Ningyo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Montfortpoulpe.jpeg Este artigo é aquático!

E é especialista em natação. Se você vandalizar, ele te joga uma tsunami, então cuidado com os tubarões e não leia sem usar uma máscara de oxigênio.

Cquote1.png Estou entediada... Cquote2.png
Ningyo sobre este artigo

Ningyo é o nome dado às sereias japonesas, que são muito semelhentes às sereias ocidentais fisicamente, porém, são dotadas de poderes mágicos e sua carne é muito apreciada na culinária japonesa, sendo um dos tipos de peixe mais utilizados para a confecção de sushis, sashimis e outros pratos que são preparados com esses animais em seu estado cru.

A lenda[editar]

A lenda da ningyo afirma que é um ser cuja metade é um peixe e a outra metade é uma mulher, mas há divergências quanto à forma exata da aparência destas criaturas. Há quem afirme que, ao invés de serem esteticamente gostosas como aquelas sereias que seduzem marinheiros até o fundo do oceano, elas na verdade se parecem mais com sereias monstruosas, sendo portanto umas tremendas barangas com chifres e dentes enormes, além de escamas que cobrem todo o corpo, incluindo a suposta parte humana. Elas são principalmente descritas como um peixe gigante com um rosto humano e uma cabeça mais cabeluda do que a buceta da Cláudia Ohana.

Suposta história da monstrenga[editar]

Ningyo posando nua na revista Playboy.

A primeira aparição fictícia de uma ningyo da qual se tem notícia é conhecida e relatada entre os japoneses como o caso da sacerdotisa budista de mais de 8000 800 anos, uma história chata e mentirosa a respeito de uma fulana aí que teria comido a carne de uma ningyo e virado imortal após fazê-lo. De acordo com esse conto, um pescador certo dia teria pescado um peixe completamente diferente e todo bugado, pois tinha rosto de gente. Ignorando completamente esse detalhe, já que a maioria dos peixes japoneses são carpas bigodudas que têm caras semelhantes às de um monge budista hippie que planta maconha para subsistência, o pescador em questão não achou que havia nada de errado no bicho feio que pescou e convidou todos os seus amigos para um jantar em que serviria o mesmo como prato principal. Só que um dos convidados ficou bêbado antes da hora e foi até a cozinha antes que a comida estivesse pronta. Quando viu a porcaria que o pescador ia servir, recusou-se a comer e obrigou o homem a jogar fora. Porém, o dito cujo também se embebedou de saquê e, a caminho de casa, esqueceu de se livrar do bicho, que foi encontrado mais tarde por sua filha, que comeu tudo achando que se tratava de um presente trazido por seu pai. O tempo foi passando, a guria retardada cresceu e casou, mas o marido faleceu bem antes dela, que por mais que envelhecesse, não morria nunca e continuava sempre com a mesma aparência de ninfeta. Como não tinha mais vontade de viver, ela converteu-se ao budismo e virou freira, enfim falecendo em Wakana após 800 anos de puro tédio servindo a Buda.

Perigos de se comer a ningyo[editar]

Conforme qualquer um já deve ter entendido, menos você que não tem inteligência o bastante para ter um raciocínio lógico, quem ingerir carne de ningyo torna-se amaldiçoado com a imortalidade, ganhando vida e juventude eternas. Como se isso fosse uma coisa ruim!

O fato que você não deveria saber[editar]

PROCURADO

Japanese mermaid.jpg

Ningyo é procurado por crimes contra
a sociedade e é extremamente perigoso.

Procurado vivo ou morto (de preferência morto).
Recompensa: imortalidade eterna