Kyomi Takada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ito-Kitami.jpg Este artigo trata de uma Hentai Girl

Ela é gostosa, mas nón ecziste. Ela participa de algum desenho, jogo ou quadrinhos e você se masturba vendo isso.


Death--.jpg

Kyomi Takada já morreu!

Já entregou as moedas de bronze ao Caronte!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Cquote1.png Você quis dizer: Srª. Kira? Cquote2.png
Google sobre Kyomi Takada
Cquote1.png Experimente também: Misa Amane Cquote2.png
Sugestão do Google para Kyomi Takada
Cquote1.png Eu sou o Kira! E você será a minha deusa nesse novo mundo! Cquote2.png
Light Yagami sobre a verdade dele ser Kira

Kyomi Takada dando um motivo a mais para se assistir aos telejornais

Cquote1.png O.O! Cquote2.png
Kyomi Takada sobre a citação acima
Cquote1.png Misa não gosta dela! Cquote2.png
Misa Amane sobre Kyomi Takada

Apresentação[editar]

Nossa querida personagem

Kyomi Takada é uma hentai vadia personagem do anime/mangá Death Note, além de apresentadora de programas de auditório jornalísticos. Sua participação nesse anime, sem pé e nem cabeça, foi a de ser porta-voz do assassino de assassinos (e conquistador nas horas vagas) Kira, que desejava criar um novo mundo de amor, paz, sexo, dorgas mano e muitas outras coisas divertidas. Depois da morte do maior investigador criminalista do mundo, L. Lawliet, e de seu fiel escudeiro, o mordomo Watari, Kira estava botando quente nos assassinos presos, ou simplesmente naqueles que acabavam tendo o rosto divulgado pela televisão como pessoas perigosas. Muita gente começou a simpatizar com o estilo dos julgamentos, que sempre visava atingir os piores criminosos possíveis, evitando ao máximo a morte de civis. Também houve muitos que os que se aproveitavam de tal situação para conseguir dinheiro do povo, criando seitas sem nenhum sentido aparente, afim de criar a "Religião do Deus Kira.

A escolha da porta-voz[editar]

Um programa que disputava a audiência com Kyomi

Essas pessoas se diziam "porta-vozes" de Kira e pediam uma "pequena contribuição" de seus ouvinte, tipo o que a Igreja Universal do Reino de Deus faz hoje, afim de erguer templos e manter o seu canal de televisão no ar. Como Raito Yagami não podia ficar exercendo a função de Kira, por estar sendo vigiado 24 horas pessoas seus colegas de trabalho, e não gostar nenhum pouquinho de ver o seu "Santo Nome usado em vão", ele decidiu utilizar-se de Misa Amane (sua marionete sem cordas, fora o fato dela ser loira) para que a mesma entrega-se o Death Note que ela tinha para a pessoa mais apropriada para substituí-los nos julgamentos dos criminosos (incluindo esses caras da televisão), sendo que o escolhido foi um antigo "paga-lanches" universitário, agora também palestrante do Caso Kira, Mikami Teru, um cara inteligênte, que se parecia muito com Raito (até na vida sexual).

Depois que Takada ficou famosa ela não tem mais privacidade

Teru Mikami também não gostava nenhum pouco da ideia de ver o nome de "Deus" na telinha, saindo da boca daqueles hereges. Por isso as primeiras pessoas que ele resolveu matar (para mostrar que já estava exercendo a profissão que lhe foi confiada) foram os apresentadores do Reino de Kira, um programa de lavagem cerebral televisivo, que pedia dinheiro aos adeptos do Kiranismo para tudo relacionado à religião, mas que não passava de um simples golpe de charlatões. Para que alguém falasse mesmo a verdade de "Deus" e repassa-se as suas ideias, Teru resolveu ele mesmo contratar uma hentai garota para ser a porta-voz de Kira, sendo que a escolha até que não foi difícil, pois ele já tinha pego a conhecido durante uma entrevista na televisão, tratava-se de Kyomi Takada, uma garota que sabia reconhecia os esforços de Kira para salvar o mundo da maldade, além da própria ser uma antiga colega de faculdade do Raito Yagami e que sempre quis dar uns pegas nele.

Claro que Kyomi não fazia ideia de que Raito era Kira (ou o contrário), mas como ela simplesmente beijava o chão em que ele pisava, Raito adorou o fato de que ela (coincidentemente) acabasse sendo escolhida para a sua representante na Terra e nos meios informacionais, aplaudindo o fato de ter escolhido Teru como seu baba-ovo julgador substituto. Os parceiros de Light no "Caso Kira" logo ficaram de olho nele, ao ver que uma antiga amiga tinha sido escolhida como representante de Kira, mas Raito (como sempre) tinha uma carta na manga para se safar mais uma vez, que seria a de propor uma parceria (fajuta) entre a polícia japonesa e a representante do "Deus do Novo Mundo", a novata (metida a Fátima Bernardes) apresentadora de televisão Kyomi Takada.

O encontro[editar]

A cara que Kyomi fez ao saber que Raito era Kira (ela esperava pelo menos alguém melhor)

Buscando a sua agenda de telefones, Raito conseguiu resgatar o número de Kyomi Takada, que estava mais do que empoeirado (assim como o de um bando de garotas que ele nem sequer dá bola), ligando para ela em seguida, claro, sobre a supervisão de seus "companheiros" que não estavam mais dando tanta moral para ele quanto antigamente, suspeitando que ele fosse o assassino afinal. Quando Kyomi descobre que quem a estava ligando era Kira Raito, fica logo toda excitada nervosa, não sabendo o que falar, até que ele pede para que seja marcado um encontro entre eles e depois algo mais para conversarem sobre um assunto muito sério. Takada sabia que o tema era sobre Kira e não prometeu uma conversa muito a respeito de seu Deus, mas Kira não se importava com isso, pois ele já estava com tudo arrumado (ele tinha um plano), precisava somente que o encontro fosse realizado, que foi o que acabou acontecendo no dia seguinte à ligação entre os dois.

A promessa que Raito fez, mas que nunca poderá cumprir

O encontro foi marcado, mas no local em que se realizaria foi colocado mais camêras de seguranças e microfones do que na "Casa do Big Brother Brasil", para evitar que os dois tivessem alguma privacidade além da permitida (povo voyeurista é fogo). Ao chegar no local, ambos começam a conversar sobre coisas sem o menor sentido, do tipo: "Como está a tua mãe e o teu pai?"; "Passou de ano?"; "Onde você arrumou o seu cabelo?"; sendo que nada era voltado para o tema que realmente tinha que ser discutido, que era sobre o Kira. É então que Teru Mikami (o atual possuidor do Death Note) resolve ligar para Kyomi sem nenhum aviso, o que a surpreende e deixa que ela solte a exclamação "Kira!", despertando a curiosidade dos ouvintes e do próprio Raito. Teru então pede para falar com o Light, que acaba reconhecendo o seu "Deus" do outro lado da linha, quando Raito fala sobre algo que somente o novo possuidor do caderno tinha conhecimento (que foi o dia de recebimento do caderno).

Somente por bilhetinhos é que os pombinhos podiam conversar

Na conversa entre os dois (que só era "sim, sim", mas que passou uma gama de informação entre ambos), o "Segundo Kira" mata ao vivo (ou será morto?) um dos apresentadores do "Reino de Kira", para assim mostrar que Raito não era quem matava. Depois desse testemunho aos olhos dos policiais, Raito faz um pedido a eles, que todas as cameras e microfones fossem desligadas, pois isso tinha sido um pedido de Kira, que se não fosse atendido poderia matar mais gente. Como eles são defensores do bem, eles acataram o pedido. Com isso, Raito pode conversar (agora sim) particularmente com Kyomi, falando finalmente a frase "Eu sou o Kira!". Kyomi adorou a ideia, ainda mais quando Light disse que ela seria a Srª. Kira "Deusa dele nesse Novo Mundo" que ele criaria. Depois daí, eles tiveram muitos outros, mas onde somente os microfones estavam ligados, o que permitia que eles falassem uma coisa, mas (em blocos de papel) se comunicassem sobre os próximos passos de seu plano de dominação mundial.

Misa Amane[editar]

Misa tentando levar vantagem com uma mentira deslavada dessas

A cada dia que se passava, mais Kyomi Takada se apaixonava por Raito (acho que esse cara tem uma Bible Black), fazendo todas as vontades que o metido a Deus desejava. Além disso, ainda tinha que dividir o tempo com ele, com o programa televisivo e entrar em contato com o "outro Kira", para lhe repassar os próximos passos dos planos mirabolantes de Light. Mas tinha algo que incomodava muito a futura Srª. Kira, que era exatamente a namorada de seu Senhor, a hentai modelo burra Misa Amane, que já tinha diminuído a sua vida por duas vezes, além de ter sido abusada umas trocentas, em nome de Raito. Misa sabia da existência de Kyomi e de que Raito a somente estava usando, por isso nem sequer se preocupava (ou não), pois sabia que Raito era somente seu afinal. Durante um encontro inesperado, Kyomi convida Misa para um jantar, para tratarem de assuntos de mulheres, Misa, mesmo a contragosto, aceita a proposta (seria uma boa pra humilhar a garota e afastá-la de seu macho).

Kyomi ownando Misa com uma verdade

Durante o jantar "Misa Misa" exagera na bebida, ficando uma alcoolatra super louca, falando besteiras que não acabavam mais, além de alfinetar a anfitriã do jantar sem parar. Indagada sobre a relação entre ela e Raito, Misa diz que tudo ia as mil maravilhas, que o garoto não a deixava em paz, além de ser um tarado assumido (claro que tudo isso era mentira, afinal, NUNCA o Light pegou a Misa). Kyomi fica com ciúme e fala que Kira "provavelmente" a poderia matar, coisa que não seria tão ruim. Misa replica, falando que ela pediria a mão de Raito em casamento em rede nacional (não deveria ser o contrário?), e quem poderia acabar sendo morta era Kyomi. A apresentadora então se engasga com um pedaço de bife crú, lembrando do dia em que Raito havia dito que ela iria ser a "Deusa do Novo Mundo", não temendo à Misa. Ela então se levanta e vai embora, dizendo que as duas só poderiam se reencontrar quando Misa crescesse (OWNED), deixando a outra sozinha e triloca de cachaça, pra variar.

Morte de Kyomi[editar]

Mello não se importa nenhum pouco com a garota, quer que ela tire tudo!
Talvez Mello queria que Takada ficasse assim

Cansada das atitudes infantis de Misa Amane e de não saber o porquê de Raito ainda não ter dado um pé-na-bunda da garota, Kyomi resolveu bater um papo com ele durante o último encontro que eles teriam e pediu para que ele se decidessem quem é que realmente seria a "Srª. Kira", ela (bonita e inteligente) ou Misa (Loira sueca ninfomaníaca bissexual e burra - eta escolha difícil). Kira realçou as atitudes de Misa e contou que ela era especial para ele, além de ter arriscado (e muito) a vida dela em nome de Kira, sem falar do fato dela ter sido o "Segundo Kira", coisa que Kyomi nem imaginava. Ele porém fala que ela era especial para ele e estava sendo muito útil, o que o colocava contra a parede. Por isso ele pediria a ela uma última prova, ela começaria a julgar os assassinos do mundo no lugar de Teru Mikami por um tempo. Tal atitude de Kira para com ela a deixou estarrecida, mas ela resolveu atender aos pedidos dele, se isso significasse que no final eles estariam juntos não faria diferença.

O local secreto de Kyomi para guardar as folhas do Death Note (se bem que ninguém se importou em olhar as folhas).

Foi afim de aumentar as investigações de Near em cima de Teru Mikami que Raito acabou decidindo colocar Kyomi como responsável por algumas folhas do Death Note. Ela mataria alguns assassinos e passaria os nome e horas para o X-Kira, que anotaria tudo em um Death Note falso, para assim continuarem a pensar que era ele realmente o assassino. Tudo isso para que Near não chegasse perto do verdadeiro caderno, que estaria escondido em algum lugar da casa de Teru. E assim Kyomi exercia a sua função dupla, agora de garota propagando de Kira e de assassina de assassinos, até que um dia alguma coisa mudou a sua vida por completo. Durante a sua ida para o trabalho, a entrada do estúdio foi atacada por Matt, que se utilizou de uma bomba de fumaça para desviar a atenção dos seguranças de Kyomi, que seria sequestrada por Mello, um outro cara metido a L. Lawliet, só que viciado em chocolate, ao invés de somente doces ou brinquedinhos sexuais.

Kyomi já não era nenhum pouco importante para Kira (já tinha pego mesmo)

Mello carrega Kyomi em uma motoca e a prende com uma algema (bem sádico), para evitar que ela escapasse, entrando os dois juntos (com moto e tudo) na carroceria de um caminhão de mudanças. Dentro dele, Mello pede para que ela tire toda a roupa (TODA! sem ficar com nada, somente embrulhada em um lençol que ele daria), isso seria para que ele visse que ela não estava com o Caderno (ou para ver outras coisas). Durante o momento em que estava tirando o sutiã, vê-se que era nesse local que ela escondia as folhas do caderno (agora tá explicado o porquê deles estarem grandes), sendo que ela rapidamente os enrola no lençol. Quando Mello sai da carroceria (pows, tem uma mulher nua na carroceria e ele sai de lá?) ele pega o caminhão e o lave para um casarão abandonado. Aproveitando a distração dele e o fato de saber o seu nome completo (Raito havia lhe dito uma vez), Kyomi resolve matá-lo e, depois disso, liga para Light para que ele a encontras-se e a salva-se (sendo que ela tinha essa ideia).

A sentença de morte de Kyomi Takada em uma simples folhinha de papel com pauta

Kyomi conseguiu matar uma das pessoas que atormentavam demais Raito, e ele é muito grato a ela por isso, mas ela finalmente havia cumprido a sua função no anime. Por isso ele não vê mais que utilidade Kyomi pode vir a apresentar, a não ser a de atormentá-lo para que ele largasse Misa Amane (coisa que ele não era nem doido de fazer) e ficasse com ela. Por isso ele resolve se utilizar do papelzinho que tem guardado dentro de seu relógio (um relógio super High Tech que vem com porta-papel para Death Note) e a mata, sem dó nem piedade, fazendo-a explodir o caminhão em que ela e o corpo de Mello estavam. Bom, pelo menos os desejos de Misa Misa estavam certos, Kira poderia mesmo acabar matando a garota.

Ver também[editar]