Mog

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mog


Mog 51.jpg
Nome Completo Mog Moogle
Classe Bailarina
Terra Natal Rússia
Parceiros Umaro
Parentes Um monte de moogle igual ele
Inimigos Furries
Equipamento Preferido Lanças
Habilidades Dançar balé

Mog é um pequeno digimon não-catalogado dançarino de balé que faz parte da mitologia de Final Fantasy VI. Ele é um personagem secretão, o que não significa que ele seja fodão, pelo contrário, ele é o equivalente ao Spoony Bard de Final Fantasy IV, apenas um bosta fracote que fica levantando a moral da equipe com movimentos ligados a música ruim.

Seu parceiro de tretas e melhor amigo é Umaro, também um personagem secreto, mas este pelo menos é útil, pois mesmo sendo burro e fazendo apenas aquilo que dá na telha, ele é forte pra porra, podendo dar porrada e matar a maioria dos monstros comuns sem maiores dificuldades.

Vida[editar]

Mog e Umaro, amizade verdadeira de longa data.

Mog nasceu numa colônia de moogles nas profundezas de uma mina de cobre abandonada, tendo a mesma cara de cu que os seus companheiros.

Na infância, fez amizade com Umaro, um primo distante do Abominável Homem das Neves que estava passando uma temporada nas minas abandonadas, pois as autoridades estavam atrás dele, já que matar humanos com pancadas e comer a sua carne não é um hábito socialmente bem aceito.

Para distrair-se, Mog passou a praticar balé, seguindo os passos de seu pai, que fugiu com o namorado para dançar nos palcos da Rússia. Apesar de nunca aprender bem como se dança este estilo, ele pelo menos conseguia arrancar umas gargalhadas de Umaro, que achava aquilo tudo uma grande viadagem engraçada.

Num belo dia de inverno, com frio e o céu cor de chumbo, enquanto passeava pelas profundezas das minas procurando por vermes para alimentar-se, eis que ele encontra o corpo ferido e estuprado de uma garota gostosa. Não podendo abandonar aquela dama ali, ele faz respiração boca a pau, pra ver se ela acordava, mas falhou nesta missão, por não ter um pau.

Após alguns segundos com Mog pensando no que deveria fazer, aparece um bandido de quinta chamado Locke Cole, que pede para o moogle ajudá-lo a proteger Terra Branford, a mina desmaiada, dos guardas da cidade de Narshe, que estavam putos apenas porque ela tinha incinerado metade dos policiais do lugar e os comido com batatas. Não podendo negar ajuda para conter uma injustiça, Mog faz a sua parte, derrotando os guardas provocando ataques de risos neles com seus passos de dança mal elaborados.

Passada a confusão, Mog decide unir-se a Locke, Terra e aos outros protagonistas, pois achava que viver nas minas era uma porra, e queria conhecer o mundo. Já que ele era fofinho, a galera recebeu Mog de braços abertos, aproveitando suas características para atos furries noturnos, para desestressar.

Aventuras[editar]

Mog e sua mina fazendo o ritual de acasalamento, visando a produção de setecentos filhotes para expandir a espécie.

Acompanhando os protagonistas em suas altas aventuras da pesada, Mog é apenas mais um personagem secundário/figurante que faz os seus passos de dança para aumentar a moral da equipe, não tendo muita utilidade. Mas a princípio ele permaneceu como membro titular da equipe, pois os melhores personagens, como Shadow e Cyan ainda não faziam parte do bonde.

Após lutar muito contra monstros fálicos gigantes e ganhar bastante experiência, Mog estava pronto para o maior desafio de sua vida, enfrentar as tropas do Imperador Gestahl para derrotar o mal do mundo, fazendo o planeta um reduto de paz e amor. Nesta missão, ele foi levado a enfrentar Kefka, um palhaço satânico louco e idiota, que após absorver o poder de umas estátuas doidonas, ganha os poderes de um deus, quase mata os protagonistas (incluindo Mog) e destroi metade do planeta.

Não aguentando as lágrimas pela derrota humilhante nas mãos de um mero bobo da corte imbecil, além de achar que os seus amigos viraram presunto na luta, Mog volta para as minas onde nasceu, para lamentar-se nos braços fortes de seu velho amigo Umaro. Ele ficou chorando por um ano inteiro, até que foi encontrado pelos seus velhos companheiros protagonistas, que estavam mais vivos do que antes e se reunindo novamente para enfrentar o palhaço em um segundo round. Agora querendo apagar a má impressão que deixou em seus amigos, e também querendo impressionar uma moogle novinha que queria acasalar, Mog aceitou voltar para a equipe, e para garantir que desta vez as coisas dariam certo, levou com ele Umaro, pois se as coisas ficasem ruins, era só Umaro meter porrada nos inimigos que ficaria tudo bem.

Depois de rodar mais uma vez pelo mundo inteiro em ruínas, Mog tem a oportunidade de enfrentar novamente Kefka, e desta vez estava pronto para derrotá-lo, ou pelo menos não morrer, o que estava esperando ao ver a forma que o palhaço assumiu, de um anjo quimera bugado com corpo blindado. Sabendo de suas limitações, e que sua lança não poderia nem arranhar o corpo do chefão, Mog fica apenas dançando balé e incentivando seus companheiros na luta, assim sendo carregado por eles e sobrevivendo a luta.

Ao fim da batalha, com o mundo livre das trevas, Mog volta para as minas de cobre, desta vez como um heroi, e consegue comer a pequena moogle que achava gostosa, fazendo nela setecentos filhos e depois desaparecendo quando foi comprar cigarros. Um final feliz pra ele.

Jogabilidade[editar]

Assim como o Edward em FFIV e a Yuna em FFX-2, Mog não é um personagem com grandes habilidades de combate, a principal e única função dele no grupo é ficar dançando e dando suporte pros seus companheiros, não deixando que eles morram muito rápido. A sua inutilidade deve-se ao fato de que, apesar de ser um boneco voltado apenas para proteção, ele não possui nenhuma magia de cura, a mais importante em qualquer boneco do tipo. Assim sendo, ele presta apenas para ficar tacando poções nos amigos, negando pelo menos uma pequena parcela do dano dos inimigos.

Apesar de ser um mago, e depender de única e exclusivamente de magias para fazer seu trabalho, Mog não equipa cajados e nem varinhas de condão, por ser fã do Leônidas, a única arma que ele aceita são lanças, visando fazer o empalamento de seus inimigos. O problema é que por ser um fracote frango sem músculos, ele não possui quase nada de ataque físico, então as lanças nem arranham direito os oponentes.