Nova Era (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Foto aérea de Nova Era, mais conhecida como "Onde O Rio Faz A Curva". Destaque para a homogeneidade das construções.

Cquote1.png População ribeirinha Cquote2.png Cquote1.png É a loooooooooooto! Cquote2.png
Tetéia
Cquote1.png Anunciamos o falecimento de... Cquote2.png
Carro de som em Nova Era
Cquote1.png Bom dia, Graça! Cquote2.png
Alunos do Novaerense
Cquote1.png Não sobe ninguém... não sobe ninguém... Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre o bairro Colina
Cquote1.png Eu vou chamar Dorinha! Cquote2.png
Augusta sobre alunos do Fátima
Cquote1.png Porraaada! Porraaada! Porraaada! Cquote2.png
Alunos do Colégio Augusta na hora do recreio
Cquote1.png Aaaaaaaooooo Nova Era!!! Cquote2.png
Novaerense ao avistar um conterrâneo
Cquote1.png nowhere Cquote2.png
Google sobre Nova Era
Cquote1.png Ninguem Sobe Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Manjahy
Cquote1.png Cê é Fih de quém? Cquote2.png
Típico novaerense de Nova Era

Nova Era é uma quase-vila que fica próximo a Ipatinga e João Monlevade, no sertão mineiro. Conta com uma população de quase 19 mil habitantes, sendo que a maioria não mora lá, só aparece no Natal, para ver a família e em épocas de eleições, porque é obrigatório mesmo.

Recentemente, houve propostas de classificá-la como região metropolitana de Belo Horizonte, visto que cerca de 127% da população deixou a cidade durante o intenso êxodo rural que atingiu o Brasil nos anos 90. Com isso, o resto da população (os outros 59%), a maioria aposentados da Vale, vivem uma vida tranquila e bucólica, preocupando-se somente em falar mal dos outros e fiscalizar se o filho de fulano está fazendo bagunça na rua.

Economia[editar]

Atualmente, a economia da cidade é baseada na exportação de produtos artesanais para Bela Vista de Minas, sendo que isso gera uma renda média de menos de 2 bilhões de reais ao ano para a comunidade.

O mercado consumidor pode ser dividido em dois grupos principais: os aposentados, que, manipulados pelo padre Bob Marley, destinam todo o dinheiro da aposentadoria para o dízimo; e os "boys", que gastam os trocados que roubam dos pais em equipamentos de som para carros, só para poder tirar onda com as menininhas sem cérebro de 13 anos, as quais se acham as mais gostosas do mundo embora sejam apenas mais um bando de piriguetezinhas mais ou menos bem vestidas.

A administração da cidade vem progredindo bastante desde o show do [Relber e Allan]. A pracinha da Liliu, principal ponto de pegação entre alunos da TRILOGIA do capeta (Fátima, Augusta, "Vicente" ), foi restaurada nos últimos anos, porém verbas foram desviadas para a fabricação de revistas que mostraram como o Manjay foi modernizado com a quadrada de terra vermelha ( de alta qualidade meus amigos ).

Festas e Pontos Turísticos[editar]

O mais conhecido “point” da cidade é a sorveteria, local onde as pessoas não vão para tomar sorvete, mas sim para exibir o tênis novo que compraram, arrumar confusão ou mostrar seu gosto musical extremamente duvidoso para todo mundo. Há dias em que a sorveteria consegue ficar mais cheia do que a missa de domingo.

Nos arredores da sorveteria, fica o "Bendita Carne", buteco/churrascaria novaerense que concorre no Guiness Book como a cerveja mais cara do mundo. Há também o bar do Chico Bento, que se destaca pelo atendimento organizado e pelo preço e variedade de petiscos. Localizado às margens do Rio Piracicaba, o bar é ponto de encontro de torcedores, que se reúnem todo domingo para ver jogos, sendo 79% cruzeirenses, 9% atleticanos, e 2% playboyzinhos que pagam de torcedores do Milan ou Barcelona, para parecerem mais desenvolvidos que a ralé.

O carnaval em Nova Era chegou a ser conhecido internacionalmente durante a década de 50, conquistando prêmios em vários festivais europeus de marchinhas. Hoje é um mito: existe, mas não tem público. Isso se justifica pelo fato de quase toda população ir para a cidade vizinha, São Domingos do Prata, porque o carnaval de lá consegue ter mais mulher feia e música pior.

Atualmente, Nova Era vive a explosão da nova MPB Brasileira, o supra-sumo da melodia, o funk. Com a popularização deste estilo musical na cidade, surgiu na região conhecida como Beira Rio vários bares onde pessoas dotadas de alto nível cultural, ditos “funkeiros”, se reúnem para apreciar a música e não usar drogas.

Personalidades[editar]

Da esquerda para a direita: Gilberto Cabeção, tentando imitar um chinês; Bulim-Bulim, num momento ébrio de reflexão; Ganso, usando a camisa do Led que mais gosta.

Nova Era é berço de muitas personalidades, a saber:

  • Gilberto Cabeção: Sempre presente nos momentos mais difíceis (velórios), Gilberto Cabeção é a figura mais querida da cidade.
  • Tetéia: Durante a década de 80 foi um mafioso que controlava o jogo do bicho na cidade. Com o aumento da ficalização, foi obrigado a partir para a legalidade e vender raspadinhas da loteria federal.
  • Bulim-Bulim: Dizem que é o irmão renegado de Gilberto Gil. O último relato dele sóbrio foi feito há 29 anos atrás, quando tinha apenas 11 anos. (Desde 2008 virou crente, casou e não bebe mais)
  • Ganso: Outro grande apreciador do álcool. É o sujeito mais rock'n roll da cidade. Defende sua posição contra essas coisas tóxicas, com ele é so natural.
  • Joaquim Sem Rumo: Trata-se de um sujeito que fica vagando pelas ruas da cidade. Muitos dizem que o que motiva Joaquim Sem Rumo a andar pela cidade é sua constante procura por pontas de cigarro. Recentemente surgiu outra teoria, a qual afirma que Quinquin é na verdade funcionário da Google e trabalha para o projeto Street View, mapeando as ruas da cidade. Infelizmente, não há provas concretas desta teoria.
  • Rita Piuí (in-memorian): Era fonte de diversão e aprendizado para as crianças da cidade. Era uma prática comum na juventude nova-erense ir durante à noite para a frente da sua casa para gritar "Piuí". Rita, irada com tal injúria, respondia com complexas frases de palavrões, dotada de rimas e as vezes até em versos decassílabos. Um estudo do MEC provou que grande parte do vocabulário chulo da população da cidade originou-se da falas de Rita Piuí.
  • Tarcísio Conhecido frequentador do centro da cidade, anda geralmente de terno e blusas de frio, mesmo debaixo de um sol de verão com temperaturas esbarrando os 40 °C. Possui uma marca de 5,98 x 10²³ cumprimentos dados em um único dia, sendo o mais utilizado o tão popular "oi, cê ta baum??".
  • Mário e Banda: Por volta dos anos 30, o Mário encontrou com a Banda e acabaram montando o conjunto musical Mário e Banda. Desde então, apresentam-se nos carnavais e demais festas da cidade. O repertório variado e a perfeita pronúncia das músicas em inglês rapidamente conquistaram o gosto musical dos cidadãos novaerenses, atraindo para o conjunto milhares de fãs incansáveis.
  • Banda dos Farrapos: A única banda séria da cidade.

Educação[editar]

Apenas um ex-morador da cidade conseguiu sair de lá (com a ajuda de Eike Batista) para estudar fora. Ele foi para a gigantesca metrópole do Vale do Aço.

No que diz respeito ao Ensino Fundamental e Médio, a cidade conta com um enorme número de escolas, sendo uma particular e as outras estaduais e municipais, que ficam todas uma ao lado da outra. Dizem que esta configuração foi estabelecida pela prefeitura da cidade para facilitar as brigas e incentivar rivalidades entre os alunos burgueses da escola particular e os alunos das escolas públicas. Dentre elas...

  • Augusta (IN MEMORIAN): Já foi uma escola de grande prestígio na região, adorada pelos alunos graças à facilidade de fuga, com suas janelas mais usadas como portas. Todo ano correm rumores de que a instituição fechará suas portas no ano seguinte, nunca confirmados.
  • Nossa Senhora de Fátima: O famoso "colégio" é onde os alunos sem dinheiro para pagar o Novaerense ingressam. Criador de lendas, o colégio se mantém firme na strondação educação de jovens novaerenses. De lá saem as mais putas da cidade, como a menina que saiu pegando todo mundo que pode atrás da igreja. Isso até o pai dela passar por lá...
  • Novaerense: Mais conhecido como "Vicente" pela velha guarda da cidade, em homenagem a seu diretor/dono, é o lugar onde pseudo-burguesinhos se reúnem para ter ensino "de qualidade" e se distanciar do suposto paraíso das drogas e violência que são as duas instituições vizinhas, já que é de conhecimento geral que pobre não pode ver rico, que fica louco pra espancar. Ou não.

No Ensino Superior, a cidade é referência internacional por possuir uma das mais avançadas universidades do mundo: a URNE - Universidade Rural de Nova Era. Fundada em agosto de 2003 sob o lema "Da roça é quem não estuda aqui", logo tornou-se um ícone em educação e pesquisa devido a sua mega infraestrutura e pelo fato de todos seus professores possuírem PHD (Passam Horas Dormindo). Estudantes da Nicarágua, Suriname, Cuba, Estados Unidos, Japão, China e Austrália saem de seus países para usufruírem do ensino de ponta que a URNE oferece. Ironia do destino ou não, a revolução educacional do século XXI iniciou-se numa pequena cidade do 3° mundo. A maior prova disso são os cursos pioneiros voltados para as profissões do futuro:

  • Administração de Chiqueiro
  • Arquitetura de Curral
  • Belas Artes Marciais
  • Ciência do Contrabando
  • Ciências Ocultas
  • Engenharia da Gambiarra
  • Engenharia de Pipa
  • Filosofia do Campo
  • Manutenção de Calculadora
  • Motelaria
  • Pobricidade