Konohana Sakuya Hime

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Kaguya-hime Cquote2.png
Google sobre Konohana Sakuya Hime
Cquote1.png Olha, é a japa dona da floricultura ali da esquina! Cquote2.png
Imbecil sobre Konohana Sakuya Hime

Konohana Sakuya Hime, que em bom português significa algo tipo "princesa das árvores florescidas", é não somente uma princesa, mas também uma deusa que faz parte da extensa mitologia japonesa. Portanto, isso quer dizer que ela tem uma história completamente nonsense que foi inventada por algum japonês desocupado apenas para encher linguiça.

Como surgiu essa joça[editar]

Konohana Sakuya Hime em todo seu esplendor!

Sakuya Hime era uma bela princesa habitante do Monte Fuji. Cansada de sua aparência pálida e anêmica típica das japonesas, ela resolveu ir até a praia e pegar um bronze. Lá, conheceu um sujeito muito pintoso e garboso chamado Ninigi, que tratava-se de ninguém mais, ninguém menos que o deus responsável por governar o mar. Como naquela época não existiam redes sociais para conhecer muitas pessoas, ambos se apaixonaram perdidamente logo de cara. Então, seguindo os bons e antigos costumes do cavalheirismo, Ninigi teve que pedir a mão (mas querendo mesmo era buceta) de sua amada em casamento para seu pai. Por Sakuya Hime ainda ser muito jovem e virgem, seu patriarca Oho Yama não aceitou, e ofereceu Ywa Naga, sua outra filha encalhada no lugar dela, por esta já ser mais velha e puta. Como Ywa Naga não era tão gostosa quanto Sakuya Hime, Ninigi recusou a oferta do futuro sogrão.

Após muitas brigas e barracos dignos de aparecerem no Casos de Família, Ninigi e Sakuya Hime enfim conseguiram convencer Oho Yama de conceder sua bênção para que ambos enfim se casassem. Porém, haveria uma punição: como ele recusou Ywa Naga, a partir de então toda a raça humana teria que pagar caro por isso, e suas vidas seriam frágeis como as de uma sakura, pois era a flor predileta da noiva. Se Ninigi tivesse escolhido sua irmã ao invés dela, a vida humana seria forte e resistente como uma pedra, já que Ywa Naga era lésbica e não gostava dessas frescuras de flores, preferindo as pedras.

Lógico, como toda lenda mitológica japonesa, a de Sakuya Hime não poderia ser diferente, portanto há mais de 8000 variações a seu respeito.

Besteiras relacionadas[editar]

Toda essa ladainha citada ali em cima obviamente inspirou uma caralhada de referências das mais variadas formas em animes, mangás e videogames. Para não perder muito tempo e também para evitar a fadiga, nenhum exemplo será citado neste artigo, até porque a Desciclopédia não é o Google. Portanto, se quiser saber mais, trate de parar de ser preguiçoso e ir pesquisar mais informações pela internet afora.

Ver também[editar]