Karthus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Night creature.JPG Karthus surgiu das trevas!!

E está aqui pra puxar seu pé!

Puro osso.gif


Cquote1.png Você quis dizer: Lich Cquote2.png
Google sobre Karthus
Cquote1.png PENTAKILL! Cquote2.png
Narradora do League of Legends sobre ultimate de Karthus


KarthusSquare2.png

Karthus, a Voz Mortal (???? - ????) foi um famoso cantor de metal nascido em Valoran, Runeterra. Durante o auge de sua carreira, consagrou-se como o maior cantor do gênero que já passou pelo continente, deixando um legado inabalável para trás, tornando-se assim uma verdadeira lenda entre as gerações que se seguiram. Teria traçado seu caminho rumo a fama e sucesso enquanto integrante da banda Pentakill, com a qual realizou diversas turnês ao redor do mundo, conquistando milhões de fãs por onde quer que se apresentasse. Seu álbum mais famoso - Smite and Ignite - durante muito tempo esteve no topo das paradas por inúmeras vezes seguida, batendo todos os recordes possíveis. Sua música mais famosa - Lightbringer - serve como uma das maiores inspirações para aspirantes a astros do rock até os dias de hoje. Atualmente, não se sabe ao certo o que houve com Karthus e a Pentakill, que assim como toda banda que faz um estrondoso sucesso por muito tempo, de repente ficou fora de ação. Entretanto, acredita-se que seus membros atualmente tenham se aposentado da música e seguido nova carreira em torneios de magia sobrenatural. Pessoas alegam ter flagrado Karthus desfrutando de sua aposentadoria em uma mansão afastada da civilização em uma ilha paradisíaca conhecida como Ilha das Sombras, famosa pelas belíssimas paisagens românticas e pela espetacular neblina que cobre a alvorada e o entardecer.

História[editar]

Karthus antes de seu rework.

Desde pequeno, Karthus já demonstrara seu talento para a música. Durante as festas de fim de ano, era ele quem agitava as comemorações, soltando as cordas vocais e agradando a todos os membros da família. Com o decorrer do tempo, Karthus passou também a cobrir eventos como casamentos, funerais e bailes de debutantes, que por natureza eram chatos e enfadonhos e necessitavam de alguém para tocar o terror envolver os convidados, que costumavam sair mais cedo devido a monotonia característica dessas ocasiões.

Influenciado pelas obras de Edgar Allan Poe e por bandas de metal gótico, Karthus desenvolvera um súbito fascínio pela morte, pela dor e pelo sofrimento, temas que passaram a ser recorrentes em suas composições desde que começara a cantar. Possivelmente, esse era o maior motivo de várias pessoas simpatizarem com suas amaldiçoadas grandiosas melodias, pois a temática envolvida pelas mesmas dava a elas um toque mais ousado, diferente, que não era comumente visto entre as demais letras musicais de sua época.

Conforme ia evoluindo enquanto cantor, em pouco tempo, Karthus passou também a se apresentar em shows de calouros, difundido ainda mais suas canções, perfurando a alma de cada vez mais devotos através de sua música com estrondosos toques de destruição de tímpanos. Seu sucesso era grande, e em quase todas as competições ele vencia em primeiro lugar, levando inúmeros prêmios para casa, desde instrumentos musicais novos até eletrodomésticos e kits do Boticário. A cada dia, Karthus se destacava mais, até que chegou em determinado ponto no qual passou a chamar atenção de grandes empresários, sedentos por novos talentos para explorar e ganhar dinheiro ás suas custas. Entretanto, por saber como funcionavam os esquemas sujos de tais sanguessugas, todos os contratos que lhe eram oferecidos, ele rejeitava. Decidiu que ele mesmo fundaria sua própria banda, e tornaria-se assim, seu próprio empresário.

Karthus ao lado das outras aberrações que integram sua banda, durante apresentação da Pentakill no Programa do Ratinho.

Karthus então espalha cartazes por toda a cidade, recrutando possíveis membros para sua banda em testes realizados num palco improvisado dentro de sua garagem. Como seu nome era razoavelmente conhecido, já que boatos sobre seu exímio talento para o canto se espalhavam para todos os lugares, a fila deu a volta ao quarteirão. Teria recebido todo tipo de criatura para os testes, desde adolescentes chapados metidos a metaleiros até cantores de ópera de banheiro que achavam que tinham algum talento para a música só porque eram elogiados pelos seus pais. Ao fim do dia, já estressado e sem conseguir ninguém à sua altura para lhe acompanhar na banda, Karthus mandou todo mundo tomar naquele lugar e nunca mais dar as caras.

Quando Karthus estava quase desistindo de seu sonho de infância de cantar em uma banda, ele recebe a visitinha de Magneto, Quasímodo, Hatsune Miku e Beowulf, que tinham formado uma banda mas precisavam de mais um integrante. Após uma demonstração do talento que os visitantes tinham com os instrumentos, Karthus chegou a conclusão de que aquele era o grupo que esteve procurando desde que iniciara os testes para o recrutamento de membros para sua banda, ou seja, desde o início do dia. Porém, a única maneira de Karthus conseguir entrar na banda seria através de um teste mortal, para ele provar que estava disposto a tudo para acompanhá-los em sua empreitada de terror musical por toda Runeterra. Karthus deveria ir até a Ilha das Sombras sozinho para mostrar que era capaz de ir até as últimas consequências. Como Karthus era um psicopata obcecado por filmes de Terror, morte e assombrações em geral, ele tirou isso de letra, se entregando de corpo e alma para a ILha das Sombras. Assim que abandonou seu corpo carnal para ressuscitar como uma cria de Satanás, ele finalmente garantiu seu ingresso na banda, que passou a se chamar Pentakill, iniciando assim sua empreitada de sucesso ao redor do mundo, tocando o terror em todos que cruzassem seu caminho.

Habilidades[editar]

Karthus, com sua foice e seu Necronomicon em mãos, quando todo seu fascínio pela morte e pelo sofrimento lhe garantiram o emprego de substituto temporário da Dona Morte.

Karthus é o típico personagem que tem o histórico de ser xingado por todo mundo que está presente no jogo, tudo isso em virtude de sua habilidade ultimate: seja pelos seus próprios aliados, por passar a vida a roubar kills na maior cara-de-pau (muito pior que suportes), seja pelos seus rivais pelo fato de matá-los quando eles conseguem escapar de uma luta de equipe com 1 ponto de HP. Isso faz dele um ser mais odiado que Teemo. Entretanto, Karthus geralmente só irá se feedar na base do ks, já que no mano-a-mano, no início das partidas, basta seus inimigos ficarem próximos a minions que suas habilidades sequer farão cócegas. Pra completar, ele é ainda um personagem sem qualquer fuga, com exceção de uma pequena habilidade podre que causa lentidão, mas sem ser muito efetiva. Porém, se você conseguir a proeza de levar um couro dele e feedá-lo, pode ir se preparando, pois nesse caso, não importa se estiver perto ou longe dos minions, nada irá pará-lo.

Desafio da Morte (PASSIVA): Essa passiva permite que Karthus, mesmo depois de morto, continue a encher seu saco. Assim que morre, ele fica momentaneamente com um Elixir da Longa Vida em mãos, e durante 7 segundos, ele vai ficar lá, te causando dano sem você sequer perceber. Quando se dar conta, por ser um noob, você provavelmente estará morto e ficará acusando o time inimigo de hack, quando na verdade, ficou lá parado tomando dano das habilidades do indivíduo que você pensou ter matado.

Devastar (Q): Essa é, a curto prazo, a principal fonte de dano de Karthus. Basicamente, através de algum ritual satânico, ele invoca pequenos trecos verdes (que a Riot chama de "explosões") de milésimo em milésimo de segundo. Consegue ser uma habilidade tremendamente irritante pelo fato de que o miserável pode ficar a vida toda lançando essa skill em você sem entrar em recarga enquanto você tenta desesperadamente matá-lo. Dessa forma, se você não for rápido o suficiente, depois de feedado, basta usar umas 4 dessas explosões para sua vida toda evaporar. Entretanto, no início do game essa habilidade é uma bosta, e só vai prestar para alguma coisa se você estiver molengando sozinho fora de posição e longe dos minions.

Barreira da Dor (W): A princípio, parece uma habilidade inútil. Mas quando você para para pensar melhor... Você acaba tendo certeza disso. Basicamente, Karthus invoca uma barreira na sua frente, composta pelas almas de 1001 sogras mortas, que ficam fofocando e contando sobre seus problemas em seu ouvido, o que irá deixar seu personagem atordoado e estressado, fazendo com que seu personagem acabe andando mais devagar, devido a toda carga de coisa ruim proferida pelas sogras. Essa habilidade só vai ser útil para aqueles poucos que sabem combar o W mais o Q. Porém, a maioria daqueles que jogam de Karthus, sequer imaginam a utilidade dessa habilidade, que acaba criando teia de aranha no arsenal de skills de Karthus.

Perverter (E): Karthus eleva todo o seu chakra, e cria em sua volta um redemoinho de energia satânica trevosa, que vai roubando a vida de qualquer idiota que tente se aproximar. Geralmente, essa habilidade é acionada quando alguém tenta se aproximar demais numa tentativa de assassiná-lo (mesmo ele já estando morto). Dependendo do quanto você feedou o infeliz, essa habilidade pode somar-se ao Q e acabar com a sua raça sem te dar tempo sequer de piscar os olhos.

Réquiem (R): Essa é a tão temida e odiada habilidade ultimate de Karthus. É uma das técnicas mais roubadas do game. Basicamente, Karthus sacrifica um bode e começa a cantar em latim, e seu mestre Lúcifer lança uma viga de energia infernal em todos os inimigos em campo, não importando em qual lugar do mapa eles se encontrem. Essa habilidade permite que Karthus roube kills de todos os aliados do jogo sem nem precisar sair da base, o que costuma render ao usuário de Karthus uma coletânea de xingamentos de mães. Não apenas de seus aliados, mas também de seus inimigos, que costumam ter a sua felicidade de sair das brigas com 1% de vida brutalmente estragada, rendendo mais uma coleção de xingamentos ao carinha que escolheu Karthus (e possivelmente, também reports de todos os membros do time).