Lilimar

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
FIDEL PIDÃO.jpg En este artígo se habla venezolano!

Dice a un pana que te explique ahí como es la vaina, si no,
Er Conde del Guácharo te vaya a pegar!

Mit2.gif Cuidado! Este artigo é sobre uma GURIA RETARDADA!

E parte pra cima de quem criticar o RBD!

Clique aqui pra ver mais garotas malucas

NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Lilimar.

Cquote1.png Você quis dizer: Marimar Cquote2.png
Google sobre Lilimar
Cquote1.png Você quis dizer: Imigrante ilegal Cquote2.png
Google sobre Lilimar
Cquote1.png Get Out of Here Cquote2.png
Donald Trump sobre Lilimar
Cquote1.png Passei a rola! Cquote2.png
Jace Norman sobre Lilimar
Cquote1.png Tenho medo dela! Cquote2.png
Jackie Radinsky sobre Lilimar

Lilimar Hernandez Ruiz (2 de junho de 2000, Nueva Esparta, Venezuela) também conhecida simplesmente como intrusa ilegal, ladra de empregos Lilimar é uma atriz clandestina, imigrante ilegal na qual atua na Nickelodeon, na série feminista chamada Bella e os Bulldogs, e que possivelmente será uma das que levarão uma bica na bunda de Donald Trump.

Sobre ela[editar]

Lilimar com seus olhos bicoloridos.

Lilimar vem de uma família latino-americana, resumindo: ela é feia pra desgraça possui sobrancelhas de taturana e a pele encardida como se estivesse a três anos sem banho, apesar de ser Venezuelana, Lilimar é descendente da terceira geração de Pablo Escobar. Sim, ela é nada mais nada menos que neta do maior traficante da história, pois como ele era um bilionário picão das galáxias, ele teve a oportunidade de se relacionar com várias prostitutas ao redor do mundo em suas festas regada a muita bebida e cocaína, e uma dessas era a avó de Lilimar, que logo depois de Pablo meter o pé na bunda da coitada e largar ela buchuda, ela encontrou um outro otário pra bancar, e assim nasceu a mãe de Lilimar e assim a vida segue, até seu nascimento.

Como sabemos, em países como Venezuela, Colômbia e afins, é uma miséria desgraçada então a família de Lilimar viu no tráfico de drogas uma forma de não passar fome, começaram vendendo localmente, depois transformaram seu cartel no maior centro de importação e exportação de drogas da Venezuela, assim como foi com Pablo na Colômbia algumas décadas antes, a própria Lilimar já foi usada como mula em meio a essas exportações, e levava toda a droga introduzida em sua vagina pois como sua família não era nada boba, Lilimar é de menor e se a polícia da fronteira triscar a mão nela, eles estavam fudidos.

Lilimar em sua festa de debutantes bancada com a herança de Pablito.

Após um tempo, a paternidade de Pablo Escobar sobre sua mãe foi reconhecida, então tanto ela quanto a própria Lilimar acabou adquirindo parte de sua fortuna como herança, o que as deixou duplamente podres de rica, com essa nova vida, Lilimar cansou de transportar drogas em sua perereca, e queria novos ares pra sua vida, novas oportunidades, assim ela queria seguir seu sonho em ser atriz e assim se mudou para os Estados Unidos e começou a fazer teste para diversas produções, Lilimar não possui talento porém acabava comprando seus pais com sua fortuna que Pablo lhe deixou, depois de muitos papéis menores e insignificantes, Lilimar ganhou um dos papéis principais em Bella e os Bulldogs da Nickelodeon.

Lá ela interpetou a personagem Sophie Delarosa, que nada mais é que um estereótipo da própria Lilimar é seu povo, uma menina latina no qual mora com mais 12 irmãos e o bolsa família, Sophie é extremamente nervosa e vive falando coisas em espanhol, o que nada mais é que uma forma que os diretores da Nickelodeon encontraram uma forma de zoar os latinos, porém a série não vingou por muito tempo (assim como todas as outras) e nem a fortuna de Pablito salvou essa série de ir pra vala, atualmente Lilimar se encontra na geladeira e sem aviso prévio de um trabalho, porém Lilimar está pouco se fudendo pois agora o que ela quer mais é zoar ao máximo e torrar toda sua fortuna.

Ver também[editar]