Jogos de esportes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Jogos de esportes é talvez o gênero de jogos de videogame mais depressivo disponível, jogado por nerds obesos que não aguentam correr 30 segundos sem ameaçar sofrerem algum tipo de infarto devido aos altíssimos níveis de colesterol obtidos por uma dieta baseada em Doritos com Coca-Cola diários que entopem suas artérias e os previnem de praticar qualquer esporte na vida real, mas graças à fabulosa e saudável indústria dos videogames estes pessoas derrotadas socialmente e fisicamente podem jogar a simulação de algum esporte o qual jamais conseguirão praticar na vida real nem a nível recreativo.

Tipos[editar]

  • Arcade - São aqueles jogos de esportes mais focados na diversão, e geralmente não possuem qualquer semelhança com a realidade e servem apenas para divertir crianças. Neste nível a pessoa é tão derrotada e deplorável, que não consegue jogar um esporte nem na vida virtual, onde também precisa de facilidades e simplificações.
  • Simulação - Jogos de simulação de esporte simplesmente não existem, e até hoje nunca foi lançado um. No dia que algum FIFA de dois tempos de 45 minutos reais for lançado e não resultar em placares de 35x20 num jogo entre Real Madrid e Barcelona, a EA terá inventado o primeiro jogo simulador de esportes. A melhor simulação de esportes conhecida, todavia, é você levantar sua bunda gorda, ir para um parque e disputar um esporte porque tem nada te proibindo disso (e não se esqueça de tomar um banho depois).
  • Management - Jogos de simulação de ser um técnico, é talvez um subgênero dos jogos mais incrivelmente insuportáveis de todos, onde o jogador sente na pele a realidade de um técnico de qualquer esporte (ou seja, que não tem controle de nada e precisa depender da sorte). Neste tipo de jogo, o jogador é apresentado ao estranho mundo das probabilidades em jogos de videogame, onde 90% de chance de algo dar certo parece 5%, enquanto 5% de chance de algo dar errado parece 90%.
  • Automobilismo - Os jogos de automobilismo são praticamente um gênero a parte, havendo desde corridas bizarras com macacos e criaturas estranhas, até simuladores ultra-realistas onde bater carros a 300 Km/h não deixam nenhum arranhão no veículo.
  • Porradaria - Ninguém tem paciência para os joguinhos de boxe ou UFC, que mais parecem jogos de simulação de viadagem. Então dezenas de jogos de briga de rua e Mortal Kombat surgiram, criando um gênero todo próprio, os jogos de luta.

Esportes[editar]

Exemplo de placar comum em jogos de futebol.
  • Atletismo: Jogos também conhecidos como quebra-controle, por bom senso, não devem existir mais do que meia-dúzia desse tipo de jogos existentes no mundo, pois não faz o menor sentido competições de corrida e força serem disputadas num videogame (por que essas pessoas não vão para o parque correr?). Os jogos, então, são baseados em arrebentar botões de controle para vencer as competições.
  • Baseball: O esporte que mais tem jogo, embora 99,9% dos jogos de baseball sejam absolutamente desconhecidos para quem é de fora do Japão, são jogos tão entediantes quanto uma partida real de baseball.
  • Basquete: Jogos que mais parecem handball na hora da troca nada fluída de passes, são sempre recorde de vendas na América do Norte, reforçando o mau-gosto dos norte-americanos.
  • Caça e pesca: Quem compra essas porcarias de jogos?
  • Futebol: De longe o tipo de jogo mais popular, afinal que pivete nunca comprou um Bomba Patch com aquela gostosa na capa? Esses jogos são a paixão do brasileiro.
  • Futebol americano: Tipo de jogo que é um garantido fracasso de vendas fora dos EUA, pois os fãs marombados de futebol americano passam longe de tocar em joyticks de videogame, enquanto os nerds sedentários recusam-se a entender ou gostar desse esporte. Então a meia-dúzia de seres que compram os jogos de Madden NFL e NFL 2K são apenas hipsters que querem se fazer de diferentões.
  • Golf: Mais um tipo de jogo de esporte que jamais chegará perto de simular a experiência de se jogar golf, nesse tipo de jogo qualquer zé-mané consegue ser um Tiger Woods e trair a esposa acertar tacadas virtualmente impossíveis a distâncias absurdas.
  • Tênis: Jogos relativamente populares, os tenistas geralmente não são humanos e nunca cansam de correr de um lado para outro.
  • Tênis de mesa: Só tem o Pong mesmo.
  • Vôlei: O único jogo de vôlei de sucesso é o Dead or Alive Xtreme Beach Volleyball, e apenas comprova que quem acompanha o esporte só está interessado mesmo é em ver a bunda das atletas, mesmo que as competidoras sejam feitas de polígonos.

História[editar]

O Tennis for Two, criado em 1958 e lançado para um osciloscópio (aparelho que mede batimentos cardíacos), é o primeiro jogo da história que consistia em usar um aparelho que mede batimentos cardíacos e simular que aquela linha fosse a trajetória de uma bola de tênis que deveria ser rebatida. Outro clássico da antiguidade foi o jogo Pong, que era um ping pong para noobs. Na década de 80, como no Japão o único esporte praticado era o sofball, mais de 50 jogos de sofball, baseball, críquete, bets e frescobol foram lançados, e todos eles são conhecidos só no Japão.

Outro jogo de esporte bem popular, lançado para Atari 2600, foi o Track & Field, responsável por quebrar todos controles de Atari do mundo, pois todos esportes contidos no jogo consistia em massacrar o botão e alavanca do joystick, sendo ele o responsável de um controle para Atari sem defeitos custar pelo menos uns 5 mil reais hoje em dia, tamanha a raridade.

Nos anos 90, foi Mario e seus amigos que jogaram tudo quanto é esporte, introduzindo as crianças ao mundo da zoofilia e pederastia, onde animais e pedófilos praticam os mais variados esportes, afinal faz todo sentido do mundo, um monstro raptar sua princesa, estuprá-la por horas em vários castelos diferentes, e no final jogar uma partida amigável de tênis contigo. Mas foi na década de 90 que veio o domínio e popularidade dos jogos de futebol. Por 10 anos o mundo dos games foi dominado por apenas 1 único jogo de esporte, o Campeonato Brasileiro 96 (e sua continuação Ronaldinho Campeonato Brasileiro 98), que revolucionou os jogos de esportes ao colocar um narrador fanho e a probabilidade do União São João de Araras jogar contra o Real Madrid, criando possibilidades antes sem precedentes e viciando seres humanos em jogos de videogame de futebol.

Em 2004, a Electronic Arts comprou a NFL, FIFA, NBA, AFL, Madden, NCCA, MLB e um monte de siglas, criando assim o maior projeto de caça-níqueis da história da humanidade, lançando um jogo de cada esporte por ano, e todos a preços absurdos, mesmo que cada novo jogo fosse exatamente a mesma porcaria do anterior. Outra força da época foi o Play 2 quebrado, cujas banquinhas de CD pirateados vendiam centenas de versões de Winning Eleven e Bomba Patch, sempre com mulheres peladas. Há registros de pivetinhos que chegaram a comprar 50 versões do Bomba Patch, afinal cada uma valia 50 centavos se viesse sem a caixinha, só envolta num papel bem foleiro.

Outro fator importante para os jogos de esportes ocorreu em 2006, com a chegada do Nintendo Wii, que trouxe jogos como o Wii Sports, uma tentativa completamente vã de tirar as crianças do sedentarismo, então o jeito foi apostar em jogos como Mario & Sonic at the Olympic Games, trazendo toda nostalgia da época do Track & Field, quando precisava-se quebrar o controle para vencer as competições.