Nova Maringá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nova Maringá é uma pequena cidade do Reino Tão Tão Distante. Originalmente fundada em 1948, desapareceu em 1966, sendo redescoberta em 1995.

História[editar]

Uma raríssima rua asfaltada na cidade.

Matas milenarmente habitada pelos perigosos índios beiço-de-pau, que receberam esse nome devido ao bizarro hábito de usar os pênis de suas vítimas atravessados em seus beiços como se fossem troféus de guerra. Temendo seus respectivos pênis, os primeiros bandeirantes que ali chegaram trataram de banir esses perigosos índios lá para o Parque Nacional do Xingu.

Em 1969 surge o pequeno núcleo urbano naquele fim de mundo. Na falta de ideia melhor para nome, como havia ali famílias vindas de Maringá, Paraná foragidas das faturas do Banco do Brasil, o nome escolhido foi Nova Maringá.

Atualmente Nova Maringá é considerada pela ONU uma das cidades que mais contribui com o aquecimento global no mundo. Um amontoado de indústrias que além de desmatar a floresta queima a madeira lançando uma poeira excessiva no ar. É difícil distinguir as pessoas nas ruas e mesmo suas casas. O povo local até ficou especialmente adaptado para respirar gás carbônico ao invés de oxigênio, enxergar através de fumaça e saber cortar madeira com apenas uma machadinha.

População[editar]

Pequeno povoado de 5.000 habitantes, divididos entre madeireiros, roceiros, posseiros e outros seres típicos da roça.

Transportes[editar]

Nova Maringá não passa de mais uma dessas cidades que não aparece nos mapas do Mato Grosso, e para chegar lá, só chegando em Cuiabá, contratando no Rio Cuiabá algum índio beiço-de-pau para te dar carona para Nova Maringá. Ele vai te perguntar "Você tem certeza disso? É por sua conta em risco!" então aceite (não se esqueça que coisas como celular e Internet não existe num lugar desses).

Saúde[editar]

Nova Maringá foi uma cidade projetada, sendo construída dentro de um buraco, na beira de um rio e possui 28 kilometros de comprimento e 120 metros de largura, possui uma rua só e é na contramão. O fato da cidade ser construída na beira de um rio agregou muito ao município, pois o matagal, brejo e água parada fornecem a cidade todo tipo de doença transmitida por mosquitos, como dengue, febre amarela, leche, zyka, chikungunya e malária, além da presença sempre constante de cobras, aranhas, roedores e carrapatos.