Nova Guarita

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nova Guarita é uma pequena guarita na região metropolitana de Colíder.

História[editar]

A grandiosa antena de telefone de Nova Guarita, orgulho da arquitetura local, visivel de qualquer ponto da cidade.

Cidade que surgiu através da coragem de dois grandes desbravadores da América Latida, estavam desbravando o norte de Mato Grosso, quando um deles por muito pouco não pisa na merda de cavalo. Cismados com o fato, decidiram criar ali as bases de uma das maiores cidade do mundo atual de hoje, Nova Guarita.

Segurança[editar]

A segurança pública em Nova Guarita é levada muito a sério. Os policiais militares ocupados em cuidar da tranquilidade dos moradores desta urbe, fizeram um plano estratégico para acabar com os traficantes de dorgas. Eles usam o famoso Método Bob Marley, ou seja, se transformam eles próprios em grandes traficantes, proibindo assim a venda de drogas no mercado local.

Claro que tudo isso com a ajuda de benfeitores públicos nos quais se enquadram políticos e pseudo-empresários de Colíder, por isso se um dia você tiver a infelicidade de ir em Nova Guarita, e quiser um baseado terá que passar lá na PM, eles serão muito gentis em te atender e te mostrarem toda uma gama de armas e drogas, caso você queira se divertir com alguém!

Cultura[editar]

Vive-se um confinamento musical em Nova Guarita. A cena musical, além de ridiculamente inexpressiva, mostra uma latente incapacidade para a diversidade cultural. Quando não é um forró gritado, desafinado, são grupos que se dizem ecléticos, "bandas de baile", que não conseguem sair do cansativo, da mesmice pop-sertanejo-universitário-romântico (cruz credo, a que ponto chegamos!). Sem julgar gostos, a questão é que não existe nenhuma opção além desse substrato musical que se encontra no limiar da mediocridade cultural nacional. Junta-se a isso a incapacidade de se fazer algo diferente, para além dessa via de mão única.

É assustador. Hoje é assim, e amanhã será assim, e o mês que vem será igual, e o ano seguinte provavelmente também e daqui a 50 anos continuará sendo a mesma bosta, assim como ontem foi assim, mês passado também, ano passado também e 50 anos atrás também!. A mesmice cultural perdura. É a mordaz e terrena cena do filme The Wall: todos caminhando para o moedor de carne. As mesmas faces moldadas. Mais um tijolo no muro. Rumina-se culturalmente tal como os quadrúpedes que geram a economia local (curiosa coincidência?). É o homem se tornando a criatura: bate na cerca e pasta; pasta e bate na cerca; vai pro matadouro...nada mais. Aterrorizante. E frustrante.