Léo Jaime

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
E tinha que usar ficha no orelhão.

Rioband.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Rossi.jpg Este artigo trata de coisas muito bregas, bicho!

Se você acha que a moda é coisa só pra gente chique, esqueça isso aqui e tome seu rumo, mas se você é um mal-amado fã de Falcão, pegue a cadeira porque o bingo já começou.

Falcao.jpg


Léo Jaime
[[Imagem:
Leo.jpg
|200px]]
Léo Jaime, em uma de suas últimas aparições públicas ANTES de começar a engordar...
Origem Goiânia
País Brasil
Período 1982-até quando houver UMA pessoa na plateia
Gênero(s) pop rock cover de Lulu Santos
Gravadora(s) A que pagar mais e cobrar menos
Integrante(s) {{{integrantes}}}
Ex-integrante(s) {{{exintegrantes}}}
Site oficial {{{site}}}


Cquote1.png Doutor, isso é uma baleionaaaa!!! Cquote2.png
Severino sobre Léo Jaime
Cquote1.png Vou processar ele por direitos autorais. Cquote2.png
Lulu Santos sobre Léo Jaime
Cquote1.png Ele traiu o movimento magro, véio!!! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Léo Jaime
Cquote1.png Isso ainda ecziste? Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Léo Jaime

Quem(ou o quê) é isso?[editar]

Léo Jaime, no início da carreira, também teve de fazer uns bicos como garoto de programa prontinho pra dar um CRÉU nas meninadas(observem a cara de safado dele). Era magrinho, não?

Léo Jaime foi um dos músicos de destaque na incipiente cena do Rock ´n´ Roll brasileiro dos anos 80. Costumava ser um cara bacana até padecer de cuzonite aguda e virar um gordo broxa e babaca. Metido a entendido em comportamento feminino malha os homens a troco de nada enaltecendo sempre o sexo oposto pra ver se consegue uma transa fácil. Mas sua paumolenguise é tamanha que mesmo quando consegue uma parceira esta tem de fazer a vezes de enfermeira pra levantar o defunto - já há muito asfixiado entre as banhas da fera. Além de cantor, compositor e guitarrista, ele também já foi ator, pintor, escultor, escritor, comentarista esportivo, advogado, médico, camelô, bailarino, entre inúmeras outras profissões, mas o que realmente o tornou famoso na mídia foram seus memoráveis covers de Lulu Santos.

Nascido Leonardo Jaime, em Goiânia, na divisa com o Acre, em 23 de abril de 1960, ele viu que morar naquele matagal ouvindo as músicas de Zezé Di Camargo e Luciano não era vida, e resolveu se mudar para o Rio de Janeiro. No início de carreira ele era um reles integrante da banda de rockabilly João Despenca & Seus Miquinhos Desastrados. A banda era muito ruim, o que levou ele a cair fora daquela furada. Enquanto via o que ia fazer da vida, ficou um tempo como vocalista provisório do Barão Vermelho, mas como Frejat e nenhum dos outros integrantes sabia tocar nenhuma música do Lulu Santos, ele resolveu cair fora dessa também.

Aí ele começou a engordar e fodeu tudo...

Carreira Solo[editar]

Léo Jaime, disfarçado de boiola, pedindo silêncio para gravação de seu programa de fofocas no SBT.

Como nosso amigo Léo não conseguia encontrar ninguém que o compreendesse(e que o suportasse), resolveu seguir carreira solo. Como não conseguia criar um estilo próprio, viu em imitar Lulu Santos(obviamente cobrando mais barato pelos shows) uma maneira de alcançar o estrelato. Mesmo a imitação sendo descarada, ele nunca assumiu isso. Estourou no cenário pop nacional com músicas como Sônia, A Vida Não Presta, e Dando de Bambolê, música que contava os tempos de orgias sexuais e cheiramento de gatinhos com Cazuza.

Mas a concorrência era ferrenha, e o povo logo percebeu que tinha coisa bem melhor pra ouvir, como Paralamas do Sucesso, Lobão, Titãs, Legião Urbana e o prórpio Lulu Santos(bem melhor ouvir o original do que uma cópia de segunda, não?) e Léo começou a entrar no ostracismo. Mas ainda havia uma saída - a carreira de ator!


Em 1988, ele atua na telenovela Bebum a Bordo, onde a trama se passava em um Boeing 737 sendo pilotado por João Canabrava. Também atua nas pornochanchadas O Escorpião Escarlate, Rádio Pirata, Rock Estrela e As Sete Vampiras.

A Decadência[editar]

Léo Jaime, na época em que era comentarista esportivo.

Tudo ia bem novamente para o "artista", mas aí aconteceu um grande problema em sua vida: Lulu Santos resolveu NÃO engordar.

Neste meio tempo, Léo Jaime se viu obrigado a desempenhar as profissões mais vergonhosas e esdrúxulas para poder garantir o seu sustento: dublê de Jô Soares, rolha de poço, rolo de amassar pastel e por aí vai...

Mas quando pareciam não haver mais esperanças, eis que o SBT(Sistema Bozo de Televisão) resolve contratar Léo para ser COMENTARISTA ESPORTIVO!!!(e o pior que essa parte do texto NÃO é piada, aconteceu mesmo! Eles deviam estar com falta de opção). Incrivelmente, Léo se mostra um bom comentarista, sendo bem melhor que Galvão Bueno e Nivaldo Prietto.

A Retomada da Carreira[editar]

Léo Jaime, fazendo participação especial no programa Sob Nova Direção, da Globo.

Mas Léo queria voltar a vender discos, tocar nas rádios, com isso, abandona o SBT e resolve gravar disco novo. Mas era preciso um hit, de preferência romântico(pra grudar nos ouvidos das menininhas) e com um refrão(fácil de "grudar" na cabeça). Pediu auxílio ao Tiririca, mas como o compositor de Florentina estava ocupado gravando o Programa do Tom, ele resolve se virar sozinho. Neste instante, ele tem a brilhante ideia de gravar Esse Brilho Em Teu Olhar(composição de adivinha quem???:-)). O sucesso volta a sorrir para Léo por alguns meses, mas acontece um novo problema: assim como os Loser Manos e a sua Anna Júlia, Léo não tinha percebido que para continuar no sucesso, devia gravar mais de uma música.

Léo Jaime hoje[editar]

Léo Jaime, pouco antes de um show na África do Sul.

Depois da grande cagada cometida nesse seu último disco, Léo vive de pequenos shows(entenda-se com lotação de até no máximo, 20 pessoas, não incluindo parentes e amigos), participações especiais em festas thrash dos anos 80 e com sua barraquinha de camelô na 25 de março.

"DiscografRia:"[editar]

Léo Jaime, durante sua participação no programa Big Brother Brasil.

1982 - Phodas C(tem gente que é tão sonsa que não entende esse trocadilho)

1983 - Eu Não Sou Lulu Santos

1984 - Sessão da Tarde

1987 - Sessão das Dez

1988 - Sessão Comédia

1992 - "Ses-são" Foda(não entendeu esse, se mata!)

1995 - Ao Vivo, no Spa de Guarapari

1997 - Remixes(como faz todo artista em fim de carreira, "pra variar")

1999 - Sessão de Quimioterapia

2002 - As Dez Menos