Lightning Returns: Final Fantasy XIII

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Lightning Returns: Final Fantasy XIII é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Gordon Freeman tenta descobrir quem é o G-Man.


Final da Fantasia 13,3
Lightning Returns Final Fantasy XIII capa.jpg

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Quadrado-Eunuco
Publicador Quadrado-Eunuco
Ano 2013
Gênero JRPG, Ecchi, Yuri, vestir boneca
Plataformas Jogar-Estação 3; XCaixa 360
Avaliação 40%
Idade para jogar Livre

Lightning Returns: Final Fantasy XIII (ficaram com vergonha de lançar o jogo com um ridículo título Final Fantasy XIII-3) é o último prego no caixão dessa mini-saga iniciada com Final Fantasy XIII-1. Após os dois primeiros jogos e uma enxurrada de DLCs, os fãs da série estavam mais perdidos que cego em briga de foice, então a Square-Enix decidiu lançar este jogo definitivo para encerrar todas questões, porém seja lá quem produziu esse jogo, não jogou os dois primeiros, porque parece que tudo é resetado e estamos apenas jogando um jogo novo com "skin" de Final Fantasy.

Os DLCs dessa vez pelo menos são apenas outras roupas para Lightning que têm o único propósito de arruinar a reputação de outros personagens da série, como por exemplo sacanear Yuna, Cloud e tantos outros, permitindo que Lightning usasse seus uniformes.

Enredo[editar]

Introdução[editar]

Após os magníficos e pesados ​​eventos[carece de fontes] dos dois primeiros jogos e os anteriores 40 pacotes de DLC, pode descartar todas as suas 300 horas de dedicação porque esse novo jogo começa uma nova historinha como se fosse do zero. Após Lightning ter sido transformada numa estátua de sal e permanecer assim por 500 anos e o mundo entrar em caos devido a uma epidemia de flatulência que fez com que todas as pessoas não parassem de peidar uma fumaça preta e mal-cheirosa, o que inclusive fez a taxa de natalidade estagnar e a humanidade colapsar e se reduzir visto que ninguém mais fazia sexo (afinal quem sente tesão por alguém que não para de peidar?) e os poucos fetichistas que se amarravam nisso só fazia sexo anal, que não reproduz, e assim tudo ia se transformando em um conjunto de rochas chamado Nova Chrysalia. Como se isso não bastasse, a pobre irmã de Lightning, Serah, morreu por causa de muitos furos do enredo, então Lightning é ressuscitada por um deus muito preguiçoso e precisa se tornar a salvadora do mundo, aquela que administrará as almas dos mortos catalogando-as por gênero, raça, religião, orientação política, orientação sexual, orientação mental e extravagância no uso de roupas. Tudo em menos de 13 dias, caso contrário a existência do universo se extinguirá. Ela encontra a sua irmã viva, porém parece que bateu a cabeça e virou uma gótica e até mudou de nome, agora chamada de Lumina, irá te encher o saco durante a saga toda.

Num dos primeiros momentos do jogo já encontramos Noel, embebecido de lógica pura, ele quer te matar para salvar o mundo para impedir que você tente salvar o mundo. Após apanhar um pouco ele volta à razão e te deixa seguir a jornada.

Vanille e Fang[editar]

Aos poucos vamos encontrando nossos velhos amigos. Primeiro Oerba Dia Vanille que entrou para a Igreja do Lolicon, onde nos fundos da catedral guarda as almas dos mortos para um dia serem purificadas num grande ritual onde ela se entregará para o maior hentai lolicon de todos os tempos, porém diz estar aguardando o último dia do universo para que tal fato se consumasse. Porém, posteriormente encontramos nossa amante yuri Oerba Yun Fang numas catacumbas procurando um vibrador sagrado que dizia ser a salvação da relação entre ela e Lightning, um instrumento capaz de acabar com qualquer frigidez, o grande problema psicológico de Lightning, e por isso, mesmo com a eminência do fim do mundo em poucos dias, Lightning segue nessa jornada junto à amante. Nesse ínterim é revelado que Vanille está sendo enganada e que será sacrificada por nada, só por um fetiche de um deus doentio, e que ambas devem impedir isso. Infelizmente o Vibrador sagrado é roubado pelos capangas da Igreja do Lolicon, que diziam que usariam aquilo na Vanille no última dia do universo.

Encontrando mais ex-amigos[editar]

Frustrada, Lightning decide pedir ajuda ao seu amigo Sazh Katzroy, que está deprimido por, em três jogos consecutivos, estar sempre só na friendzone, além disso, o seu filho agora está em coma. Devemos então procurar na sex shop mais próxima uma roupinha de enfermeira sexy para Lightning, para que ela possa então ao mesmo tempo curar o filho de Sazh e também causar nele uma ereção, para que seu ânimo regresse e ele tenha sua alma salva.

Outro ex-amigo que encontramos é o nosso cunhado Snow Villiers, que de marombado bodybuilder retardado (personalidade dele nos primeiros jogos da mini-série) tornou-se do nada um vilão genérico. Snow está revoltado porque descobriu que é corno, ou pelo menos deduziu isso ao descobrir que Serah passou o segundo jogo inteiro ao lado de um outro mané (o Noel), e por isso Snow decide virar um gótico emo, características que automaticamente o transformam em chefe a ser combatido. Após ser espancado, Snow é convencido a tornar-se um corno manso, perdoando Serah e tendo assim a sua alma resgatada por Lightning.

Os planos malignos de Bhunivelze[editar]

Então encontramos Hope Estheim, estranhamente em sua aparência de 14 anos de idade porque o deus que o ressuscitou é fã de shotacon, como ele odeia isso porque o faz parecer uke, e desde sempre ele sempre desejou comer a Lightning algum dia, Hope decide revelar os planos malignos de Bhunivelze, e que ele precisa ser impedido. Depois dessa saga inútil e um desperdício de tempo, Lightning descobre a amarga verdade por trás de tudo sobre o seu chefe que na verdade é um vilão que quer usar as almas dos mortos para jogar o LittleBigPlanet no mundo e criar uma nova humanidade do zero. Em suma, o que Deus em teoria deveria fazer normalmente. Lightning e seus amigos, portanto, partem para a luta final contra esse deus maluco numa batalha com efeitos especiais que explodirão da emoção a cabeça de Michael Bay.

Finalmente, depois de desintegrar Bhunivelze e libertar as almas dos mortos, Lightning e seus amigos podem retornar e usufruir de uma pacata vida em São Lourenço, Minas Gerais, na Terra (aparentemente a cidade onde eles terminam) onde irão contactar a Square-Enix para contar as suas aventuras malditas e sem propósito.

Jogabilidade[editar]

Desesperada para tentar curar sua frigidez, Lightning agora pode vestir roupinhas de sex shop durante as batalhas.

Neste jogo a Square-Enix deixou de lado qualquer necessidade de seriedade e focou 100% de seus esforços unicamente em fanservice envolvendo a Lightning, ou seja, disponibilizou a possibilidade de a vestirmos em uma variedade de mais de 50 trajes de puta rodada, incluindo enfermeira sexy, nekomimi e uma grande variedade de outras perversões encontradas em sex shops baratos. Os produtores se questionaram: "por que manter apenas um traje padrão chato para todo o jogo, quando nada nos proíbe de nos entreter com extravagância e criatividade, tal qual Clóvis Bornay nunca se segurou em fazer?". Tirado de Resonance of Fate, em Lightning Returns: Final Fantasy XIII a protagonista Lightning pode trocar de roupa a qualquer momento, mesmo em batalhas rodeada por inimigos sanguinários, e a escolha das roupas é tão variada como um insulto ao resto da saga, as possibilidades são de armaduras múltiplas até fantasias eróticas que incluem biquínis para resistir ao calor do deserto e lingeries de renda para ganhar novas habilidades de combate.

O jogo é um plágio que reaproveita diversos jogos, o mundo aberto igual Skyrim, um combate igual Dark Souls só que fácil, uma história idêntica ao The Legend of Zelda: Majora's Mask onde temos um tempo limite agradável e constante para salvarmos o mundo do Apocalipse, o que obriga aqueles que mais lerdos em acelerar seu raciocínio ou assistir as telas Game Over a cada 5 minutos. Na verdade, o protagonista tem pouco tempo para salvar o mundo, e tudo o que ele pode fazer é completar os zilhões de missões secundárias que de alguma forma não especificadas aumentam em mais alguns dias a vida do universo.

Personagens[editar]

  • Lightning - Protagonista do jogo, a linda guerreira frígida que é alvo dos sonhos molhados do público de lésbicas da série, neste jogo ela deve trabalhar como profeta em nome de deus maluco, tornando-se a salvadora de Nova Chrysalia enquanto ocasionalmente destrui cultos satânicos secretos que louvam o lolicon. Com um guarda-roupa praticamente inesgotável dessa vez Lightning usa o poder da moda como arsenal de batalha e dispõe de apenas alguns poucos dias para completar o seu trabalho antes que o mundo acabe. É redundante dizer que a frigidez de Lightning aumentou ainda mais em relação aos jogos anteriores, porém seu ciclo menstrual parece que foi reestabelecido, o que explica porque de momentos em momentos é possível liberar toda a raiva durante os momentos da TPM.
  • Lumina - Aparentemente a versão gótica de Serah, ficamos o jogo inteiro esperando o óbvio plot-twist de que ela seria a irmã de Lightning, o que nem isso ocorreu. o Square queria criar algum personagem novo para servir de apoio à Lightning, mas eles não sabiam qual design utilizar para esse personagem, até porque os melhores designes eram engavetados para serem reaproveitados em Final Fantasy XV que ainda estava em produção, e então tiveram a brilhante ideia de pegar a versão beta do primeiro render da primeira Serah de Final Fantasy XIII, quando ele ainda estava sendo testado para a PlayStation 2, apenas modificando a roupa, colocando um traje de Gothic Lolita e inventando uma desculpa sobre ela ser o lado escuro da família Farron ou algo assim. Obviamente a proposta da personagem foi mal aceita e Lumina enfureceu com toda sua inutilidade todos os fãs do jogo.
  • Bhunivelze - O deus por trás de todos fal'Cie e sub-divindades anteriormente vistas, e também o vencedor do prêmio de "deus mestre da maior quantidade de imbecis" quando mesmo após dois jogos, suas crias e os humanos não param de se comportar como crianças mimadas de 5 anos de idade, então cansado dessa palhaçada toda decide ele mesmo tomar controle da situação. No entanto, ao invés de realmente ele próprio resolver a situação, em vez disso ele desencadeia um cataclismo aleatório e decide contratar Lightning em tempo integral, pedindo-a que faça com calma todo o trabalho de armazenamento de almas no prazo de 13 dias. Bhunivelze inicialmente parece que está fazendo tudo isso para salvar a humanidade, mas sua real faceta surge quando ele rouba as almas dos amigos de Lightning. Embora de fato seja um deus benevolente, Lightning e seus amigos inventam alguma motivação acerca de não quererem um deus em seu novo mundo, matando Bhunivelze.

Recepção[editar]

Lightning Returns: Final Fantasy XIII teve uma péssima recepção, ninguém gostou desse jogo e os fãs boicotaram a sua compra. O diretor Motomu Toriyama foi obrigado pela Square-Enix a lançar uma carta pública, onde disse "você jogadores não estão felizes? Você estão insatisfeitos em terem gasto o salário do mês para comprar um jogo que não os satisfez? Não estão felizes em terem gasto dinheiro, tempo, esperança durante anos de dedicação a esta saga? Não estão felizes em terem dedicados suas vidas a uma carcaça podre e irreconhecível do que outrora já foi uma gloriosa franquia de lindos jogos de RPG? Cansados de apoiarem produtores que sequer leem a história dos jogos anteriores para criarem algo com a mínima coerência? Não estão felizes em verem personagens que amam sendo completamente distorcidos e transformados em apenas conteúdo para hentai? Não se sentem satisfeitos que inúmeras fanfics na internet são incrivelmente superiores ao que a Square conseguiu fazer para este jogo? Vocês realmente não estão felizes com o jogo? Não mesmo? Não se preocupe, logo estaremos lançando Final Fantasy XV".