Monocotiledôneas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Monocotiledôneos)
Ir para: navegação, pesquisa
Bambu.jpg Este artigo faz parte do incrível mundo Vegetal Folhoso

Este vegetal foi certificado pelo Greenpeace sendo livre de agrotóxicos e outras pragas nocivas.


Monocotiledôneas
Banana, a representante popular das monocotiledôneas
Banana, a representante popular das monocotiledôneas
Classificação científica
Domínio: Cara de idiota
Reino: Aldeia da Folha
Clado: Trashbiontas
Superdivisão: Plantas com esperma
Divisão: Anjo esperma
Classe: Monocoito

Cquote1.png Você quis dizer: Mato? Cquote2.png
Google sobre Monocotiledôneas
Cquote1.png As plantas mais gostosas da Terra Cquote2.png
Botânico sobre monocotiledôneas
Cquote1.png A banana é a fruta mais adorada pelas mulheres de todos os tempos Cquote2.png
Desciclopédia sobre uma monocotiledônea


Monocotiledôneas são um grupo de plantas dentro do grupo das Angiospermas, ou seja, das plantas com genitálias que as mulheres gostam de ver e cheirar. Os gringos e íntimos as chamam de “Monocots” (porque é um nome grande demais e demora aproximadamente um minuto para dizê-lo, sendo que eles vivem com pressa), mas a sua tia provavelmente deve conhecê-las como “Mato”, a não ser se for uma Pop Star como no caso da banana.

História das monocots[editar]

As monocotiledôneas passaram pela maior história de superação já contada neste planeta. Durante sua infância o grupo perdeu o câmbio, viagra natural das plantas que faz os seus paus ficarem maiores e mais duros. Há alguma controvérsia sobre por que isto aconteceu; alguns dizem que foi um acidente de percurso forma enrolada de dizer que não sabem, já outros acreditam que foi uma maldição de Zeus por achar que as plantas estavam sexy demais. De qualquer modo, o grupo acordou com um grande pé esquerdo na sua história evolutiva, e estava à beira da extinção via virgindade.

No entanto, estas plantas bravas e destemidas não se deixaram se abater por sua impotência e resolveram este problema das formas mais variadas e criativas. Algumas palmeiras e as patas-de-elefante improvisaram um novo câmbio, que alguns especialistas duvidam se devia se chamar câmbio, mas faz crescer do mesmo jeito, então está valendo. Já plantas como o palmito resolveram fingir que tem um pau maior cobrindo-o com bainhas de folhas, o que em geral funciona bem para olhos não tão treinados, mas tem a desvantagem de não aumentar de fato o pau e ainda esconde a coisa em si. Outras como o bambu resolveram deixar o viagra para lá e conseguiram uma ereção extremamente rápida sem precisar dele. Por fim, plantas como a banana simplesmente esqueceram seus caules e concentraram suas dotações nos frutos.

A coisa rolou tão bem que hoje elas são as verdadeiras donas da Terra. É claro que há uma espécie de primatas invejosos que dizem serem a raça superior, só porque inventaram o relógio digital. Mal sabem estes idiotas abestados que as monocots os adestraram tão bem que eles ainda acham que são os donos do pedaço. Eles são os seus escravos: Algumas monocots os usaram para terem frete grátis, viajando para todos os quatro cantos do mundo. Outras os hipnotizaram, forçando-os a dá-las fertilizantes e outros tratamentos luxuosos que deixaram suas genitálias muito maiores e mais nutritivas que antes. É verdade que estes primatas eventualmente as comem; um mero favor que estas plantas fazem para que eles continuem com suas vidas miseráveis. Eles dependem dos seus sucos vitais; sem elas, eles iriam procurar pão no céu.

Problemas familiares em monocots[editar]

As monocots são como se fosse uma grande família, dividida em vários clãs. Sendo aparentadas elas compartilham entre si alguns bagulhos (ver próxima seção), por isso quase todo mundo percebeu a existência do grupo. Até você um bebê de dois meses é capaz de reconhecer uma monocot quando vê uma.

O único que se recusou a aceitar o grupo era um guru qualquer chamado Lineu, que tinha um fetiche pelas anteninhas das genitálias destas plantas e declarou que elas eram a coisa mais importante do mundo, e que as monocots deviam se agrupar segundo o número de antenas. Felizmente as monocots não sabem contar, por isso não deram bola ao que ele disse e continuaram se reunindo segundo os seus clãs.

No entanto, como toda grande família, há tretas, e os especialistas vira e mexe dão uma olhada no grupo e notam que houve algum divórcio. Por exemplo, o abacaxi viveu por muito tempo casado com a banana. No entanto, após algum tempo o casal percebeu que a sua química não deixava a coisa rolar (a banana também não gostava de levar espetadas doloridas do seu parceiro), então resolveram se separar. O abacaxi, então, resolveu sair do clã da banana e foi para o das gramas procurar por um parceiro mais interessante como o bambu, que tem um pau muito maior e cresce bem mais rápido.

Como reconhecer uma monocot[editar]

Como diferenciar uma majestosa monocot de suas primas ridículas dicots.

Dicots Monocots
Uso de viagra (câmbio) Quase todas usam, logo quase todas têm pau duro Perderam seu viagra quando jovens, seu grande ponto fraco
Tipo de folha Em geral sem graça Costuma abraçar o caule com uma bainha. As monocots não mostram o seu pau para qualquer um.

Algumas monocots safadas usam suas bainhas para parecer que tem um pau maior do que de fato é

Tipo de nervura Penada, ou seja, igual a pena de uma galinha Nervura paralela, que quer dizer que lembram retas paralelas, o que quer dizer porcaria nenhuma, pois os biólogos são péssimos em nomes e faltaram nas aulas de matemática
Número de pétalas São fãs do quatro e do cinco Adoram o três mais que a Raquel Amaral gosta de três reais
Semente Contém duas folhas Contém uma folha; informação inútil, só serve para completar a tabela e cair no Enem
Onde se encontram Lugares onde tem dicots, como matões e campos, mas tem medinho de nadar no mar Em todos os quatro cantos do mundo, inclusive no fundo do mar. Também ocorrem dentro de calças de primatas machos
Recordes de superdotações Maior pau (Eucalipto), mas ela trapaceia usando viagra

Maior genitália (Rafflesia)

Maior número de paus numa planta só (Pando)

Maior conjunto de genitálias (Amorphophallus)

Maior esperma (coco-do-mar)

Maior pau sem uso de viagra (palmeira de cera quíndio)

Ereção mais rápida (bambu)

Maior campo de futebol

Aceitação científica Um grupo considerado naturalmente feio pelos especialistas Aceitas por todos, exceto pelo Lineu, que já morreu

Membros notáveis de monocots[editar]

Clã das Zingiberales

Bananay.gif Banana (Família das musas): Fruta mais famosa e adorada da face da Terra. Símbolo da mata brasileira, apesar de ser uma gringa nacionalizada. Antes era impotente, mas graças a ajuda de uns primatas tarados ela agora é muito maior e mais nutritiva que antes, e não dói na hora de comer. Bananay.gif

Gengibre (Família das Zingiberaceaes): Para quem gosta de um sabor mais amargo. São muito apreciadas como xaropes de avós.

Clã das Poales

Gramas (Poaceaes): As verdadeiras rainhas das plantas. Estão praticamente em todo prato já feito por um ser humano. Se sua mãe diz que nunca comeu uma grama na vida, está mentindo descaradamente. As gramas mais famosas e mais comidas são o arroz, o milho e o trigo. Menção honrosa para a cana-de-açúcar, que adoça a casa de todos os brasileiros, e os bambus, que dizem ter a ereção mais rápida de todo o reino vegetal (obs: sem usar viagra).

Taboa (Família das Typhaceaes): Não conquistaram o mundo que nem as gramas, mas seu bastão é comprido e marrom.

Abacaxi (Família das bromélias): Comível, mas requer band-aid. Originalmente casada com a banana, recentemente resolveu procurar o bambu. Pode ser encontrada no fundo do mar procurando na feira.

Clã das Asparagales

“Plantas Escroto”, também conhecidas como orquídeas (da família das orquídeas, dãã): Se as gramas são as rainhas da terra, as orquídeas sem sombra de dúvida são as maiores parteiras dentre as monocots, tendo uma prole de 28.000 espécies. A baunilha é a única orquídea comida em massa pelos seres humanos.

Babosa (Família das Asphodelaceaes): Uma planta suculenta, costuma oferecer seu suco às pessoas.

Cebola (Família das Choraceaes): Adora assistir a novelas mexicanas.

Clã das Alismatales

Antúrio e cia. (Família das Araceaes): Fáceis de reconhecer pelas suas genitálias gigantes com prepúcio.

Gramas-do-mar: Nem o mar escapa das monocots. As gramas-do-mar são consumidas por tartarugas e peixes-bois.

Clã das Liliales

Lírios (Família das Liliaceaes): Flor de defunto. Ver Art nouveau para saber mais.

Clã das Arecales

Palmeiras: Clube poliesportivo brasileiro da cidade de São Paulo, também conhecidos como “perdedores”.

Clã das Comebucetales

Dinheiro-em-penca/trapoeraba (Família das Comebucetaceae): Dinheiro de pobre. Sem viagra nenhum, está fadada a eterna impotência, mas assombra seu jardim. Também é suculenta, mas perde para a babosa.

Aguapé: Não tem viagra nem suco, mas assombra os lagos.

Taxonomia[editar]