Partido da Mulher Brasileira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Partido das Mães Brasileiras 35
Logo Partido da Mulher Brasileira.png
Líder Suicidar Nogueira
Fundador Um ômi por ai
Fundação 2015
Ideologia Apenas direitos à mulher
Espectro
político
PMDBismo.
Membros notáveis Só o Hélio José, mas até ele já vazou
Afiliação PMDB
Site http://www.pmb.org.br/

Cquote1.svg Você quis dizer: Partido Merda Bosta Cquote2.svg
Google sobre Partido da Mulher Brasileira
O Partido da Mulher Brasileira (PMB) é um partido político brasileiro surgido em 2015 e que não tem utilidade nem mesmo às mulheres, único grupo de pessoas que motivou a criação do partido.

O partido é o retrato fiel de um partido político brasileiro que para não se comprometer com a maioria do eleitorado, resolve praticar o niilismo como espectro ideológico, mesmo tendo como principal bandeira o feminismo não-acadêmico — ou seja, o que prega que a mulher basta uma lei e regras diferenciadas para a aposentadoria, sendo dispensável todo aquele sexismo praticado nas instituições federais Brasil afora. Em razão disso, o partido não conta com o apoio nem dos homens, que têm medo de perder o pênis, e nem das feminazis, já que o partido não discursa a favor da extinção dos homens, degeneração e blá-blá-blá.

História[editar]

Note que apesar de tudo, ainda existem homens no partido.

O partido surgiu em 2008, quando algumas donas de casa cansadas de passar a tarde toda assistindo Casos de Família, resolveram que era hora de trabalhar alguma vez de verdade na vida. Como na época o assunto do momento era a famigerada Lei Maria da Penha pensaram que estariam revolucionando se ao invés de lavarem a louça, fizessem um partido político e se candidatassem a mamata servida no congresso de quatro em quatro anos.

Então aquelas donas de casa resolveram pedir o registro do partido no TSE, coletando as assinaturas dos Ricardões que passavam em suas casas. Apesar de serem muitos, foram necessários mais de sete anos de cama até conseguirem a quantidade necessária de assinaturas para a criação do partido.

Propostas[editar]

O partido, apesar de defender o lema todos os direitos às mulheres, até a data de publicação deste artigo, nunca propôs alguma lei que ao dar Ctrl+F no Firefox você pudesse encontrar a palavra "Mulher" no meio, a não ser a presente no próprio nome do partido. Aliás, esse tem sido o problema desse partido, não faz ou não participa de porra nenhuma. É como se não existisse. Apesar disso, o partido defende algumas idéias, como instituir um novo código penal usando como base a Lei Maria da Penha, além da opicionalidade de alguns serviços que seriam obrigatórios aos homens, incluindo o serviço doméstico.

Contudo, o partido continua Belo e Moral se comparado aos ideais das pessoas as quais o partido diz defender, como se manter contrário a legalização do Aborto ou o direito de se prostituir com carteira assinada.

Ver também[editar]