Parque Nacional Desembarco del Granma

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Ninguém vai ter café aqui porra!! Cquote2.png
Che Guevara ao chegar em Granma
Cquote1.png blá blá blá........... Cquote2.png
Discursso de 20 horas de Fidel ao chegar em Granma

O Parque Nacional Desembarco del Granma é uma zona sagrada para Cuba, é aonde dizem que foi ali que a merda revolução começou.

História do Parque[editar]

O Parque Nacional Desembarco del Granma já foi campo de golfe particular dos revolucionários.

O parque recebeu esse nome em homenagem ao iate particular de Fidel Castro, o Granma que saiu do México até Cuba sem ser interceptado por inimigos, lutou contra uma frota de encouraçados capitalistas e ainda chegou a tempo para o café-da-manhã em Havana, e naquela tarde houve um caos chamado Revolução Cubana.

Por sua importância em representar a razão de Cuba está em uma situação deplorável na atualidade, a UNESCO considera o parque um patrimônio mundial.

Foi em Granma, o primeiro local que o grupo de baderneiros formados por Fidel Cstro, Che Guevara, Raúl Castro e mais 81 fanáticos socialistas fizeram uma festa ao chegar em Cuba.

Para fixar bem na memória dos cubanos (que são meio burros) a importância daquela área, o governo cubano (ie, Fidel Castro) promoveu Granma a parque nacional, Zona de Segurança nacional e reserva ambiental inafiançável.

Atualmente o parque é um centro cultural e espiritual do comunismo em Cuba. Os animais que se destacam na reserva são os Starnoenas cyanocephala e Esquerdistis desgracae.