Jaborandi (Bahia)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Jaborandi é uma cidade (ou vila devido ao diminuto tamanho de sua população) no longe e extremo oeste baiano. Neste município, aliás, encontramos criaturas pitorescas que evoluíram de um mesmo ancestral e devido ao isolamento geográfico são endêmicos de Jaborandi.

História[editar]

Não há muito o que falar. Alguém se perdeu no interior da Bahia e esse vilarejo que não deveria existir acabou surgindo, por mais que o clima não seja propício para habitações humanas.

Geografia[editar]

Quando você acha que chegou no fim do mundo, ainda tem Jaborandi para passar.

O município mede aproximadamente 9.999.999.999.999 cm², sendo portanto do mesmo tamanho da Jamaica. Diz-se que por esse motivo ganhou o nome de uma planta nativa de propriedade alucinógenas, o jaborandi. A densidade populacional, porém, é de míseros 0,01 habitantes/Km². O povoado mais próximo é Planaldo (ou Entroncamento), que ganhou fama entre os detentos de Goiás e DF como um dos melhores esconderijos do Brasil, uma vez que possui muitas vias de acesso e várias saídas para diversos lugares.

Economia[editar]

A economia jaborandiense é baseada única e exclusivamente no funcionarismo público, salvo alguns gaúchos com suas fazendas de soja. Para trabalhar na Prefeitura Municipal é indispensável possuir título de eleitor, uma vez que o voto é utilizado como critério decisivo de escolha ou desempate. Por isso o quadro de funcionários é renovado a cada 4 anos.

População[editar]

Com 9.000 habitantes (bastante até), a população é majoritariamente feia, mas pelo menos limpinha. Pobre, mas honesta (exceto em período de eleição) e possui como ocupação prestar atenção na vida alheia.

Educação[editar]

Há na sede cinco escolas e uma biblioteca, concluída em 2012 mas que nunca foi inaugurada devido a dificuldade em encontrar a chave, perdida em 2013 quando o prefeito recém empossado coçou o rego com ela e não viu onde a danada foi parar.

O município usa da merenda como meio para evitar a evasão escolar, onde são oferecidos água com corante (denominado de "suco") e bolacha, arroz com "frango" e pão com margarina. A iniciativa foi replicada por outros municípios da região.

Cultura[editar]

Uma característica muito marcante da cultura jaborandiense é o hábito de sentar nas calçadas (ou na praça) e falar de quem passa na rua. Não espere algo mais desse lugar.

Lazer[editar]

O hábito peculiar de divertimento da população jaborandiense, pela falta do que fazer, é difamar quem lhes convier, de preferência na beira do rio). Fora isso, uma vez por ano há o Arraiá de Santo Antônio (ou do demônio) onde pessoas se reúnem para festejar a fornicação e os prazeres da carne, diz-se que alguns nativos reúnem seus ganhos de um ano inteiro para ocultar sua pobrice em 4 dias de muito whiskey e roupa bonita.