Léo Delibes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Léo Delibes foi um compositor de música erudita francês conhecido por quase todos pela ópera Sylvia, por mais que apenas a ária "Dueto das Flores" seja realmente famosa, e o restante dela quase ninguém nem sequer sabe do que se trata, então na verdade ele é de fato famoso pela ária, e não pela ópera, mas como a ária está dentro da ópera considera-se que seja por conta da ópera. Não só isso mas ele também, nessa mesma ópera também compôs sua outra famosa obra, que é o "Pizzicato", mas o pizzicato é uma técnica de violino, então só pesquisando por "Pizzicato Léo Delibes" que você irá encontrar a composição.

Biografia[editar]

Léo Delibes de boas.

Léo Delibes nasceu numa cidade com nome estranho qualquer na França, que nem vale ter seu nome citado, já que hoje em dia nem existe mais e se transformou em outra cidade. Seu pai era um carteiro a lá Julius Rock, e sua mãe era uma grande musicista, tão grande que ninguém conhece um trabalho dela sequer, e seu avô era um cantor de ópera. E só não podemos chamar isso tudo de clichê porque se trata de fatos, mas se isso fosse um filme seria deveras clichê, pois todo grande compositor vem de uma família musicista. Um fato interessante a respeito de sua família é que seu irmão seria avô de Miguel Delibes, um escritor famoso (óbvio que é famoso, se não nem citava) da Espanha, mas é só isso mesmo e acho que você nunca ouviu falar sobre ele...

Léo Delibes de boas, levando confete na cara...

Delibes começou seus estudos de composições com Adolphe Adam, outro compositor totalmente desconhecido, mas como a maioria dos outros compositores, Delibes também teve aula com outro compositor totalmente desconhecido, pois é assim que funcionava as coisas antigamente. Logo depois teve um bolo e mais uma infinidade de todos os tipos e variações da música erudita, desde canto, até tocar piano, violino, aulas de balé, que não é erudito, mas tá valendo... Depois de todo esses treinamentos, Léo Delibes estava mais do que pronto para começar a sua carreira de compositor.

Delibes começou sua carreira compondo óperas, operetas, músicas e qualquer outra coisa que se tem direito bem desconhecidas atualmente, e irrelevantes, mas algumas delas não deixam de serem boas composições. Também fez uma pequena parceria com Ludwig Minkus, um cara bem sumido atualmente, mas quem gosta bastante de música erudita o conhece. Além disso tudo ele fez várias outras óperas, composições, mas todas elas totalmente sem conhecimento hoje em dia.

Porém foi em 1870 que Léo Delibes fez sucesso e foi parar no topo das rádios, mentira porque na época isso nem existia... Porém, se isso existisse ele realmente estaria no topo das músicas mais ouvidas, por conta de sua ópera "Sylvia", em que nela continha suas composições mais célebres, tais como "Pizzicato" e "Dueto das Flores". Desse jeito Delibes de tornou um grande consagrado na música erudita, e até hoje suas músicas são conhecidas, talvez não ele, mas suas músicas sim, por mais que apenas 10% saibam o nome, e o restante apenas conheça a melodia...

Infelizmente, ou não, Delibes em 1891, logo no inicio do ano, acaba morrendo, vítima de uma morte morrida, que na verdade ninguém sabe do que ele morreu. Alguns dizem que ele tinha alergia a amendoim e morreu por conta deles, outros dizem que ele era tão poderoso que pediu para a vida o matar pois já estava cansado, e assim o fez e acabou morrendo. Até hoje pesquisadores pesquisam do que ele morreu, mas até agora nada foi encontrado como resposta...

Obras[editar]

  • Sylvia: É um balé metade ópera, por conter algumas árias famosas, é um balé a respeito da mitologia grega, com ninfas em um plano principal. Essa ópera é a mais famosa de Léo, e consequentemente podemos até mesmo afirmar que se não fosse ela Léo seria totalmente esquecido e desconhecido pelo Mundo, ainda mais do que ele já é hoje em dia. O balé/ópera tem apenas três atos, sendo que nessa ópera uma ária e uma composição se destacaram das demais, que são:
  • Pizzicato: Essa composição é realmente muito curta e rápida para os padrões eruditos que normalmente duram uma meia hora, e no máximo umas duas horas. E por conta disso mesmo você não precisa criar ânimos de ter que escuta-la toda, já que só dura um minuto, sem contar que ela é bem simples, e precisa ter um ouvido super sônico para escutar-la com atenção, pois ela é mais baixa do que o nível de piadas do Pânico na Band... Mas ao menos vale apena escutar-la.
  • Dueto das Flores: Sua ária mais famosa, e também a única que conseguiu se destacar no mundo das pessoas que não escutam música erudita. Não é necessário nem querer entender a sua letra, visto que é em francês. Além disso ela é normalmente cantada por mulheres, no máximo duas, mas se quiser cantar-la com dez homens vá em frente... Ela já apareceu em algumas séries e filmes, tal como Apenas um Show, mas esse exemplo é uma bosta....
v d e h
Bach shades.jpg ♫♫♫ Compositores da Música Erudita ♫♫♫

AlbinoniBachBalakirevBarberBartókBeethovenBelliniBerliozBeyerBizetBoccheriniBorodinBrahmsBrucknerCarlos GomesChopinClara SchumannCorelliCuiDebussyDelibesDonizettiDenzaDukasDvorakElgarFauréFučíkGambolputtyGluckGounodGriegHandelHaydnHolstJoplinKhachaturianLeoncavalloLisztMahlerMascagniMassenetMendelssohnMonteverdiMontiMozartMussorgskyOffenbachOrffPachelbelPaganiniPalestrinaPeppinoPonchielliProkofievPucciniPurcellRachmaninoffRavelRichard StraussRimsky-KorsakovJuventino RosasRossiniRubinsteinSaint-SaënsSalieriSatieScarlatti PaiScarlatti FilhoSchoenbergShostakovichSchubertSchumannSibeliusSmetanaSousaStrauss FilhoStrauss PaiStravinskySuppéTartiniTchaikovskyTelemannVerdiVilla-LobosVivaldiWagnerWaldteufelWeberZappa