Lamb of God

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Lamb of God
Lambofgod band.jpg
Foto tirada após saírem da igreja onde frequentam.
Origem Icons-flag-us.png Americana
País E, U e A
Período 1998 até esse presente momento até agora hoje.
Gênero(s) Death Metal / MetalCore / Death Evangélico / White Metal
Gravadora(s) Nossa Igreja Feliz Records
Integrante(s) Mark Morton
Chris Adler
John Campbell
Willie Adler
Randy Blythe.
Ex-integrante(s) {{{exintegrantes}}}
Site oficial {{{site}}}


Babel fish.gifTraduzindo: Cordeiro de Deus
Babel Fish sobre Lamb of God
Cquote1.png Experimente também: Bode Cquote2.png
Sugestão do Google para Lamb of God
Cquote1.png Glóóóóória a Deus, Aleluiaaas Cquote2.png
Crente sobre o anúncio que Lamb of God vai tocar na sua igreja
Cquote1.png Isso é crente? Nuuuunca! Cquote2.png
Sua Mãe sobre você ouvindo Lamb of God.


Lamb of God (Lambida de Deus) é uma banda de metalcore / trash / death evangélico / white metal dos Istêites, que tem como principal meta, propagar o evangelho da salvação aos quatro cantos deste mundo, principalmente, aos headbangers, maconheiros e outros desse gênero.


História[editar]

Randy Blyth, mostrando onde fica o céu aos membros de sua igreja.

Uma ideia que brotou do coração de cada um dos membros. Assim foi definido por todos o início do ministério da banda, em 1990. A principal intenção, no início, era apenas tocar uma musiquinha mais pesada na igreja, durante os cultos para jovens, mas ao perceberem que a cada culto, mais e mais jovens se aglomeravam na igreja para curtir o som deles, resolveram sair dos limites da igreja e começaram a tocar em festivais de metal, casas de show, abrindo shows para outras bandas gospel como Sepultura, As I Lay Dying, entre outras.

Inicialmente, o grupo se chamava Burn the Priest, nome que agradou a todos da sua congregação, inclusive ao pastor, que não viu mal nenhum , e os abençoou. Com a bênção de seu pastor, a aprovação do nome junto à comunidade religiosa, e vários dias de jejum e oração, eles resolveram pegar no batente e puseram a mão na massa, ou seja, começaram a escrever suas primeiras músicas.

Mark Morton, ou se prefirerem, Moisés.

Com isso, ainda neste mesmo ano de 1990, o guitarrista tocador de guitarra Mark Morton, o baterista que toca bateria Chris Adler e o baixista que tocava lá embaixo John Campbell começaram a se tocar juntos, na casa de Adler. Durante esse tempo, ainda sem vocalista, apenas praticavam o instrumental, tentado fazê-lo ficar o menos parecido possível com o que é tocado nas igrejas. Porém, Mark Morton foi nomeado pastor e resolveu pular fora do barco. Para substituí-lo, foi chamado Abe Spear. Logo após a troca de guitarristas, eles gravaram uma fita para demo com apenas o instrumental de alguma músicas que já haviam feito durante esses ensaios.

Com uma maior divulgação dessa demo gravada, eles foram convidados pela também banda de rock gospel Agents of Satan a fazer uma participação em seu cd. Logo após isso, eles sentiram a necessidade de incluir um vocalista, visto que já estavam saturados de só tocar, tocar e tocar sem ter como expressar seus sentimentos e opiniões. Para tanto, chamaram o obreiro Randy Blythe para assumir os vocais, pois quando este era ainda "do mundo", foi vocalista de diversas bandas de black e trash, e tinha uma voz que agradava a todos, e que de acordo com eles, encaixava perfeitamente com a sonoridade feita por eles.

Chris Adler, o Abraão da banda

.

Após perceber que a banda estava dando certo, Mark Morton resolveu regressar, assim como o filho pródigo, e Abe Spear, com ciúmes e puto da vida com toda essa situação, resolveu sair fora, deixando assim aberta a vaga de segundo guitarrista, que mais tarde viria a ser preenchida por Willie Adler, irmão de Chirs Adler, que estava desempregado e passando fome. Estava indo tudo bem, até que resolveram embaçar com o nome da banda.

Em todas as igrejas e eventos religiosos que tocavam, recebiam duras críticas pelo nome escolhido para a banda. Após ouvir todo o tipo de crítica eu perseguição, ficou resolvido que o nome não seria mais Burn de Priest, visto que muitos iam contra esse nome, e foi mudado para Lamb of God sendo assim, aceita por todos os outros fanáticos crentes.

Para afimar sua fé em Deus e nas escrituras, eles resolveram adotar o visual parecido com os seus ídolos e heróis bíblicos. Sendo assim, cada um deixou seus cabelos e barbas crescerem, ficando parecidos com Moisés, Abraão, Noé e Matusalém. Apenas o vocalista resolveu ficar de fora dessa putaria onda, visto que seu ídolo bíblico era Eva, e como Eva não tinha barba, ele resolveu ficar do jeito que é.

Curiosidades[editar]

  • Lamb of God também é conhecida como "Os Pregadores" do Metal, visto que quando não estão tocando em algum show ou gravando músicas, estão pregando a palavra do Senhor nos becos, favelas, paradas de ônibus, portas de terreiros e etc.
  • Todos fizeram um voto que nunca cortarão o cabelo ou a barba até que todos que curtem o som que eles fazem aceitar a Jesus.
  • Como são muito parecidos, eles chegam a se confundir com seu parceiro de banda ao olhar fotos e até mesmo ao se olharem no espelho!
  • Com o desenvolvimento, divulgação e aceitação da Teologia da Prosperidade, todos os membros da banda resolveram que lutariam bravamente, enquanto tivessem forças para tal, para combater essa falsa teoria bíblica, matando e metendo porrada em todos os que aceitam essa bosta numa boa.

Discografia[editar]

John Campbell, ou Noé??
  • Burn The Priest (1998) - Na época do lançamento deste álbum, a banda não tinha criatividade suficiente para bolar um nome para o cd de lançamento. Como existe toda uma questão com gravadora e coisa e tal, eles tiveram que fazer como toda banda em início de carreira que se preze faz, lançar um cd com o nome da banda. Como o nome ainda era Burn The Priest, o cd foi intitulado com o mesmo nome da banda. Como era o início de tudo, da vida artística e por se tratar da primeira gravação profissional da banda, este álbum foi pouco, digo, não foi divulgado como merecia...ainda bem, pois se todos os fãs atuais o ouvissem na época do lançamento, com certeza hoje não seriam mais admiradores de Lamb of God.
  • New American Gospel (2000) - Apologia à música gospel. Lançado dois anos após o primeiro, suas músicas explicitam como é bom fazer parte de uma banda de metal gospel, diz a respeito de suas experiências espirituais durante shows e reuniões de oração, e sobre a comunhão de cada um em sua igreja e com suas respectivas famílias. Com isso, aumentou o número de crentes mais crentes ainda, e de metaleiros que se transformavam em crente por começarem a admirar o trabalho deles.
  • As the Palace Burn (2003) - Este cd é uma forma musical do Apocalipse. Fala a respeito da derrota de Satanás, e sobre a salvação dos santos, e os não santos a caminho do inferno. A principal intenção foi chocar os ouvintes o máximo possível, fazendo-os ficarem com medo de ir para o inferno e aumentando o valor dos dízimos dos mesmos, para assim garantir sua entrada no paraíso.
  • Ashes Of The Wake (2004) - Um dos melhores álbuns, ele trata a respeito das cinzas que sobram após a queima de fogos de artifício. Também é o cd que praticamente revelou Lamb of God como banda para o mundo. Também marca a mudança de vida e atitude de todos os integrantes, pois da mesma forma que vendeu bastante, gerou lucros para os membros da banda, tornando-os ricos.
  • Sacrament (2006) - Outro excelente cd, que mostra uma evolução tanto técnica quanto espiritual, trazendo letras de adoração maravilhosas e tranqüilas. Tanto que muitas igrejas evangélicas hoje em dia incluíram algumas músicas desse cd em seu repertório para ser tocado durante os cultos e batismos.
  • Wrath (2009) - Este é disparado o melhor álbum da banda. Com letras que te levam a pensar acerca da vida, que te levam a analisar suas atitudes e pensamentos, sua forma de viver e tudo mais relacionado ao seu comportamento mesquinho e egoísta. É quase um cd de auto-ajuda para metaleiros, só que ele é mais que auto-ajuda, é um imposição à mudança de comportamento e pensamento. Sem dúvida, um dos melhores álbuns gospel de todos os tempos.

Integrantes[editar]

Mark Morton, tão velho quanto seu ídolo, Moisés(algum sem cérebro havia colocado uma foto do Mark Morton com nome de Willie Adler).

Ex-Integrantes[editar]

  • Abe Spear - guitarrista que virou emo depois de resolver sair fora da banda. Tocou em algumas bandas brasileiras como Krizium e Rodox, mas desistiu da música e virou cabeleireiro.
  • Inri Cristo - Vocal. Achou que como era barbado e cabeludo, além de se dizer a encarnação de Jesus, teria espaço e faria sucesso. Mas não foi nada disso que aconteceu, logo que abriu a boca pra cantar, foi um desastre só e foi prontamente demitido.

Ver Também[editar]