O Problema na Mangueira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Problema deve ser na parti di trás, deve ser na hidráulise Cquote2.png
Mangueira Boy dando palpite em serviço que não entende
Cquote1.png Problema é na mangueira, mangueira é coisa de loco Cquote2.png
Paulo Guina sobre o real problema

O Problema na Mangueira
The Problem in the Hose
Bandeira do Brasil Brasil
2000 • Colorido • 40 min
Direção Sandro Lima
Produção Ícaro Studios, Netflix
Elenco Mangueira Boy, como garoto carente
Paulo Guina, como bombeiro
Gênero Comédia

O Problema na Mangueira é um filme de comédia produzido pela Ícaro Studios (pra variar), que acompanha a trajetória de Mangueira Boy, um garoto da periferia que não tira o boné nem pra dar o cu.

Produzido através de uma parceira entre a Ícaro Studios e Netflix, este é considerado um dos greatest hits do cinema nacional, por ser um filme corajoso o suficiente para explorar o cotidiano dos jovens machos virgens brasileiros, que vivem sem um pau amigo. E a importância deste filme vai além, ele marca o comeback de Paulo Guina ao cenário cinematográfico nacional, ele que estava desaparecido desde que deixou o oco no Jailson Mendes em Ursos Grandes, Peludos e Mansos!.

Enredo[editar]

Mangueira Boy é um garoto financeiramente desfavorecido que vive na cidade de Cu Pequeno com sua mãe, Andreia Albertini. Sua rotina consiste em estudar no período da manhã na Escolinha do Professor Guina, fazer um bico como entregador da peça que você queria na Oficina do Kauan no período da tarde, e hibernar como um urso no período da noite.

Em uma tarde como qualquer outra, após estudar muito com seu melhor amigo, o Aluno Come Já, Mangueira Boy se prepara para ir trabalhar no cacete na oficina, mas seu chefe, Kauan Desu, diz que ele não precisa ir, pois um tal de Jailson Mendes já iria levar a peça que ele queria. Mangueira Boy aprecia a folga inesperada, e aproveita o tempo livre acessando o SoloBoys com a senha que seu padrinho, Alexandre Senna, lhe deu de presente de aniversário de dezoito anos.

Enquanto assiste Pelada, James e Amigos sem censura e em Full HD 1080p, Mangueira Boy sente um cheiro estranho vindo da cozinha, e vai verificar qualé o problema. Notando que provavelmente o problema estava na mangueira, pois na noite anterior Mangueira Boy utilizou a mangueira do fogão em um lugar que não é o fogão, o garoto liga para o corpo de bombeiros cupequenino, o qual se prontifica a enviar um especialista em vazamentos para verificar a situação.

Após alguns segundos, eis que o bombeiro aparece, e ele não é nada mais, nada menos que Paulo Guina, um profissional com mais de quinhentas qualificações, que nas horas vagas também faz bicos como encanador/bombeiro. Logo que chega, Paulo Guina pergunta qualé o problema, e Mangueira Boy aponta para o fogão, explicando que está sentindo um forte cheiro de gás vindo da parti di trás. Muito solícito com a comunidade ursídea, Guina começa a verificar a mangueira, e poderia ter finalizado o serviço em poucos minutos, se Mangueira Boy não ficasse atrapalhando, palpitando em serviço que não entende. Mangueira Boy até sugeriu que o problema tava numa tal de hidráulise, sendo que essa porra nem existe.

Ao verificar com mais atenção, Guina percebe que o problema era só que a mangueira estava desencaixada, talvez porque algum espertinho andou pegando ela emprestada e não sabia como botar de volta. Agora mais atento com Mangueira Boy, Guina nota, através de seu terceiro olho, aquele que nunca fecha, que o moleque não para de secar sua mangueira pessoal, e vai logo mandando a real, perguntando se ele tava querendo dar uma pegadinha, uma chupadinha em sua mangueira. Isso era apenas uma brincadeira para provocar Mangueira Boy, ou não, mas não importa. Assim que recebeu este sinal verde de Guina, Mangueira Boy, que já não aguentava mais conter seus impulsos de macho virgem, começa a trabalhar na mangueira do bombeiro, de uma maneira como só um macho de verdade poderia fazer.

Personagens[editar]

Mangueira Boy

Mangueira Boy entusiasmado com a possibilidade de ganhar uma mangueira novinha em folha.

Um jovem cupequenino, de dezoito anos recém completos, que possui um fetiche com mangueiras grossas, grandes e gostosas. É o filho bastardo de Ronaldo Fenômeno, mas nunca recebeu a devida pensão. Ele mora com a mãe, Andreia Albertini, em uma casinha na periferia de Cu Pequeno, perto da fronteira da cidade com Pau Grande. Sua mãe sai todas as noites para trabalhar no cacete, então ele costumeiramente fica sozinho em casa. Após resolver o problema na mangueira e de passar muitos anos estudando sob a tutoria de Paulo Guina (agora como professor), Mangueira Boy realizou seu sonho de trabalhar no corpo de bombeiros de Cu Pequeno, onde é chamado de viado até pelos viados, já que ficou famoso como "o moleque que não tira o boné nem pra dar o cu". Nas horas vagas, gosta de ir pescar.

Paulo Guina

Interpretando a si mesmo, o versátil Paulo Guina demonstra mais de uma de suas habilidades profissionais, dessa vez como encanador/bombeiro especializado em mangueiras. É um profissional tão competente, que carrega consigo uma mangueira reserva, para o caso do seu empregador necessitar. No final da obra, como sempre, acaba comendo seu empregador.

Recepção[editar]

Lançado após a trilogia essencial do Pai de Família, este filme fez um sucesso considerável, já que o público possuía curiosidade em saber o que havia acontecido com o cara que comeu o Jailson Mendes no filme mais eletrizante da série. Apesar de não possuir nem 1/4 do carisma do velho urso delicioso, Mangueira Boy foi elogiado pelos críticos, por sua atuação convincente, livre de erros e repleta de bonés. No IMDb, o filme é bem avaliado, considerado um spin-off de qualidade, porém recomendado apenas para os fãs de longa data da série do Pai de Família.