Mortes estranhas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Também chamadas de tragicomédias, as mortes estranhas são mortes morridas de forma diferente.

Alguns tipos de morte só acontecem a cada 10000 anos. Outros casos são menos raros, mas não menos importantes.

Estas mortes estranhas são, na maioria das vezes, engraçadas; outras mortes podem ser impressionantes e não devem ser citadas aqui, para não estragar seu almoço.

Algumas destas mortes são incríveis demonstrações de burrice, outras são situações acidentais bem trágicas.

Na maioria das vezes, estas mortes acontecem com pessoas de certa fama. Quando a pessoa é desconhecida, morrendo estranhamente se torna uma celebridade. Mas não poderá aproveitar esta fama.

Exemplos notáveis[editar]

Um exemplo de morte no mínimo bizarra estranha.

Aviso: Este seção contém elementos reais e verdadeiros, que existiram de fato. As pessoas com problemas cardíacos e gestantes não devem ver esta área sem antes consultar um palhaço, para tentar não morrer de tédio.

  • Drácon(620 a.C.): legislador ateniense, sufocado por diversos mantos presenteados por admiradores e jogados sobre ele em um teatro,hHa que diga que ele dormiu em meio aos mantos...
  • Permuta (1900 e guaraná com rolha a.C.): O grande naturista grego. Teve uma morte muito trágica. Enquanto praticava seu cooper diário, foi chifrado por um boi que atravessava seu caminho e morreu.
  • Tales de Mileto (540 a.C): Estava andando na rua e pensando, como faz um bom filósofo e matemático, caiu num buraco e morreu.
  • Ésquilo (456 a.C.): Um dos poetas trágicos gregos, considerado o pai da tragédia, morreu de forma trágica, mas digna de um filme. Levou uma tartarugada na cabeça enquanto escrevia um artigo para a Desciclopédia. Uma águia (ou urubu) deixou a tartaruga cair na cabeça de Ésquilo, que morreu na hora.
  • Filetas de Cos (270 a.C.): Outro poeta grego. Morreu de insônia depois de ver, por 17 horas seguidas, algumas sketches do programa Zorra Total. Depois de ficar 17 horas seguidas assistindo Zorra Total, Filetas nunca mais conseguiu dormir e acabou morrendo.
  • Crísipo (207 a.C.): Um filósofo grego (mas gostam mesmo de morrer estranhamente estes gregos). Teve uma morte muito feliz e engraçada, literalmente. Morreu de tanto rir ao ver um burro bebado comer alguns figos que seriam servidos na sobremesa. Eu também teria morrido de rir; é realmente muito engraçado um burro comer figos.
  • Papoco (195 a.C.): Um general cartaginês. Em uma briga de rua, levou um chute no saco e teve uma hemorragia. Não é muito estranho, mas é dolorido.
  • Átila, o Huno (453): O grande líder dos hunos. Morreu na despedida de solteiro, quando bebeu 2 barris de vinho e teve uma hemorragia nasal. Sim, eu também não vi nenhuma relação entre o vinho e a hemorragia. Coisa de celebridade.
  • Li Po (704): Um grande poeta chinês. Um dia, depois de uns baseados, tentou abraçar o reflexo da Lua. Caiu na água e tentou de todas as maneiras abraçar o reflexo. Morreu afogado sem ter conseguido abraçar o reflexo.

Ver também[editar]