Middle-earth: Shadow of Mordor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Middle-earth: Shadow of Mordor é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Ditto tenta copiar você.


Middle-earth: Shadow of Mordor
Shadow of Hodor.jpg

Capa da versão para PS4

Informações
Desenvolvedor Monolith
Publicador Warner Bros. Interactive Entertainment
Ano 2014
Gênero hack n' slash
Plataformas XBOX ONE e PlayStation 4, com versões bugadas para PC, PS3 e XBOX 360
Avaliação 60%
Idade para jogar Livre

Cquote1.png One does not simply, play Shadow of Mordor Cquote2.png
Boromir

Middle-earth: Shadow of Mordor, completamente traduzido para português como Terra-merda: Sombra da Mordida é mais um jogo genérico sobre Senhor dos Anéis dentre tantas centenas de outros, mas que por algum motivo ainda desconhecido (marketing agressivo, talvez) foi aclamado e bem recebido pela crítica, saindo-se assim relativamente bem nas vendas pois todos gamers influenciáveis viram seus youtuber-games favoritos jogando isso e decidiram que queriam jogar também.

História[editar]

Fale a verdade: você também já achou isso

A história de Middle-earth: Shadow of Mordor é considerada canônica à série Senhor dos Anéis, ou seja, toda merda sem sentido que ocorre no jogo é considerada que acontece entre os eventos de O Hobbit e O Senhor dos Aneis, para tanto grandes especialistas da área como Christopher Tolkien Peter Jackson foram consultados para que a história demonstrasse a maior quantidade de incongruências possíveis e repetições de roteiro (como o fato de Sauron tentar reviver de novo) e arruinasse ainda mais os livros escritos pelo falecido J.R.R. Tolkien, que falecido não tem como reclamar, embora seu zumbi possa ter sido visto nos arredores da Warner Studios durante um clipe do Michael Jackson.

O jogo conta a trajetória de Talion, um personagem totalmente inventado e que bagunça toda a cronologia da série, e Celebrimbor, um elfo com nome de Pokémon responsável por toda merda e criador do Um Anel.

Para variar, Sauron está pela centésima vez tentando reviver, o que prova que aquele ovo em Barad Dur é um tédio terrível. Apesar de faltar criatividade para vilões novos, objetivos novos e desfechos novos para Sauron, o senhor das trevas de novo quer reviver, como cansamos de ver em todos filmes do Peter Jackson.

Talion era só um almofadinha qualquer que namorava uma simples camponesa de nobre coração que vai todos os dias ao bosque recolher lenha e tinha um filho n00b, e os dois foram assassinados por uns punks de Sauron que depois mataram ele também. Talion então descobriu que não é um ser humano, mas que é na verdade um personagem da ficção dos videogames, e que portanto é imortal e que jamais dará Game Over, portanto passa a ser conhecido como "Nunca-Morto". A alma penada de Celebrimbor também passa a segui-lo numa jornada de vingança atrás dos punks que assassinaram a sua família.

Jogabilidade[editar]

O jogador controla o protagonista Talion e sua jogabilidade pode ser resumida como uma mistura porca de Assassin’s Creed com Batman: Arkham Knight. Com base na técnica de espancamento contínuo de botões (ou teclas) o jogador pode guiar Talion para um infinite kill de matança de uruks.

O que chama atenção é a grande variedade de maneira possíveis de matar uruks, que com o avanço do jogo vão ficando cada vez mais overpower e mais tediosas, capaz inclusive de controlar a mente dos inimigos.