Medal of Honor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Medal of Honor é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Shao Khan está comandando outworld.


Medalha da Honra
Médal of Onor.png
Logotipo
Gênero Tiroteio manjado
Desenvolvedor Electronic Arts
Publicador Electronic Arts
Plataforma de origem PolyStation
Primeiro lançamento Medal of Honor 1 (1999)
Último lançamento Medal of Honor: Warfighter (2012)

Cquote1.png NuM tOo aXxErtanu Elliii Cquote2.png
Guria retardada tentando matar um soldado a um quilômetro de distância com uma 12
Cquote1.png EeEeeEuUUUu NNunnNnn quErOO mATaRRRR nINguÉÉmmm... Cquote2.png
Emo sobre Medal of Honor
Cquote1.png AHHHH!!! To quase matando o Adolf Hitler! Cquote2.png
Nerd sobre Medal of Honor
Cquote1.png Deixa eles virem que não tem problema Cquote2.png
Noob 20 segundos antes de ser massacrado por 50 soldados alemães
Cquote1.png Muito bem, Totó! Agora, traz o brinquedo de volta pra mim Cquote2.png
Carla Perez, depois de ter atirado uma granada de mão num cachorro

Medal of Honor é uma série de jogos de videogame e de computador do gênero first person shooter (tiro em primeira pessoa, ou seja - tiro em "eu" - ou seja, suicídio) conhecido como "Battlefield genérico". Os jogos da franquia são bastante criticados por não haver sangue nas batalhas, tirando qualquer realismo que alguém deseje sentir, exceto se estiver procurando por um simulador de paintball, embora esse problema tenha sido resolvido em 2006 com o lançamento do pacote de expansão Medal of Honor: Hemorroida e Medal of Honor: Menstruação.

Enredo[editar]

Medal of Honor: European Assault em que você vai assaltar uma fábrica de tamancos na Holanda.

O game é ambientado na Segunda Guerra Mundial. O jogador controla um soldado ao longo de aproximadamente meia-dúzia de fases zeráveis em 3 horas de gameplay no mínimo. O objetivo é chegar ao vaso sanitário que há no final de cada missão sem evacuar nas calças. O título do jogo ("Medalha de Honra", em português) faz referência ao cu do soldado e personagem principal do game: caso ele não alcance o banheiro a tempo, não conseguirá honrar a sua "medalha".

Jogos[editar]

Jogabilidade[editar]

Como todo bom FPS, os jogos de Medal of Honor baseiam-se em atirar em tudo o que se mova no cenário. Algumas peculiaridades do jogo incluem tiros de 12 que nunca acertam o alvo, tiros de metralhadoras nada precisos que saem para os lados e os cachorros que atiram de bazuca, aliás, quando você joga uma granada em um cachorro, ele traz ela de volta para você (que animais bem adestrados, não?).

A série Medal of Honor prima pelo realismo e deseja entregar uma experiência real de guerra e conflito, e exatamente por isso é tão primoroso na sua qualidade gráfica, mecânica e física dos jogos, por isso a sensação passada ao jogador é de que ele parece estar segurando um pedaço de pau ao invés de uma arma. Também por isso quando você dá um headshot os inimigos viram pro lado e morrem atirando, sendo ainda possível matar um inimigo atirando somente nas pernas dele ou nas mãos... Quando se joga no modo "realismo", uma coronhada é mais eficaz que qualquer arma, ela é tão letal que você pode acertar alguém com coronhadas a cinco metros de distância! Deve ser o deslocamento de ar...

A movimentação também é realista, o seu personagem geralmente sofre de uma séria hérnia de disco, ou então sua mãe quebrou a costela do jovem rapaz antes dele ir para a guerra. Por isso quando você pula parece que deu um peido de tão baixo que o infeliz salta. Sua orelha é de aço ou ferro sólido, porque quando uma bala passa de raspão na orelha você nem percebe.

No mais, apenas massacre o Button-r1.png por umas 3281638248464691 vezes e você vai zerar o game 100%.

Companheirismo[editar]

Seus cadáveres companheiros não sobrevivem por muitas fases. Por tiroteio constante algum motivo, ainda em estudo, acontece alta rotatividade no esquadrão. O jogo prima também por ter, em algumas versões, alguns companheiros que auxiliam o pobre jogador durante sua jornada contra os inimigos do Tio San. Esses nobres e valentes soldados acompanham o jogador, recobram sua saúde e o protegem contra inimigos, até morrerem.

Mas, convenhamos, a verdade é que esses companheiros são uns colas, não fazem porra nenhuma, tão incompetentes que conseguem atirar no próprio ao tentar acertar alvos, por exemplo, do alto de prédios. E também, considerando o incrível grau de inteligência dos coitados, é bem mais provável que você os use como escudo humano quando aparecerem 200 japas irados tentando te espetar com aquelas baionetas enormes. Isso se um companheiro seu não entalar num corredor estreito e você ficar preso do mesmo lado dos seus inimigos, o que invariavelmente vai resultar no jogador sendo cruelmente violado assassinado pelos inimigos.

Mas no fim das contas, Medal of Honor sempre se passa a maioria do tempo com seu carinha sozinho em território inimigo, sem a necessidade de saber como chegou lá. Parece que o número de inimigos e fases que você atravessa sozinho carregando armas aliadas com munição aliada que os alemães deixam, é inversamente proporcional à capacidade dos videogames. No fim, isso é até bom, porque é muito ridículo um batalhão com 5 ou 2 carinhas tão burros que sacam uma granada e a largam em seguida explodindo a si e tudo a sua volta. Também vai falar que não dá um pouquinho de dó em ver os pobres coitados na mira de uma metralhadora nazista MG-40? Mas a grande diversão mesmo é ver os colegas entalados nos corredores, correndo até o infinito travados pela parede ou mesmo correndo em círculos além de vê-los fazendo um Stealth em um poste ultrafino ou para guardar uma sala vazia.

Plataformas[editar]

v d e h
Medal of Honor logo.jpg