Larsa Ferrinas Solidor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Larsa, ou Lamont, tanto faz


Larsa tabela.jpg
Nome Real Larsa Ferrinas Solidor
Cidade Batman, Turquia

Características
Inteligência Médio-cre
Afiliações Ninguém (melhor amigo)
Parentes Imperador Gramis (pai esclerosado)
Imperador Vayne (irmão psicopata)
Inimigos Como Larsa não fede nem cheira, ele não tem inimigos
Poderes *Atacar com a espadinha
*Salvar todo mundo com as suas poções
*Correr pra caralho

Larsa Ferrinas Solidor (em japonês: 役に立たない) é o irmãozinho pentelho do Imperador Vayne, e um dos personagens mais inúteis de Final Fantasy XII. Apesar de seu irmão ter feito todo o possível para afastá-lo das más influências, Larsa acabou fazendo amizade com favelados e bandidos, e se tornou um maloqueiro e sofredor. Após a morte matada de Vayne, ele herdou o trono, se tornou o novo governante de Archadia, e ficou conhecido pelas suas políticas liberais, como a legalização da maconha, do aborto, das rinhas de galo, do estupro e das putarias ao ar livre.

História[editar]

Parido em uma sexta-feira 13, Larsa nunca teve boa sorte. Sua família, que governa Archadia desde eras remotas, é composta apenas por psicopatas, que não pensam duas vezes antes de matar seus próprios parentes, caso seja necessário. Logo que nasceu, Larsa teve que assistir de camarote seu irmão mais velho, Vayne, matar sua mãe, a rainha, apenas porque ela gritou demais durante o parto, e atrapalhou uma partida de xadrez entre o Imperador Gramis e o Juiz Gabranth. Apesar de ser apenas um recém-nascido, Larsa observou aquilo e não chorou, nem mesmo quando o sangue da defunta pingou em sua cara, pois já sabia que, se abrisse a boca, seria o próximo da lista, afinal, se Vayne tinha matado até a própria mãe, que sempre tinha lhe tratado com carinho, ele podia muito bem matar um irmãozinho pentelho, que ainda nem conhecia direito.

Vayne e Larsa, exemplo de uma relação saudável entre irmãos.

Ainda na infância, Larsa presenciou o assassinato de seus dois irmãos do meio pelas mãos de Vayne, pois o Imperador Gramis não queria que esses filhos vagabundos herdassem o seu tão amado trono. Sabendo que poderia ser morto a qualquer instante pelo seu irmão, Larsa começou a treinar esgrima, além de assistir algumas vídeo-aulas ministradas por Chuck Norris. Pelo menos por hora, isso era o suficiente para garantir a sobrevivência, apesar de Vayne considerar seu irmãozinho um verme insignificante, que não poderia atrapalhar de nenhuma maneira sua ascensão ao trono.

Quando completou doze anos, Larsa foi enviado para um cu do mundo, conhecido como Bhujerba, pois o Imperador Gramis queria o palácio livre, para realizar o seu sonho de promover uma grande orgia gay envolvendo seu filho Vayne, todos os seus súditos mais extrovertidos e os seus aliados políticos do Império de Rozarria. Larsa não fazia ideia do que fazer em Bhujerba, pois essa cidade significa para Archadia o mesmo que Araponga significa para o Brasil. Então, para passar o tempo, ele foi vasculhar umas minas de nethicite, pois queria conferir se eram verdadeiros os boatos de que lá existiam esqueletos vivos que andavam e trabalhavam como homens do saco. Chegando lá, Larsa não encontrou nada de anormal, a não ser um estoque de maconha que tinha sido escondido por alguns traficantes meio fracos das ideias. A única coisa que lhe despertou a atenção foi uma pequena passagem úmida, que levava a um corredor escuro estranho. Larsa ficou meio curioso para investigar aquilo, mas como estava desarmado, ele resolveu não ir em frente. Então, saindo das minas, Larsa resolveu ir visitar o principal e único ponto turístico de Bhujerba, o aeroporto.

Chegando lá, Larsa ouviu alguns traficantes conversando sobre como entrar no setor mais profundo das minas, cujo único acesso era a estranha passagem úmida. Interessado na exploração, Larsa se apresentou para o grupo, e ofereceu a sua companhia nessa expedição do barulho. Obviamente, Larsa não disse para eles o seu nome verdadeiro, pois, se os traficantes soubessem que ele fazia parte da família real, iriam sequestrá-lo, torturá-lo, cortar-lhe a orelha e pedir um resgate milionário para o Imperador Gramis. Então, Larsa se apresentou apenas com o suspeito nome de "Lamont".

Deflorando as minas de Bhujerba[editar]

Agora acompanhado por sujeitos armados com equipamentos top de linha, Larsa não teve medo de explorar aquele corredorzinho úmido. O único problema é que as lendas urbanas eram verdadeiras, e os esqueletos guerreiros realmente estavam lá dentro, matando todos os sujeitos que ousassem invadir os seus demônios domínios. Mas esses esqueletos eram fracos, e morriam rapidamente. E os traficantes puderam lutar com toda a tranquilidade, sem se preocupar com a retaguarda, pois Larsa possui um estoque infinito de poções de cura, que recuperam toda a vida deles, caso precissem.

Quando chegaram bem no centro da mina, onde o nethicite abundava, Larsa achou que estava no paraíso, pois poderia fumar todo aquele material que tinha as mesmas características que o crack. Porém, ele nem teve tempo de aproveitar. Quando Larsa foi fumar a sua primeira pedra, apareceram alguns monstros estraga-prazeres, conhecidos como Ba'Gamnan, que queriam a cabeça e o cabaço de Balthier, o ladrãozinho que tinha lhes roubado alguma coisa que nem eles lembra o quê há muito tempo atrás. Quando Larsa percebeu que esses bichos tinham tomado anabolizantes, e estavam armados com peixeiras feitas no nordeste brasileiro, ele foi esperto, e saiu correndo, abandonando seus "amigos" para morrer. Infelizmente, seus "amigos" também eram ladrões, caras das ruas, e eram espertos na arte da fuga, e conseguiram escapar dos monstros.

Pórém, quando os traficantes chegaram na porta das mina, o Juiz Ghis, um malucão esquizofrênico que fez um pacto com o cramunhão, capturou Penelo, e disse para todo mundo se render, ou a garota iria ser violada em todos os buracos pelos soldados do império, que estavam na seca há anos. Sabendo que sua amiguinha semi-virgem não iria aguentar o tranco, Larsa a salvou, dizendo que iria tomar conta dela. E os outros deveriam sumir dali o quanto antes, ou suas cabeças seriam arrancadas, empalhadas e penduradas no palácio, no lugar das cabeças de alces.

Depois disso, Larsa apenas revelou para Penelo que ele era o herdeiro de Vayne, este que agora era o imperador, já que o seu pai, Gramis, tinha morrido de sífilis, adquirida de um membro honorário do conselho de Rozarria. Depois disso, ele resolveu se isolar, pois precisava satisfazer os seus instintos adolescentes, vendo alguns hentais e capas de Revistas Playboy (não, naquele tempo ainda não existia internet, e muito menos o XVídeos).

Larsa ficou se divertindo sozinho por tanto tempo, que perdeu o desfecho da guerra entre os rebeldes e o império, que foi vencida pelos rebeldes liderados por Vaan e seus amiguinhos. Com o seu irmão morto, Larsa assumiu o cargo de Imperador de Archadia, e adotou as suas já mencionadas no começo do artigo políticas liberais, se tornando o governante mais amado da história daquele império, até porque era o único não ditador fanático.