Isley

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.

Coringa1.jpg Este artigo é sobre um vilão!

Isso significa que ele rouba, mata e faz outras coisas sem nenhum motivo. Se vandalizar este artigo, um super-herói irá lhe prender.


Isley
Cquote1.pngRei prateadoCquote2.png
Isley human.jpg
Até que ele é bonitinho...
Informações inúteis
Classificação Abissal fodão
Ranking Claymore Ex-1º
Técnicas Braço de arco e flecha;
Coice
Parceiros Rigardo (braço direito),
Priscilla (Mina)
Status Atual Mortinho, ou não
Símbolo Supererro.jpg

Cquote1.png Você quis dizer: Weasley Cquote2.png
Google sobre Isley
Predefinição:Você quis dizer Pedófilo Cquote1.png Experimente também: Riful Cquote2.png
Sugestão do Google para Isley
Cquote1.png Chefinho! Cquote2.png
Rigardo sobre Isley.
Cquote1.png Pega o controle remoto! Cquote2.png
Priscilla sobre Isley.
Cquote1.png Tenho medo. Cquote2.png
Miria sobre Isley.
Cquote1.png Não deu certo por causa dele... Cquote2.png
Riful sobre Isley.
Cquote1.png Meu cabelo precisa de mais shampoo... Cquote2.png
Isley sobre Cabelo de Isley.

Isley, ou Easley, é o vilão fodão, ou ao menos é assim que ele pensa, do anime repleto de loiras tendo os membros do corpo decepados de forma bem realista Claymore, teoricamente ele é o vilão, no entanto acaba servindo apenas de capacho da Priscilla e de motivo para a apresentação das comedoras de abissais.

Como tudo começou[editar]

Isley posando para a capa do DVD.

Antes de tudo, no início, Isley nasceu em algum longínquo ponto da ilha repleta de aberrações onde o anime se passa. Lá garotinho nasceu e isso faz muito, muito, muito tempo. Numa época onde as garotas costumavam casar virgens, realmente, isso faz muito tempo. Isley nasceu numa família normal com pais normais, numa casa normal.

A normalidade na vida do garoto chegava a ser absurda, ele tinha uma rotina normal, estudava numa escola normal, vestia roupas normais, comia comidas normais, a monotonia chegava a invadir a personalidade do garoto, que aos poucos se tornava uma bomba prestes a explodir, se tornava um maluco contido.

Certo dia como todo membro normal da organização, Isley teve a família toda, desde papai até o hamster, devorados por um youma qualquer. Por incrível que pareça isso fez um bem desgraçado ao garoto que foi levado sem grande resistência para a organização, o local onde o jovem faria sua carreira.

Indo para a vida nova[editar]

Não era ele que você achava lindo, otaka?

O jovem foi enviado para o campo de concentração treinamento claymore, que na época, para azar dele, era masculino, lá haviam um monte de machos suados malhando seus corpos bombados, o que era um sonho de consumo para qualquer uma dessas otakas viciadas em yaoi. Mas para o garoto não era muito agradável, afinal desde cedo ele já demonstrava algumas tendências lolicon. Todavia foi nesse lugar que o rapaz passou alguns anos de sua miserável vidinha.

Ali ele fez amigos, inimigos, rivais e para seu próprio desespero também arrasou corações, não se esqueça que lá só tinha macho, ao menos biologicamente falando. O treinamento foi árduo e ele sempre teve que ter cuidado para não deixar o sabonete cair, muitos acabaram destruindo a própria vida por causa desse escorregadio sabonete, ao fim sobraram apenas três, ele, o Rigardo e o mongoloide do Duph.

Trabalhando[editar]

Isley em sua versão mais sugoi.

Isley após sair da "academia claymore", uma versão sangrenta e mais realista daquela mal afamada Academia Youkai começaram as mais variadas missões contra os mais perigosos monstros, tude em clima de aventura e muita curtição. As missões mesmo sendo repetitivas faziam a alegria do rapaz recém-tornado uma espécie de meio monstro.

Aos poucos Isley foi se cansando de ter que obedecer as ordens bizarras da organização, não havia graça em ser um mercenário que não recebia porra nenhuma por seu trabalho, o salário mal dava para o pobre manter o cabelo sedoso e as unhas bem aparadas, ou você acha que aquele visual bishounen dele se fazia de forma natural? A organização explorava o coitado ao ponto dele querer fazer seu próprio horário intercalando matanças e sessões de coçamento de saco.

Isley em todo seu esplendor.

Despertando às cinco da manhã[editar]

Isley cansado de ser mais um dos capachos da organização e de ter que espremer os joanetes dos chefes tomou uma importante decisão, sair do trabalho e começar sua carreira como músico em algum obscuro ponto da galáxia, cogitou até ir para o elenco de Gayvitation, afinal com seu visual ele se enturmaria fácil com a galeinha de lá.

Ele pegou a guitarra e partiu para essa nova vida, abandonando a tudo e a todos, só que Isley não fazia ideia de onde poderia ir para que ele fosse reconhecido pela sua habilidade musical, que nunca foi assim tão grande, o único problema é que no caminho ele trombou com dois despertados que não eram muito fãs de emocore, Isley teve de enfrentá-los, contudo durante a luta ele acabou se excedendo e cumprindo o destino de todo membro da organização morrer se tornar um bicho feioso, fodão e faminto por vísceras humanas.

Isley de mal humor.

Rumo ao Norte[editar]

Isley após se despertar decidiu mudar de ares, pois se ficasse por lá acabaria tendo o saco enchido pelos outros caçadores de youmas que adorariam ter a cabeça dele na sala de trófeus. Então decidiu ir para algum lugar mais tranquilo com um leve brisa e dançarinas de ula, eis que um corretor lhe vendeu uma casa na zona norte da ilha, onde segundo o vendedor havia sol o ano todo.

Ao chegar por lá Isley se deparou com a triste realidade, por lá não havia praia, nem sol, nem dançarinas de ula, pior, lá era um monte de montanhas escarpadas repletas de neve e sem nenhuma alma viva, Isley ficou puto, mas como o corretor sumiu misteriosamente e ele torrara todo dinheiro na casa e como jamais venderia algo naquela região ele teve de se contentar em morar em lugar nenhum.

Isley X Rigardo, não, não é uma fanfic yaoi...[editar]

Isley e o jeito no qual ele mais gosta das Claymores.

Após muito tempo na solitária e gelada parte norte da ilha do mundo das Claymore Isley caiu em um grande tédio, não tinha ninguém para conversar ou, mesmo, brigar e tudo piorou quando seu Dynavision acabou pifando por ele ter jogado durante 69 horas seguidos aqueles joguinhos marotos.

Não tendo o que fazer ele decidiu apelar, escreveu uma cartinha amorosa para seu grande rival nos tempos áureos de Organização, o Rigardo, contou as maravilhas de ser despertado, como ele se tornara fodão, como sua vida era excitante e quantas youmazinhas ele tinha no harém, tudo para deixar o excolega com uma baita inveja e fazê-lo querer despertar. Após algum tempo ele mandou outra carta, falando como era legal a mãe dele, do Rigardo, este ficou puto e decidiu partir para a porrada despertou e rumou ao Norte para lavar a roupa suja.

Isley até que é um bom partido, topa?

Ao chegar lá ele já chegou cansado e teve que enfrentar Isley que treinara durante todo o período de espera, para chegar até o norte era um rolê e tanto, resultado da luta: Isley wins! E como recompensa pela vitória Isley obrigou Rigardo a ficar com ele, arranjando assim um parceiro para ajudá-lo a jogar paciência.

É o amooorrr!!![editar]

Tudo bem Isley havia arranjado companhia, mas era um cara bombado, peludo e que tinha a cara do Seiya de Pégasus, coisa nada animadora, convenhamos, Isley queria um parzinho, não apenas um companheiro para jogar Paciência e servir de gatinho de estimação, o rapaz sonhava com uma garota.

Seria Isley pedófilo por dar uns pegas na Priscilla?

Como não havia nenhuma por perto ele decidiu ir atrás de uma youma pegável, é ele não exigia muito, se bem que todos os despertados são feiosos, tentou várias, inclusive a Riful e a Luciela, mas estas o dispensaram alegando não gostar de caras meio cavalos. Isley se inscreveu no bate-papo UOL, mesmo assim foi um fiasco, só apareciam pedófilos por lá, mas num estranho momento ele viu um ser estranho voando que, logo, pousou em seus domínios, em cima do jardim que ele e o Rigardo cuidavam com tanto esmero.

O Rei leão logo partiu para cima do demônio voador junto com o Isley, contudo eles foram sumariamente derrotados, isso é o que diz, implicitamente, o mangá, já que a Priscilla não é tão fodástica assim, mas para criar o clima de supervilã vale tudo para o autor. Tudo bem, após a derrota ultrajante Isley se apaixonou pela Priscilla, em claro momento sadomasoquista.

Como ela não tinha onde passar a noite ele a acolheu e por lá ela ficou, tudo deu certo, Isley arranjara uma garota e ficara feliz, Priscilla conseguiu uma casa onde pudesse ficar tendo suas crises psicóticas e o Rigardo ganhara uma folga da carência do Isley, aos poucos eles formavam uma família.

Missão do Norte[editar]

Isley super feliz.

Isley passou anos e anos no bem bom com a Priscilla e seu gatinho de estimação, apenas recrutando kakuseishas para formar um exército para, bem... Ele é um vilão, faz coisas assim sem precisar de uma grande motivação faz pelo simples prazer de enrolar o roteiro, já suficientemente embromado de Claymore.

Isley resolveu formar seu exército com a única função de dar um pouco de ação a história que estava ficando meio monótona, essa missão do Norte foi uma investida kamikaze das bruxas de olhos prateados, por culpa do espião da organização que estava afim de fuder com as loirinhas, no sentido não literal do termo.

Lá foi o único momento em que apareceu o abissal no anime, e olha, apareceu de forma quase figurante. Mas quem se importa com o anime, o fianl dele não tem nexo algum.

Encontrando com o inútil[editar]

Isley e priscilla, mal sabe ele que está levando chifre.

Isley acaba se encontrado com o utilíssimo Raki, em algum momento da história, eles se trombam ou coisa parecida, e, também, ninguém liga para isso. O encontro com o Raki tem como únicas finalidades:

  1. Fazer com que o Raki treine e deixe de ser o guri retardado de sempre, sendo seu tutor o próprio Isley.
  2. Fazer com que o Raki se apaixone pela Priscilla, criando um conflito entre a Clare, a protagonista, e a Priscilla, a vilã.

Isley acabou aceitando cuidar do encosto mais por pressão da sua namoradinha, por que senão ele apanharia feio.

Fudendo a Luciela[editar]

Isley após encarar a Luciela, ela não era fácil...

É, bem,... Daria um ótimo hentai guro-furry, mas o sentido de foder a Luciela é algo menos sexual e mais... Na porrada, a Luciela e o isley após um reencontro eles decidiram lutar, por quê? Ah, sei lá! Eles são vilões e aquilo é um mangá guro, nada precisa ter sentido, apenas é necessário coisas feiosas, muito sangue e seios de fora, e na luta teve tudo isso, teve a gatinha da Luciela e o tamanho cavalar do Isley, realmente, daria um ótimo hentai.

Essa luta acontece logo após a Clare e sua panelinha se danarem e um pouco depois dele adotar o Raki, por livre e espntânea pressão da Priscilla que o achou super kawaii e, também, para gerar aquele confronto na cabeça do moleque entre a protagonista e antagonista, mas isso não vem ao caso.

No final da luta, com os dois despertados, o Isley vence no sufoco deixando a Luciela em uma péssima situação, tendo até que se fundir com a irmã sapato para poder sobreviver, que depois seria raptada pela maníaca da Riful, dentre outros spoilers possíveis.

7 anos depois[editar]

Após sete anos omitidos na história, onde provavelmente ele, a Priscilla e o Raki se divertiram muito Isley reaparece feito uma espécie de mendigo, encontrado pela Helen e a Deneve em algum lugar da Zona Sul da ilha. Eles quase lutam, mas Isley tem outra preocupação no meomento, as feiosas das devoradoras de abissais.

Isley pouco antes de ir para o saco.

Esses seres perseguiam Isley há um tempão, tanto que o coitado não tinha tempo sequer para se regenerar, não coçava nemo saco, não tinha tempo, elas perseguiam seu youki, se ele o elevasse era rastreado pelo contingente de garotas nuas com olhos e bocas costurados da forma mais porca possível.

Elas apareceram para Isley e as Claymores perdidas, e atacaram seu alvo, o abissal do norte, o centauro apelão, que lutava pela própria sobrevivência, a luta foi excitante, diferentemente das que a parecme em shounens como Naruto ou One Piece, houve sangue, decepações e dramaticidade, como se isso importasse num anime yuri.

A luta foi equilibrada, Isley e suas infinitas setas, contra as autoregenerativas devoradoras de abissais, ao final o abissal tombou, mas não sem antes lamentar o fim de sua relação familiar com a Priscilla e o Raki, o que dá margem para as mais dúbias interpretações possíveis.

Galeria do despertado[editar]

Ver no YouToba[editar]

Ver também[editar]

Death--.jpg Isley já morreu!

Mas quer voltar pra puxar teu pé!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno