Matruh

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pequena homenagem que os beduínos de Matruh fizeram para os únicos doidos que aceitaram governar esse fim do mundo.

Matruh é apenas uma província egípcia que o Hosni Mubarak criou para poder dizer na ONU que governa um país cheio de regiões livres e auto-suficientes. Porém, na realidade, Matruh serve apenas para os mercenários egípcios desovarem os corpos dos manés que invadem os seus territórios sem pagar o tributo básico de 100 dinares.

História[editar]

Na época do reinado da Rainha Dercy Gonçalves I, a fundadora do Egito, Matruh era apenas uma região desértica, que era conhecida como Portal do Inferno, pois todo mundo que ia até lá acabava morrendo desidratado e virava petisco para os animais selvagens da região.

Com o passar dos milênios, diversos faraós que cultuavam Satanás iam até lá, para fazer os seus sacrifícios humanos. Como Matruh era completamente isolada do resto do mundo, esses faraós mimados podiam fazer o que queriam com as suas vítimas, que nunca iriam ser pegos com a boca na botija.

Atualmente, tem quem diga que os sacrifícios humanos continuam acontecendo em Matruh. E ninguém duvida, visto que os beduínos que moram lá atualmente são extremamente mal-encarados, e ficam secando todo mundo que entre em seus territórios sem permissão.

Economia[editar]

Todos os anos, os beduínos de Matruh organizam caravanas comerciais, e levam até Luxor produtos como tâmaras, kibes e esfihas - Tudo recheado com areia, é claro, pois em Matruh não existem recheios alimentícios.

Educação[editar]

Os poucos moradores de Matruh assinam jogando um punhado de areia sob uma mesa.

Alguns mais modernos já preferem assinar desenhando hieróglifos sem noção.