Monster Energy NASCAR Cup Series

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Serjão entrevista.jpg Enxada-1.png Esti artigu é caipira, sô!! Enxada-2.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

McdonaldsAmerica.jpg God Ble$$ De$ciclopédia!!

Este artigo é gringo! Ele usa eletrônicos da Apple, tem um Chrysler poluidor, não joga futebol e acha que é privilegiado..

NewBouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Monster Energy NASCAR Cup Series.

Cquote1.png Você quis dizer: Bandeira amarela Cquote2.png
Google sobre Monster Energy NASCAR Cup Series
Cquote1.png Porra! Fui pro muro de novo! Cquote2.png
Dale Earnhardt Jr. em qualquer corrida da Monster Energy NASCAR Cup Series
Cquote1.png Que merda eu tô fazendo aqui? Cquote2.png
Kasey Kahne sobre Monster Energy NASCAR Cup Series
Cquote1.png Ainda bem que eu saí dessa bosta de categoria... Cquote2.png
Juan Pablo Montoya sobre Monster Energy NASCAR Cup Series
Cquote1.png ZZZZZZZZ... Cquote2.png
Telespectador sobre as corridas da Monster Energy NASCAR Cup Series sem batidas

A Monster Energy NASCAR Cup Series é a divisão principal da categoria automobilística mais caipira do mundo, a Fórmula Caipira. Quando é realizada em superspeedways (ovais enormes) e circuitos mistos, a corrida é boa na maioria das vezes. Mas quando corre em outros ovais (99% do calendário) as corridas dão um puta sono que podem levar a qualquer telespectador a dormir por um tempo bem prolongado ou, se estiver sem sono, mudar de canal.

A parte menos duradoura das corridas da categoria, e também a mais emocionante.
A parte mais duradoura e mais chata das corridas da categoria, proporcionando o máximo de sono para os telespectadores.

História[editar]

Em 1949, velhos fazendeiros e latifundiários do sul dos Estados Fudidos criaram uma categoria para a NASCAR, chamada de Stricktly Stock, com apenas 8 provas, todas em círculos. O campeonato daquele ano foi vencido com absoluta facilidade pelo Barão vermelho.

Em 1972, a categoria ganhou o patrocínio da marca de cigarros americana Winston para incentivar os caipiras pilotos a fumarem enquanto dirigem, a categoria recebeu o nome de NASCAR Winston Cup Series, a marca patrocinou a categoria por mais de 30 anos, até 2003.

Com o aumento de mortes por tabagismo e acidentes ao volante envolvendo o mesmo, além do fato de cigarros serem totalmente bregas para o século XXI, a NASCAR resolveu se modernizar em 2004: fechou um patrocínio com a operadora Nextel para garantir mais mortes no volante por uso de celulares, além de inchar o calendário para 36 provas, tornando-se, assim, a NASCAR Nextel Cup Series.

Em 2008, para aumentar ainda mais o número de usuários de celular ao volante, uma concorrente americana da Nextel, a Sprint, enciumada com o sucesso da rival na categoria, comprou a empresa e a categoria mudou de nome para NASCAR Sprint Cup Series, permanecendo com esse nome até 2016.

Em 2017, para tentar fazer com que os pilotos e os telespectadores fiquem dopados durante as provas e evitem dormir em corridas muito chatas que diminuem a audiência, a Monster Energy firmou um patrocínio com a NASCAR e mais uma vez a categoria mudou de nome para Monster Energy NASCAR Cup Series, para garantir mais mortes ao volante por excesso de velocidade e mais acidentes nas corridas, além de causar insônia nos telespectadores.

Carros[editar]

Os carros utilizados na categoria são carros feitos para playboys pobres, das marcas Chevrolet, Ford e Toyota. A Chevrolet utiliza um modelo feio que graças a Deus não é comercializado no Brasil e se parece com o Cruze (que inclusive é o seu irmão), o Chevrolet SS. A Ford utiliza um carro utilizado por falsos ricos tanto no Brasil quanto nos States: o Ford Fusion. Já a Toyota utiliza um carro que é de falso rico nos States, mas é de rico legítimo no Brasil: o Toyota Camry.