Legendary Tales

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Were-Only-in-It-for-the-Money.png Este artigo trata de um álbum

E já teve milhares de cópias vendidas! (ou não).

Conheça o resto da playlist clicando aqui.

Legendary Tales
Rhapsody-legendarytales.jpg
Dragões, dragões, dragões!
Lançado em 1997
Gênero Precisa mesmo dizer?
Gravadora Wizards of the Coast


Cquote1.png Você quis dizer: Paraíso das Testemunhas de Jeová Cquote2.png
Google sobre Legendary Tales
Babel fish.gifTraduzindo: Telas legendadas
Babel Fish sobre Legendary Tales
Cquote1.png Legalzinho, mas fazemos melhor. Cquote2.png
Blind Guardian sobre Legendary Tales
Cquote1.png Pop e comercial Cquote2.png
Slayer sobre Legendary Tales
Cquote1.png Eu estava jogando RPG com o Fabio Lione e aí nasceu a ideia de um novo álbum. Ele canta bem melhor que o Cristiano Adacher (e tem o pau maior também!) Cquote2.png
Luca Turilli sobre Legendary Tales


Legendary Tales é o segundo primeiro álbum da banda italiana de nerd metal Rhapsody of Flower, lançado em 1997. Esse disco dá início à saga da Espada de Everaldo, e como o próprio nome diz, suas canções falam de coisas lendárias, como por exemplo o paraíso das Testemunhas de Jeová, a sua e a minha namorada, nerds que transam, etc.

Faixas[editar]

Todas as letras foram compostas por Luca Turilli em uma única sessão de D&D que durou mais de uma semana com noites sem dormir e regadas a muito Red Bull.

  1. Ira tenax - 1:13
  2. Guerreiro da Piroca de Gelo - 5:58
  3. Fúria do Inverno - 6:10
  4. Floresta dos Cornos - 3:23
  5. Chamas da Vingança - 7:29
  6. Virgindade - 7:23
  7. Terras do Immortal - 4:28
  8. Ocos da Tragédia - 6:46
  9. Senhor do Trovão - 4:13
  10. Histórias Legendadas - 7:50

Duração total: 45 minutos, 29 segundos, 30 centésimos, 30 latinhas de red bull e um livro de D&D.


Sobre o álbum[editar]

Luca Turilli queria criar algo especial. Uma história escrota envolvente, repleta de dragões, lutas com magia e orquestras. Então, trouxe a nós as histórias legendadas do mundinho criado por ele. Legendadas, pois nós meros mortais não entendemos o idioma dos deuses nerds. Por que não lendário, também, não é mesmo? Já que só sabem falar de dragões, unicórnios, itens mágicos e heróis poderosos. Esse álbum é tipo um prólogo da saga da Espada de Everaldo, que será contada no próximo álbum e terminada sabe-se lá Deus quando.

Uma batalha em Algalord, um dos mundos criados por Luca Turilli.
  • A primeira música, Ira tenax, é só uma introdução para a próxima música; coisa comum em todas as bandas de nerd metal;
  • Guerreiro da Piroca de Gelo nos conta a história de um guerreiro que é o escolhido para combater o mal, muito poderoso e que deve trazer a paz de volta ao mundo, começando uma guerra santa contra os demônios;
  • Fúria do Inverno é uma música que fala sobre as propriedades mágicas que o inverno traz consigo, moldando montanhas, lagos e florestas. É como uma declaração de amor ao inverno, falando que "não há palavras para descrever quão bela é a poesia do cenário";
  • Floresta dos Cornos fala sobre aqueles que se desiludiram no amor e fugiram para uma floresta para tentar buscar o sentido da vida com outros cornos;
  • Chamas da Vingança narra a despedida do herói de sua cidade natal, Elgard, para combater o mal;
  • Virgindade dá início à jornada do nosso herói rumo à perda de seu cabaço com um homem chamado Everaldo. Também é uma homenagem dos fãs da banda;
  • Terras do Immortal diz sobre o nojo que Luca Turilli (encarnado em nosso herói) tem por black metal e como ele preferiria estar em sua cidade natal, onde todos ouviam NXZero e Restart e eram felizes.
  • Ecos da Tragédia é um lamento de nosso herói sobre a guerra na terra do black metal, onde todos são mortos, comidos vivos ou empalados em praça pública. Ele deve combater esse mal e trazer amor e paz para todos;
  • Senhor do Trovão fala sobre o deus nórdico Thor, principal devoção de nosso herói;
  • Histórias Legendadas termina dá início a uma série de enrolações histórias sobre a descoberta de novas terras, mas claro, em nosso idioma. Também fala de lendas como a perda do cabaço do nerd que ouviu esta merda até o fim, o dia em que eu e você teremos uma namorada, as crenças das Testemunhas de Jeová sobre um novo mundo onde você pode tocar na cobra, enfiar a cabeça dentro da boca de um leão, nadar com golfinhos e transar com unicórnios, e sobre o dia em que a corrupção no Brasil vai acabar.
Na época do Legendary Tales. Parecia uma banda de glam rock, principalmente por causa da pose meio estranha do cara à esquerda, não parecia?

Curiosidades[editar]

  • As músicas do Legendary Tales são usadas em 72% das sessões de RPG;
  • Vários dragões foram feridos durante as gravações;
  • A sessão de D&D que inspirou esse álbum durou duas semanas;
  • Foram apenas duas as vezes em que fizeram uma pausa no jogo. Uma foi para pedir pizzas e outra também (porque o baterista tinha comido tudo sozinho);
  • As espadas na imagem ao lado são de plástico;
  • Vários instrumentos foram utilizados nas gravações, entre eles violas, violinos, violões e violoncelos;
  • Hansi Kürsch, ao ouvir o álbum pela primeira vez, riu tão alto que provocou vários tsunamis na Ásia;
  • A banda ainda não se chamava Rhapsody Of Fire porque na época não sabiam que existia outra banda com esse nome (e até hoje ninguém sabe que existe).


Integrantes[editar]

Fabio Lione - gogó aveludado, paladino;
Luca Turilli - guitarrista autista e apelão, bardo;
Alex Staropoli - tecladista virtuoso com vinte dedos em cada mão, bárbaro;
Daniele Carbonera - batedor de panela, mago morto em combate (passou mal de tanto comer e teve que abandonar a sessão).

Ver também[editar]