Maurício Manieri

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Salve, truta! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!
Emblem-sound.svg.png Maurício Manieri
Maurício manier.jpg
Cquote1.png Puxa meu dedo! Cquote2.png
Nome Maurício Maionese
Origem Bandeira do Brasil Brasil
Sexo link={{{3}}} Masculino
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Diz ele que toca vários
Gênero Mistureba tosca
Influências
  • Tim Maia
  • Djavan
  • Jorge Vercillo
  • Nível de Habilidade Alto
    Aparência Normal, eu acho
    Plásticas Como vou saber?
    Vícios
    Nuvola apps atlantik.png
    Produzir música ruim
    Cafetão/Produtor
    Crystal Clear action bookmark.svg.png
    Dudu Marote

    Cquote1.png Veeeem ser! Minha meninaaa... Vooooocê! Me alucinaaaa... Cquote2.png
    Maurício Manieri cantando o lixo que o deixou famoso
    Cquote1.png Invejoso, vivia me copiando! Cquote2.png
    Vinny sobre Maurício Manieri
    Cquote1.png Cara, quem é que sentiria inveja de você? Cquote2.png
    Pessoa normal sobre comentário acima

    Maurício Manieri é um cantor que fez um certo sucesso lá pelo final dos anos 90, quando emplacou uma de suas músicas ruins na trilha sonora de uma novela da Globo. A partir de então, começou a fazer várias aparições em programas de auditório tipo o Domingão do Faustão, onde demonstrava todo seu talento musical fazendo playback.

    Biografia[editar]

    Nasceu em 10 de setembro de 1970, na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo. É filho de um casal de imigrantes ilegais vindos da Itália. De acordo com a mentirosa, Maurício era considerado uma criança prodígio pelos adultos que o conheciam, pois aprendeu a ler partituras antes mesmo de ser alfabetizado. Aos oito anos de idade, fez seu primeiro show, de onde foi expulso por ter escolhido como local da apresentação o saguão de uma biblioteca. Bem esperto ele, realmente um prodígio.

    Na adolescência, tentou montar uma boy band com seus amigos, mas aí lembrou que não tinha nenhum. O único que topou participar do grupo foi seu irmão, então ambos iniciaram a carreira de cantores fazendo cover da dupla Sandy e Junior. Maurício, que sempre foi um cara de masculinidade respeitável, fazia as vezes da Sandy, é claro. Naquela mesma época, aprendeu a tocar piano e participou de concursos de música clássica. Até chegou a vencer alguns, mas por ser o único participante.

    No final dos anos 80, decidiu abandonar a faculdade de engenharia química e o emprego de pesquisador em uma multinacional para abrir uma escola de música. Também fez cursos de composição e regência em um conservatório paulista. Começou então a chamar atenção dos produtores musicais, não pelo talento, e sim porque tinha o costume de passar na frente das gravadoras com uma melancia pendurada no pescoço. Assim, conseguiu assinar contrato para gravar um disco no mesmo estúdio de bandas arruinadas, perdão, renomadas como Jota Quest, Pato Fu e Skank.

    Atingiu seu auge em 1998, quando teve sua música tocada em Andando nas Nuvens, considerada uma das piores novelas globais já feitas até hoje. Como era o tema da personagem gostosa de Vivianne Pasmanter, único motivo que dava audiência naquela merda, acabou grudando nos ouvidos dos telespectadores e rendeu a seu intérprete o disco duplo de platina. No ano seguinte, foi considerado o cantor mais ouvido da América Latina, para você ter uma ideia de como o cenário musical estava decadente.

    Caiu no esquecimento geral do público até 2009, quando foi ressuscitado por uma macumba de Edir Macedo e participou do reality show A Fazenda 2. Não ganhou o programa, mas viu ali uma oportunidade de voltar a fazer sucesso nas paradas musicais. Porém, nem isso ele conseguiu, e atualmente trabalha gravando jingles toscos para o mercado publicitário.