Marcos Paulo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Eaew, jhow! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!
Marcos Paulo Simões
Pigmalião marcos paulo.jpg
Quando era vivo jovem
Nascimento 1 de março de 1951
link={{{3}}} São Paulo
Morte 11 de novembro de 2012
Bandeira do estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação Ator Defunto

Cquote1.svg Você quis dizer: Marco Polo Cquote2.svg
Google sobre Marcos Paulo

Marcos Paulo é um babaca aí que trabalhava como ator e diretor tanto na televisão como também no cinema. É mais conhecido por ter sido casado mais de 8000 vezes com um monte de gostosas ao longo de sua vida, até que deixou todas elas viúvas quando resolveu ter câncer e bater as botas.

Infância[editar]

Como o artigo deste honorável cidadão na Wikipédia é uma verdadeira merda, este ilustre site que você está lendo neste exato momento terá que se encarregar de inventar algumas baboseiras para tentar fazer com que a história do meliante pareça minimamente interessante. Não que alguém se importe com isso, até porque eu também estou cagando e andando.

Enfim, de acordo com informações obtidas através de nossa sátira autorizada, Marcos Paulo foi vítima de abuso sexual de trabalho infantil, já que foi obrigado a começar a carreira de ator ainda na infância para agradar o padrasto malvado Vicente Sesso, um desconhecido e irrelevante autor de telenovelas cuja única obra ainda lembrada atualmente é Uma Rosa com Amor, que ganhou um remake podrão exibido há alguns anos atrás pelo SBT.

Sua estreia televisiva foi com apenas cinco anos de idade, em um seriado chamado As Aventuras de Eduardinho, que foi obviamente escrito por seu pai adotivo (e abusivo). Essa joça é tão velha que praticamente ninguém conhece, já que os poucos seres que assistiram isso daí já devem estar todos descansando permanentemente embaixo da terra, assim como inclusive o próprio Marcos Paulo faz atualmente. Mas convenhamos, foda-se, porque o enredo provavelmente deve ser tão idiota quanto o título da bagaça.

Carreira[editar]

Com certeza, ele conhecia as coisas boas da vida!

Embora tenha começado na atuação quando ainda era uma reles criança, seu primeiro trabalho de fato relevante foi em 1967, em uma versão televisiva horrenda do clássico O Morro dos Ventos Uivantes, exibida pelo canal falido TV Excelsior. Aliás, de tão marcante que foi essa novela para a carreira de Marcos Paulo, seu personagem nem sequer tinha nome e não passava de um mero figurante.

No ano seguinte, em 1968, foi para a Record, onde ganhou um papel um pouco menos pior que o anterior em uma novela chamada Ana. Pois é, desde os tempos mais primórdios da televisão brasileira que a emissora do Edir Macedo produz obras de teledramaturgia que são ignoradas por todo mundo.

Finalmente, em 1969, Marcos Paulo foi para a Globo, de onde não saiu mais e além de atuar, começou também a dirigir.

Vida pessoal[editar]

Ao todo, Marcos Paulo foi casado seis vezes. Quando ainda não era famoso o suficiente, suas esposas eram igualmente desconhecidas, no máximo alguma jornalista em início de carreira. Mas a partir de 1981, ele começou a se envolver com atrizes fodonas, começando pela ex gostosa e atual baranga Renata Sorrah. Depois, vieram as louraças Flávia Alessandra, com quem teve uma filha; e Antônia Fontenelle, a felizarda que herdou sua fortuna.