Mário Sérgio de Palha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Donamorte1.jpg

Mário Sérgio Pontes de Paiva já morreu!

Mas pode voltar como zumbi...

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Cquote1.svg Você quis dizer: Cara chato pra caralho Cquote1.svg
Google sobre Mário Sérgio Pontes de Paiva
Cquote1.png Experimente também: Colocar sua TV no MUTE Cquote2.png
Sugestão do Google para quando Mário Sérgio Pontes de Paiva estiver falando sobre alguma coisa na Fox

...e ele sempre tem razão!

Mário atrás do armário Sério Pontes que não comia Parma ou simplesmente Mário Sérgio (Inferno de Janeiro, Feriado da independência de 1950 - Açúcar União, 28 de novembro do ano da morte) foi mais um ex-jogador que enganou muita gente fingindo ser um técnico de futebol, e depois continuou enganando fazendo cosplay de comentarista na Fox Sports. Este energúmeno ficou conhecido depois de dizer que o Marcelinho paraíba do RJ jogava mais que o bulímico do messi, como todos nós sabemos, esse tipo de declaração é vista como uma afronta a qualquer futebolista, já que Marcelinho não foi melhor nem que o boçal do neto, dirá o jogador mais babado da atualidade. O maior conquista desse perna-de-pau enquanto jogador foi uma copa jipe jogando pelo Gaymio, ajudando ao clube a conquistar seu último título relevante até hoje.

Biografia[editar]

Mário Sérgio nasceu no dia 7 de setembro, o que explica o fato dele ser "tão patriota assim" ao ponto de afirmar que os produtos nacionais são bem melhores que os internacionais, como um clube da Zona Leste (esgoto da cidade de São Paulo) ser melhor que o último campeão da Champions League, ou achar que os distribuidores de esporros e coletes que trabalham no Brasil são tão bons quanto os que trabalham na Europa. Mário Sérgio nasceu prematuro, o que explica as afirmações acima.

Como jogador, Mário Sérgio foi mais um caneludo no futebol a ganhar títulos relevantes de carona com outros jogadores realmente decisivos, como o Renato "Comedor de" Gaúcho na copa de 1983 e com o Falcão. Assistia os jogos no setor mais VIP do estádio, direto do relvado. Foi assim até o fim da carreira como jogador, quando decidiu que tinha chegado a hora de parar de fingir jogar bola e passou a esbravejar ao lado do campo, quando decidiu ser um treineiro.

Como treinador, não conquistou nenhum título de relevância nacional, e o clube que foi campeão no ano que ele dirigiu (Patético-PR em 2001) só ganhou o campeonato brasileiro depois que ele deixou o cargo, e deu lugar ao campeão Jair Picerni.

Latino.png Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.