Mito da Caverna

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Mito da Caverna)
Ir para: navegação, pesquisa
Pensador trabalhando.jpg Caverna de Platão é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!


Um dos simpáticos receptores de quem saía.

Cquote1.png Isso, é Matrix. Cquote2.png
Morfeu sobre Caverna de Platão.

A Caverna de Platão é um conto de fadas escrito pelo romancista de historinhas infantis Platão, que conta uma história em que uma familia está se divertindo num parque quando, por algum motivo desconhecido tudo desmorona (entretanto todos nos sabemos que foi Goku) e as pessoas que lá estavam ficaram soterradas, porém vivas, mas soterradas. Não conseguiam sair da caverna (nem com a ajuda do Esqueleto, que estava assombrando por lá, fazia décadas)), começaram a sexuar e consequentemente se reproduzir, porque lá dentro nem tinha camisinha e tirar na hora, toda vez, cansa...

Mente estranha de Platão[editar]

A primeira coisa ao sair, era zoar bastante com quem ainda estava lá dentro.

Reza a lenda que após décadas e décadas, depois de todos já terem morrido e já terem vindo novas gerações de habitantes da caverna, a ideia de um mundo, fora da caverna, para eles era apenas uma outra lenda, mito, conversa, enganação, etc e tal. Os que estavam lá dentro, que não tinham conhecido o que existia fora daquela caverna, julgavam-os como otários, babacas, ignorantes, por falar algo que sequer teriam testemunhado. Dentro daquela bosta tinha aproximadamente mil pessoas, que se alimentavam através de um puta rio fodasticamente foda que passava por lá nos fins de semana. Desse rio, todas aquelas pessoas pegavam unicórnios laranjados mancos (brinks eram peixes) para comer crus (você leu crus e não cus), porque ninguém lembrou de levar uns fósforos e uns pedaços de lenha para assá-los.

Passado o tempo, um grupo de pessoas de aproximadamente 50 pessoas like a boss , resolveram sair daquela porra. Mas infelizmente o povo não quis apoiá-los (tá me lembrando o Plinio, aquela múmia que se candidato naquela vez, que tinha a musiquinha chata do kct). Mas mesmo assim aquelas cinquenta pessoas sairam todas lampeiras, daquela caverna estreita do caralho. Ao decorrer do caminho, passando pelas trincheiras, apertadas da porra, onde só passavam se arrastando, encontraram uns bichos loucos, que ninguem sabe quais são (mas acredito que seja a família dos unicórnios mancos laranjados, em busca de vingança), que gritaram um TROLOLOLOLOLOLO

Para sair da caverna, era preciso ser bem fodão, uma espécie de Tripa Seca.

e converteram eles para sua tribo (zuera , eram onças, tigres e águias, que, sem achar nada melhor naquele dia, comeram os caboclo mesmo, mas só alguns), e o restante continuou firme e forte até achar a saida. Saindo da caverna, como nunca tinham visto o sol, a luz, as árvores, na verdade eles não viram nada, e com a claridade, metade ficou cego e não viu nada pelo resto da vida, se fudendo e consequentemente entrando em pânico e se matando. Sobrando assim, uma duzia só, que tocaram a vida deles felizes para sempre (na verdade eles encontraram um caçador com um bodoque, que deu pedrada na nuca de todo mundo, desnucando eles (OH RLY?), assim morrendo. Ou seja, não conseguiram nada, tentando sair.

Moral da história: Quando você estiver preso numa caverna, vê se fica por lá, porque você pode acabar morto por unicórnios, ou cego, ou sendo budocado.

Ver também[editar]