que na cabeça das pessoas todo japonês é bissexual.

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter


Wbar green2.jpg



Mico Azul


Wbar green3.jpg


  • ... Que ви сте више од Емо Хитлер?
  • ... Que que aquilo foi escrito em Sérvio?
  • ... Que você não entendeu a mensagem?
  • ... Que eu escrevi essa merda com o tradutor do Google?
  • ... Que portanto, tem coisa escrito errado?
  • ... Que 90% dos babacas que lêem isso vão ao Google ver o que é?


Wbar green1.jpg
Why-we-cant-stop-watching-squid-game-01.jpg



DesNotícias (sem texto).PNG Noa clik on limk e virus11! :O BRINKS rsamis noticeas.
Wbar pink.jpg
14 Bis comestível!

Indice.gif

Artalt.jpg Arte

Cinema · Culinária · Literatura · Música · Linguística

Nuvola apps edu languages.jpg
Política

Ideologia · Político · Presidentes do Brasil

Crystal Clear app Login Manager.jpg
Biografias

Biografias

Nuvola apps package favorite.jpg
Saúde

Doenças · Drogas

Sciences exactes.jpg
Ciência

Astronomia · Biologia · Física · Matemágica · Qui-mica

Société.jpg
Sociedade

Diversão · Religião · Jogos · Ladrões

Sciences de la terre.jpg
Geografia

Países · Economia · Turismo

Nuvola apps mycomputer.jpg
Tecnologia

Informática · Telecomunicações · Sexo · AAAAA

Wbar white.jpg
Projetos paralelepípedes
A Desciclopédia existe graças à entidade sem fins lucrativos Fundação Desciclomídia. A Desciclomídia opera vários projetos em diversas línguas, sempre com conteúdo livre: